Reportagens

Publicidade
Publicidade
Digital

Como vender no marketplace da Amazon?

Conheça as características do marketplace da maior varejista do mundo.

Por Cláudio Martins - 22/06/2021

Conhecida globalmente como a maior varejista do mundo, a Amazon é lembrada pelas entregas ágeis e pelo sortimento vasto - “de A a Z”, como pode ser lido em publicidades da empresa estado-unidense. Nos três últimos anos, a empresa vem galgando espaço no mercado brasileiro e atraindo a atenção dos empreendedores que procuram outras frentes para crescer além das plataformas já conhecidas.

No entanto, assim como qualquer outro sistema, o Amazon Marketplace conta com normas próprias, além de vantagens exclusivas para quem deseja comercializar dentro da plataforma criada por Jeff Bezos. A empresa vem investindo fortemente em infraestrutura no mercado brasileiro para poder acompanhar de perto os concorrentes locais, que conhecem há mais tempo os desafios logísticos do Brasil.

Em maio, a Amazon inaugurou seu nono centro de logística no país, o segundo em São Paulo. A medida, além de facilitar a entrega dos pedidos dos assinantes do serviço Amazon Prime, visa agilizar os pedidos oriundos da plataforma de marketplace. Os sellers podem deixar os produtos nos Centros de Distribuição para garantir a entrega de maneira mais ágil possível - solucionando um dos grandes motivos de insatisfação do e-commerce no Brasil.

Investimento em capacitação

Educação é uma palavra que muitos marketplaces levam a sério na hora de recrutar novos sellers. Não é diferente com a Amazon, que vem realizando webinars de capacitação para pequenas e microempresas com foco em preparar estes empreendedores a operar na plataforma Amazon Marketplace. Todo o ensino é remoto, respeitando os protocolos de saúde da pandemia e são completamente gratuitos.

PMEs em crescimento na Amazon

Segundo dados da própria companhia, as vendas de pequenas e médias empresas dentro da Amazon vem crescendo em um ritmo maior do que a venda direta da própria companhia. Enquanto as PMEs crescem cerca de 52% ao ano, os produtos anunciados diretamente pela companhia crescem 25%. Em termos de participação, a venda desse segmento de empresas já representa um total de 60% das vendas da Amazon.

Proteção exclusiva para sua marca

Se você está dando os primeiros passos com sua marca própria, a Amazon oferece ainda uma solução completa para protegê-la a alavancar suas vendas. O serviço Amazon Brand Registry permite aos sellers a personalização da marca e páginas de produtos, proteção comercial e propriedade intelectual dela, além de  opções de anúncios exclusivas.

Como iniciar as vendas no Amazon Marketplace?

Além dos procedimentos básicos como ter CPF e CNPJ válidos, contas bancárias ativas, o marketplace da Amazon se diferencia de outras plataformas pela opção por uma “mensalidade” paga à empresa. Estes planos são divididos da seguinte forma:

Plano individual - Quando o vendedor não planeja ter mais de 10 vendas por mês. Esta mensalidade não dá acesso à ferramentas de gestão de inventário e volumes de vendas. A adesão é gratuita, com pagamento de R$ 2,00 por item vendido e outras tarifas aplicáveis às transações, além das comissões, dependendo da categoria do produto, que variam de 8% a 20%.

Plano Profissional - Conta com uma mensalidade de R$ 19, 90, que isenta da tarifa de R$ 2, 00 a cada produto, acesso a relatórios e serviços na nuvem Amazon Web Service. Em relação às taxas de envio, elas podem ser definidas pelo próprio vendedor, o que não acontece com o plano individual, em que essas taxas são definidas pela própria Amazon. 

Veja na tabela abaixo a informação completa a respeito das diferenças entre os planos Individual e Profissional:

Importante: os vendedores podem mudar de um plano para outro quando desejarem. 

Após a definição dos planos, os próximos passos são semelhantes aos de outros marketplaces, com cadastros de descrição do produto, imagens, ficha técnica, valores, estoque e códigos de referência como o EAN. Além deste, os produtos cadastrados no Amazon Marketplace também ganham um código exclusivo da plataforma - o ASIN - sigla para “Amazon Standard Identification Number”, que é uma numeração própria da plataforma para localização do produto.

E se eu já tiver uma loja virtual?

Um cenário muito comum para quem está em busca de ampliar as oportunidades de receita no digital foi a entrada em plataformas de marketplace, sem deixar de lado a operação da loja virtual própria. O segredo para gerenciar esses distintos canais sem se perder nos dados e descuidar da atenção do cliente é apostar em ferramentas chamadas hubs de marketplace ou hubs de integração.

Esses hubs conectam plataformas diferentes - outros marketplaces, sistemas de ERP e softwares de e-commerce em um único ambiente para facilitar a gestão dos pedidos, índices de vendas e experiência do cliente. Entre as soluções disponíveis no mercado está a Ideris, um integrador que possui a vantagem de operar nos maiores marketplaces do país, incluindo o Amazon Marketplace e com possibilidades de criar planos de integração customizados para a sua necessidade.

Se você ficou curioso, você pode testar a plataforma gratuitamente e caso fique interessado, utilizando este mesmo link, pode ganhar um desconto de 15% na mensalidade do plano escolhido. 

Leia também: O guia das vendas no Mercado Livre

ideris