Profissional de Marketing tem pós, mas não estuda | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Profissional de Marketing tem pós, mas não estuda

Pesquisa da ADVB e Toledo traça o perfil do marqueteiro, que é jovem, não planejou a carreira e ganha menos que outras profissões. O levantamento realizado para valorizar este trabalhador revela dados preocupantes, como o fato

Por | 30/05/2006

bruno@mundodomarketing.com.br

Compartilhe
Profissional de Marketing tem pós, mas não estuda

Por Bruno Mello
bruno@mundodomarketing.com.br

Qual notícia você quer primeiro, a boa ou a má? A boa é que a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB) realizou - em parceria com a consultoria Toledo & Associados - uma pesquisa sobre o perfil dos profissionais de marketing com o objetivo de conhecer este trabalhador e realizar ações que o valorizem. A má é que, deste retrato, algumas fotos revelam dados preocupantes.

O primeiro diz respeito à formação. Apesar de 46% terem o ensino superior completo e 43% ter cursado pós-graduação, 1/4 dos profissionais entrevistados (25%), disseram não saber quais são os mais importantes autores da área de Marketing. Philip Kotler é o mais conhecido por 61% dos 150 profissionais ouvidos em São Paulo. Depois dele, vem o brasileiro Francisco Alberto Madia de Souza, com 9% da lembrança da amostra.

"Somente 2,7% dos entrevistados leram nomes como Al Ries. Isso é imperdoável", diz Francisco José Toledo, Sócio e Diretor-Geral da Toledo & Associados, ao Mundo do Marketing. Ele acrescenta que "Deu para perceber que eles não estão lendo publicações na área de marketing e isso é preocupante porque é uma atividade em que o profissional precisa estar atento ao que acontece no mercado", um contraste, já que outro levantamento da mesma pesquisa indica que 64% dos profissionais afirmam que estar atualizado com as tendências, conhecer o mercado e os concorrentes são fatores determinantes para o sucesso na área.

O que você quer ser quando crescer?
Mais um dado inquietante apontado pela pesquisa foi o fato de praticamente metade dos profissionais (45%) não terem planejado o ingresso na área de marketing. "Para mim este é o índice mais grave porque é como se você nunca desejasse fazer medicina e, de uma hora para outra, decidisse ser médico", afirma Toledo, que acredita haver um modismo acerca da profissão. "Se você perguntar a um jovem que quer fazer Marketing ele não vai saber responder o porquê da escolha", comenta.

O estudo também mostrou uma disparidade nos salários recebidos entre homens e mulheres. Em geral, a média salarial do profissional de marketing é de R$ 2.330,00, inferior à remuneração de profissionais de vendas, por exemplo. Os Homens recebem R$ 3.000 e 20% deles estão em cargo de diretoria enquanto as mulheres, das quais 77% são gerentes, ganham R$ 1.510 em média. "É um dado surpreendente de um preconceito que um dia tem que desaparecer", ressalta José Zetune, Presidente da ADVB, em entrevista ao Mundo do Marketing. Para ele a pesquisa tem como foco "gerar reflexão e valorizar o profissional de marketing".

A análise também concluiu um assunto comentando por muitos executivos: os marqueteiros de hoje estão cada vez mais jovens. Nada menos que 71% dos entrevistados têm entre 25 a 39 anos. Este novo profissional, entretanto, está cada vez mais fiel às empresas em que trabalha. Em média, os entrevistados atuam na atual empresa há 6 anos e, no total, em quase três empresas em um prazo médio de 11 anos como profissionais de marketing.

Baixe a pesquisa na íntegra
Comentários


Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss