Reportagens

Publicidade
Publicidade
Digital

Indústria 4.0: Por que não ignorar essa tendência mundial?

A democratização da tecnologia e as mudanças no mercado de trabalho: a indústria 4.0 é uma realidade às empresas de todo o mundo. Reunimos um guia sobre como a inteligência computacional atuará no setor

Por Jéssica Fernandes - 25/02/2021

Agora é o momento de se falar sobre indústria 4.0!  

Estamos vivendo uma revolução na produção em larga escala e, hoje, é possível enxergar no setor a necessidade de adaptação a processos mais rápidos e inteligentes.  

A indústria 4.0 está transformado a relação de trabalho, trazendo formas conectadas à internet de lidar com máquinas. Assim, empresas de todo mundo estão inovando no uso de tecnologias para ganhos de produtividade integrando diferentes inteligências computacionais de alta conectividade para tornar o processo mais robusto e automatizado.  

O Brasil ainda está no começo da 4ª Revolução Industrial, atrás de países como a Alemanha e Estados unidos. Porém, a tendência é que esse conceito seja cada vez mais difundido e fortalecido no país.  

De acordo com a pesquisa MPI 2020 Industry 4.0, desenvolvida pela SAP, 83% dos líderes de indústria consideram esse tema “extremamente importante”.  

Já começou a corrida pelo desenvolvimento tecnológico no setor e por isso, trouxemos um guia completo sobre o assunto, com ricos insights aos profissionais atuantes na indústria.  

Veja o que você vai ler aqui:  

- O que é indústria 4.0?  
- A indústria 4.0 no Brasil; 
- 6 princípios da indústria 4.0;  
- 8 tecnologias que servem como pilares para a indústria 4.0; 
- A transformação no mercado de trabalho. 

O que é Indústria 4.0?  

indústria 4.0 

Se a indústria 3.0 trouxe a automação, controle e velocidade para a produção, a 4.0 vai potencializar tudo isso ao extremo. Por isso, a base para a indústria 4.0 é o avanço tecnológico trazendo inteligência às máquinas.  

O conceito nasceu na Alemanha, em um projeto liderado por Siegfried Dais e Henning Kagermann. Em 2012, eles apresentaram ao governo alemão e deram o nome de “Plataforma Industria 4.0”.  

O objetivo era incentivar o desenvolvimento tecnologias que tornassem o sistema de produção da indústria mais automatizado, com redução de custo operacional.  

A indústria 4.0 é um termo que retrata a digitalização de tarefas industriais, substituindo o trabalho humano pela automação inteligente da máquina. Por isso, o modelo é diretamente ligado a tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas, 5G, computação em nuvem, big data, robótica, etc.  

Outro elemento fundamental da indústria 4.0 é o monitoramento por completo de todo o processo, que permite o acesso remoto da equipe envolvida ao processo de produção. O objetivo do uso da inteligência de informação computacional é possibilitar a troca de informações rápidas e eficientes entre máquinas e seres humanos.  

Leia mais: Como os softwares de gestão ajudam na adaptação da Indústria 4.0 

A Tesla: 

Algumas empresas têm se tornado referência, como a Tesla. A empresa já adota inteligência artificial robótica de alta conectividade que permite monitorar todo o processo de produção de maneira remota.  

A inteligência computacional da empresa usa o Machine Learning para fazer com que máquinas aprendam o que é certo ou errado, fazendo com que elas tomem as suas próprias decisões.  

O avanço da tecnologia: 

Já existem máquinas programadas para identificar quando o sistema não está operando de maneira correta, sinalizando em questão de minutos defeitos e falhas na operação.  

Assim, o uso dessa tecnologia permite o corte de custo em investimentos como inspeção de maquinário e passa a focar a força de trabalho apenas na resolução de problemas.  

Sugestão de Podcast: MBM Talks - Indústria 4.0  

A indústria 4.0 no Brasil: 

Indústria 4.0 no Brasil 

O Brasil ainda está caminhando de forma tímida em relação ao desenvolvimento da indústria 4.0. Para acelerar o ritmo de transformação digital na indústria, o governo nacional lançou em dezembro de 2020 um centro de estudos e pesquisas para a indústria 4.0, o C4IR Brasil. O objetivo é preparar as empresas brasileiras para as inovações no setor.  

Em 2017, o governo, associações e indústrias se uniram para formar o Grupo de Trabalho para a Indústria (GTI 4.0). Cerca de 50 entidades compõe o grupo, que visa estimular o incentivo à modernização da fábrica.  

Dentre as iniciativas, o grupo propõe pretende fomentar iniciativas para investimento privado em tecnologias e criar medidas em apoio às pequenas e médias empresas nacionais.  

Após muitos debates, o GTI 4.0 finalizou a Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 que prevê medidas de incentivo às indústrias durante a jornada pela transformação digital no setor.  

A agenda foi criada para oferecer amplo suporte aos empresários que estão trilhando esse caminho, incentivando uma competitividade saudável no mercado brasileiro.   

6 Princípios da Indústria 4.0: 

princípios da indústria 4.0 

Para alcançar essa revolução e modernização da indústria, existem 6 princípios que define os sistemas de produção inteligentes:  

1 - Conectividade e Interoperabilidade 

Utiliza da internet das coisas (IoT) para criar uma comunicação entre máquinas, seres humanos e o sistema. Essa comunicação exige uma alta conectividade e a integração à nuvem, permitindo o acesso às mensagens em qualquer dispositivo.  

Com essa tecnologia se torna possível a configuração de alertas, por exemplo, possibilitando a identificação de falhas com mais facilidade.  

2 - Tempo real 

Esse princípio garante um acompanhamento da produção em tempo real, permitindo uma análise de dados de maneira instantânea e tomadas de decisões qualificadas sobre a operação de maneira imediata.  

3 - Virtualização 

Com a instalação de sensores em todos os processos das fábricas, é possível rastrear e monitorar remotamente a operação como um todo.  

Ter esse controle como um todo possibilita que a fábrica identifique oportunidades de corte de custos, melhorias produtivas e assim, planeje alternativas para aumentar a automatização no chão de fábrica.  

4 - Descentralização ou autonomia 

O desenvolvimento tecnológico a ponto de dar autonomia às máquinas, tornando-as aptas a tomar decisões. Porém, essa autonomia é gerada graças a uma programação pré-determinada pela equipe de trabalho.  

Assim, essa tecnologia também auxilia que o gestor crie critérios de acompanhamento do sistema de gestão, podendo acompanhar em tempo real o custo, a capacidade utilizada, a ociosidade, entre outros.  

5 - Modularidade 

A modularidade é uma estratégia ajuda a tornar a alteração de tarefas mais flexíveis durante a produção.  

6 - Orientação a serviços  

Esse pilar refere-se à utilização de softwares como prestadores de serviços, os SaaS (Software as a Service). Essa tecnologia já é muito utilizada através do uso de sistemas de ERP que permitem a centralização da informação, tornando a operação da fábrica automatizada e robusta.  

Leia mais: MBM Solutions – Review do ERP para Indústrias de Médio e Grande Porte 

8 tecnologias que garantem a estrutura da indústria 4.0