Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Airbnb convoca anfitriões para ação para crescer ainda mais no Brasil

Plataforma de hospedagem estimula comunidade local a disseminar a hashtag #SejaMeuHóspede e fortalecer o turismo nacional. Iniciativa também foca nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Por | 19/07/2016

roberta.moraes@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Samuel Soares, Gerente de Marketing do Airbnb no BrasilHá quatro anos com operações no Brasil, o Airbnb convoca sua comunidade de anfitriões para fazer com que a plataforma cresça ainda mais no país. Atualmente, a startup conta com mais de 90 mil anúncios em todos os Estados do país, muito mais do que as 3,5 mil ofertas ativas em 2012. Com foco na economia compartilhada, a marca está presente em 34 mil cidades em 191 países e funciona como uma rede social para fins de hospedagem e reúne viajantes e anfitriões.

Recentemente, a companhia ativou a campanha #SejaMeuHóspede, em que convoca os anunciantes, as próprias pessoas, a postarem nas redes sociais seus diferenciais para atrair novos viajantes, sempre acompanhado da hashtag. A proposta é promover a plataforma de maneira orgânica, sem a participação de agências de publicidade, roteiros e atores. Para marcar a iniciativa, a plataforma convocou três anfitriões para contarem suas histórias. Os vídeos com foco no público brasileiro têm duas propostas diferentes, envolver a comunidade e fãs da plataforma, e outra é atrair pessoas entre 18 e 40 anos que ainda não sabem o que é Airbnb, mas adoram viajar.

Esta é a primeira campanha completamente produzida no Brasil, que chegou no país em 2012, quando foi iniciada a internacionalização da marca. "Este período foi importante para tropicalizarmos a plataforma, traduzir as informações, oferecer atendimento, receber em Real, formalizar parceria com bancos locais. Além disso, implantamos formas de pagamento que são específicas do país como boleto bancário e parcelamento no cartão de crédito, que não existem em nenhum outro lugar", acrescenta Samuel Soares, Gerente de Marketing do Airbnb no Brasil, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Importância do Rio de Janeiro
Não por acaso, a iniciativa foca na cidade do Rio de Janeiro, a quarta maior em número de anunciantes, atrás apenas de Londres, Paris e Nova Iorque. "Logo no início o Rio já despontou como o principal mercado no país em número de anfitriões. A cultura de aluguel por temporada já existe na cidade há muito tempo. Além disso, este é um dos principais destinos turísticos no Brasil e no mundo", acrescenta Samuel Soares.

Atualmente, estão disponíveis mais de 35 mil anúncios ativos na cidade, com ofertas de todos os tipos, como casas, apartamentos e quartos, localizados em todos os bairros e preços variados. No ano passado, a renda média de um anfitrião no Rio de Janeiro foi de R$ 6.700,00. E o impacto econômico na cidade foi de cerca de R$ 530 milhões, considerando os valores recebidos pelos anfitriões e gastos pelos hóspedes na cidade. Além de ter a maior comunidade no país e ter um grande potencial turístico, a realização dos Jogos Olímpicos na cidade também foi fundamental para que a companhia focasse a ação na cidade.

Como a iniciativa é 100% digital, outras cidades também serão impactadas. O perfil do Airbnb Brasil no Facebook compartilhará as histórias que estiverem com a hashtag e a companhia também promoverá anúncios para impactar viajantes de outras regiões, sempre com foco no desenvolvimento no turismo nacional. "Os melhores conteúdos gerados pelos anfitriões serão capturados, transformados em peças e entregues com mídia também. Essa ação deve ser reproduzida em 20 mercados e o Rio de Janeiro é o primeiro", reforça Soares.

Experiência Olímpica
Além de consolidar a presença da marca no país, a iniciativa também visa apresentar o modelo de hospedagem para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. Em março de 2015, a companhia se apresentou como parceiro do Comitê Organizador Rio 2016 sendo fornecedor oficial de hospedagem alternativa. A inédita iniciativa surgiu da necessidade de alojamento do grande número de turistas previstos para o evento.

A plataforma já conta com reservas confirmadas para mais de 55 mil visitantes no Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos, a um preço médio de R$ 578,00 por noite. Considerando que cada reserva acomodará em média três pessoas, o preço médio per capita por noite é de cerca de R$ 193,00. Ainda há disponibilidade de datas durante os jogos. Entre os visitantes que já reservaram pela plataforma, 56% são estrangeiros, de mais de 110 países, vindos principalmente dos Estados Unidos, Argentina, Reino Unido, França e Austrália. Os outros 44% são brasileiros.

As reservas, com média de seis dias de duração, estão distribuídas em 54 bairros da cidade, e os locais mais procurados são Copacabana, Ipanema, Barra da Tijuca, Leblon e Botafogo. Também há procura para bairros fora do eixo tradicional turístico, como Méier, Del Castilho e Marechal Hermes.

Copa do Mundo
Ainda faltam cerca de duas semanas para o início dos Jogos Olímpicos, mas a expectativa é de que a participação do Airbnb no grande evento supere as operações realizadas no período da Copa do Mundo, em 2014. Naquela época, a plataforma tinha 800 mil anúncios ativos e mais de 17 milhões de pessoas já tinham se hospedado utilizando seus serviços no mundo todo. Os anfitriões do Airbnb ganharam cerca de $40 milhões durante a Copa do Mundo, com anúncios espalhados em 52 bairros diferentes da cidade.

Durante o período do evento, mais de 50% das reservas feitas pela plataforma no Brasil foram para o Rio de Janeiro. A cidade tinha aproximadamente 20 mil anúncios na plataforma, o que contribuiu para a expansão da capacidade da cidade para receber turistas. Os bairros que mais receberam hóspedes pela plataforma durante o Mundial foram Copacabana, Ipanema, Leblon, Botafogo, Santa Teresa e Leme.

As cidades de São Paulo, Salvador, Recife, Fortaleza e Brasília também foram as que o Airbnb ajudou a incrementar a capacidade turística em dois dígitos. Dentre os viajantes que vieram para o Brasil de mais de 150 países, 36% eram Norte Americanos, 29% Sul Americanos e Latino Americanos, e 22% Europeus e incluiu hóspedes de cada uma das 32 nacionalidades que competiram. "Na ocasião, disponibilizamos hospedagem em todos os locais de competição, inclusive nas cidades que não tem tanto apelo turístico", comentou o Gerente de Marketing.

Anfitriões de todas as idades
Engana-se quem pensa que a plataforma é formada apenas por jovens conectados. O grupo de pessoas acima de 60 anos forma uma faixa de 10% dos anunciantes. Além da possibilidade de obter uma renda extra com os quartos vazios, a disponibilidade de tempo para receber e se relacionar com os viajantes fazem com que esses anfitriões tenham uma das mais altas taxas de avaliação positiva.

A plataforma identificou que pessoas com a síndrome do ninho vazio optam por abrir suas casas para voltar a movimentar suas vidas. "Identificamos um grupo de pessoas que tem uma casa ou apartamento grandes e que os filhos casaram e saíram de casa. Quando elas ouvem sobre o Airbnb veem uma possibilidade de aproveitar o espaço. Existe a questão financeira, de complemento da renda, principalmente em época de crise, em que percebemos o aumento no número de anfitriões. Mas a questão da experiência cultural e humana, de poder viajar sem sair de casa é muito importante para eles", finaliza o executivo.

Assista a um dos vídeos da ação:





Comentários


Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2015.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2017. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss
Evento: Influenciadores Digitais