Reportagens

Publicidade
Publicidade
Digital

Saiba porque a gestão interna afeta a entrega em UX

Burocracias e lentidão para tomadas de decisão tornam a jornada do cliente cansativa e pode gerar perdas irreparáveis aos negócios. Veja dicas da Ekyte.

Por Priscilla Oliveira - 04/06/2021

A transformação digital ditou novas regras no mercado mundial e a garantia de que o usuário terá a melhor experiência com um produto ou serviço, como apontou um estudo feito pela Gartner. A velocidade com que se transforma a realidade exige variadas habilidades e capacidades das organizações. Investir em User Experience envolve todo o quadro de colaboradores e comunicação. Por isso, o planejamento se tornou essencial para os negócios. 

Até 2022, as empresas irão além da adoção de tecnologias para estarem concentradas no que cerca o real significado do ser humano no mundo digital e, por isso, devem ter uma gestão que facilite dar uma resposta rápida ao consumidor.  

Analisando o viés interno de uma companhia, quando todos os funcionários atuam em um mesmo propósito e as áreas estão cientes qualquer mudança de planos é resolvida a partir de uma fase só. “Atuar em User Experience mostra para a empresa a necessidade de ter uma capacidade de performance assertiva, porque o mundo hoje é dinâmico e a demora em resolver uma questão pode trazer perdas irreparáveis”, conta Bruno Moreira, Diretor de Marketing da eKyte, em entrevista ao Mundo do Marketing.  

Leia também: Metodologias de pesquisa auxiliam UX no digital 

Acesse o estudo User Experience no Digital como fator de ranqueamento 

Veja abaixo 5 pontos que devem ser trabalhados pelos gestores dadas pela Ekyte para melhorar a performance digital: 

Times unificados – Muitas empresas já possuem times híbridos da tecnologia e Marketing, mas áreas como financeiro devem acompanhar as decisões. “Uma plataforma de gerenciamento de projetos, como o Ekyte, promove a redução de erros por tentativa para que cada empresa tenha uma melhor relação com seus usuários e permite a toda a empresa estar ciente do que está sendo feito”, conta Bruno Moreira. 

Maturidade digital - As empresas ainda se encontram com dificuldade na hora de mensurar e aplicar ações de Marketing Digital, principalmente por ser um ramo em constante transformação. Muitas ainda não contam com uma gestão de dados bem organizada, que possa prover acesso à inteligência, no uso de dados e principais métricas de negócio para auxiliar na tomada de decisões. Uma pesquisa da Resultados Digitais mostrou que as empresas destinam apenas 1% ou 2% de seu faturamento para investir em Marketing Digital. Não há como oferecer UX se o processo ainda é amador. 

Gestão de Processos Maturado - O propósito da gestão de processos é diminuir a burocracia e aumentar a produtividade, eliminando etapas desnecessárias ou acrescentando aquelas que se mostrarem úteis. “Muitos gestores acham que planejar é perder tempo, porém planejamento é simples e traz resultados. A produtividade traz lucro”, pontua Moreira. 

Navegação atraente – Analisando o trabalho oferecido, é preciso criar uma navegação redonda, que seja atraente e constantemente atualizada. “Trabalhar no digital envolve contar uma história e ela não está apenas nas palavras de um texto, mas em tudo que envolve a marca, incluindo o design de uma página”, conta Bruno Rollin, UX Designer no Ekyte. 

Ter o UX como meta – É preciso acelerar a maturidade do Marketing Digital e para isso, as empresas tem que colocar isso como missão. “O cliente deve estar no centro de tudo. Conhecer e ajudar o seu time faz o UX melhorar, agilizar uma resposta e diminuir o esforço em alguma atividade que possa estar presa. Uma decisão Data Driven deve ser tomada sem ser penosa”, pontua Bruno Rollin. 

 

Participe do Rota 360º - a sua trilha de conteúdo para se tornar um profissional de Marketing moderno
Neste mês o tema é sobre Redes Sociais!