Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Google mapeia favelas e dá visibilidade para pequenos negócios

Projeto “Tá no Mapa” já catalogou 26 das 300 comunidades do Rio de Janeiro, que passam a integrar o Google Maps. Três mil microempresas estão cadastradas no aplicativo Meu Negócio

Por | 05/07/2016

roberta.moraes@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Luiz Guilherme Brandão, Gerente de Projeto do programa Tá no MapaTrês mil pequenos negócios no Rio de Janeiro ganharam o mundo depois que o Google subiu o morro para colocar as favelas cariocas no mapa. Vinte e seis das 300 comunidades cariocas já foram catalogadas e contam com ruas e vielas registradas no Google Maps, aplicativo de pesquisa e visualização de mapas e imagens de satélite. Além de facilitar a rotina dos moradores, que ganham mais cidadania com suas vias demarcadas - algo que, em alguns casos, nem a prefeitura consegue -, o projeto Tá no Mapa ajuda a fomentar micro e pequenos empreendimentos que passam a contar com uma presença online.

A inciativa pioneira foi iniciada em 2014 e conta com a parceria da ONG AfroReggae, que oferece a expertise para a entrada nas comunidades. Até o fim do ano, a companhia espera concluir o trabalho em outras quatro comunidades, resultando em 10% a cobertura do total de favelas. Para 2017, a ideia é que o Tá no Mapa chegue a outras cidades, permitindo que os grandes vazios dos mapas deem lugar a traçados com os nomes usados pelos próprios moradores. No ano que vem o projeto deve chegar a Higienópolis e Paraisópolis, duas das maiores favelas de São Paulo.

Para que todo o trabalho seja feito, a parceria com a organização não-governamental é fundamental, já que se trata de ambientes controlados e restritos. "O AfroReggae já tinha a iniciativa de mapear as comunidades, mas faltava a tecnologia. Treinamos os moradores em cartografia digital e ensinamos a usar as ferramentas gratuitas do Google para edição do mapa para que eles pudessem percorrer as favelas e inserir tudo no aplicativo", explicou o Gerente de Projeto do programa Tá no Mapa, Luiz Guilherme Brandão, durante apresentação para jornalistas em evento no Rio de Janeiro.

Moradores treinados
O processo de mapeamento acontece por meio de um smartphone e o aplicativo Google Maps, que tem uma ferramenta de edição que funciona on e off-line. "Isso quer dizer que o mapa pode ser atualizado mesmo se o colaborador estiver desconectado, bastando que ele faça o percurso. Quando chegar em um local com conexão, o mapa receberá as novas informações. Que são disponibilizados entre 24 a 48 horas, pois os processo de atualização passam por um comitê de aprovação e revisão", comenta o Gerente de Projeto do Tá no Mapa.    

Para que bancos, postos dos Correios, igrejas, becos, vielas, bares e pequenas empresas fossem cadastrados, mais de 100 pessoas foram capacitadas. Como mesmo com a pacificação divulgada pelo Governo do Estado do Rio ainda há rixas entre comunidades, apenas moradores trabalham em suas próprias áreas para que não haja intercorrências. Todos os colaboradores são remunerados e o trabalho de seleção e visita fica sob a responsabilidade do AfroReggae, ficando para o Google o oferecimento da tecnologia, treinamento e financiamento das atividades, que leva cerca de 12 semanas até a conclusão.

Com a inserção dos dados, os negócios passam a contar com suas informações na busca do Google, permitindo ser encontrado por qualquer pessoa do mundo. A iniciativa visa projetar os empreendimento, mas traz receio para aqueles que vivem na informalidade. "É claro que estimulamos a formalização do negócio, por todos os benefícios que traz, mas o que buscamos é uma complementação para as informações do mapa. O que oferece uma possibilidade de desenvolvimento, seja através da relevância na busca ou no próprio mapa", reforça Brandão.

Tá no Mapa
Como os sistemas são integrados, os dados incluídos no Google Maps já podem ser encontrados via Waze, APP do Google para GPS, e as informações dos estabelecimentos também podem ser acessadas, como endereço, horário de funcionário, além da opinião de clientes. Tudo isso é possível porque além de fazer o mapeamento das vias, os mapeadores também ensinam aos empreendedores como utilizar a ferramenta Meu Negócio. O conteúdo inserido é validado pelos próprios jovens. "Com essa iniciativa queremos que essas empresas tenham desenvolvimento social e econômico", pontua Luiz Guilherme Brandão. 

Já foram mapeadas as comunidades de Parada de Lucas e Vigário Geral, na Zona Norte; o conjunto de favelas do Caju, na Zona Portuária; São Carlos, Mineira, Coroa e Zinco, no Centro; além de Pavão-Pavãozinho, Tabajaras, Cabritos e Santa Marta Vidigal, Rocinha, Chapéu Mangueira, Babilônia e Cantagalo, na Zona Sul. No momento, o projeto está em andamento nas favelas do Batan, Fumacê, Conjunto Promorar 1, Promorar 2 e Muquiço (Zona Norte); Conjunto César Maia, Gardênia, Rio das Pedras e Terreirão (Zona Oeste).

Com a inclusão de novas comunidades, centenas de milhares de novas empresas podem surgir no Google Maps, criando novas oportunidades de negócios e incentivando o conhecimento do local. A escolha do Rio de Janeiro para iniciar o projeto se deu em função dos Jogos Olímpicos. A companhia, inclusive, atualizou informações de diversos aplicativos, principalmente o Maps, para melhorar a experiência dos visitantes que estiverem na cidade durante os jogos. Com uma gama de aplicativos, a empresa quer se tornar no assistente pessoal de cada indivíduo suprindo todas as necessidades diárias de informação.

David Bispo, proprietário do Bar do Davi, no morro Chapéu MangueiraReconhecimento local
A iniciativa do Google está ajudando a projetar empresas como o Bar do David. Vencedor da etapa estadual do Comida di Buteco, o empreendimento é um dos finalistas da etapa nacional do festival e já carrega em sua trajetória outras premiações. Instalado no morro Chapéu Mangueira, no Leme, zonal sul do Rio de Janeiro, o espaço conta com comidas a base de frutos do mar e já ganhou projeção internacional, ganhando destaque em veículos como The New York Time, BBC, Le Figaro, Le Monde, Al Jazeera, entre muitas outros.

A qualidade dos pratos e do serviço prestado ajudam a dar fama para o local, e agora, a presença digital, facilitará a chegada de novos clientes. "Fico muito feliz, pois hoje somos referência. Ter as informações da nossa empresa disponível no Google e ser facilmente encontrado por pessoas do mundo inteiro é maravilhoso, abre portas. Isso ajuda até outros negócios. Uma vez um vizinho deu o Bar do David como referência para a pessoa que queria alugar a casa e ela foi facilmente encontrada", comemora David Bispo, proprietário do Bar do Davi, no morro Chapéu Mangueira, em entrevista para o Mundo do Marketing.  





Comentários


Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss