Reportagens

Publicidade
Publicidade
Digital

Assistentes de voz começam a quebrar paradigmas em estratégias SEO

Aumento do uso de dispositivos e assistentes de voz faz com que empresas tenham que se adaptar ao novo tipo de busca se quiserem aparecer como resultado em buscas feitas por áudio

Por Thiago Terra - 14/11/2019

Os sistemas de reconhecimento por voz estão cada vez mais populares e as marcas que entendem sua importância para a experiência do seu cliente saem na frente. Um dos principais players destes dispositivos que captam áudio e o transforma em compras ou rotas de GPS é o Google. E para chegar ao patamar em que está a empresa investe constantemente no sistema de reconhecimento de voz. A taxa de erro por palavra-chave em 2013 era de 23%, mas dois anos depois o volume caiu para 8%, até atingir 4,9% em 2019.

Ao todo, de acordo com a Vice-Presidente de Crescimento e Desenvolvimento Estratégico da SEMrush, Maryna Hradovich, o assistente do Google consegue compreender quase 30 idiomas. O ponto crucial levantado por ela no RD Summit 2019 é a mudança de paradigmas para o mercado SEO e o uso de palavras-chave, que deixam de ser apenas pensadas para mobile. “Mais de 30% dos usuários de smartphones em todo o mundo usam pesquisa por voz pelo menos uma vez por semana”, diz Maryna em palestra no evento de Marketing Digital.

Segundo ela, quase a metade (47%) dos usuários americanos esperam aumentar o uso dos dispositivos de voz este ano. “A adoção de assistentes de voz é mais rápida do que qualquer outro dispositivo, como rádio, internet, computador, e até mesmo a TV e o smartphone”, afirma a Vice-Presidente de Crescimento e Desenvolvimento Estratégico da SEMrush.

Pronto para a revolução da voz?

Nos Estados Unidos são cerca de 54 milhões de pessoas que possuem um sistema de voz em casa, com destaque para o ano passado (2018) quando mais de 14 milhões de americanos compraram uma assistente de voz. “Sessenta e cinco por cento das pessoas que possuem o Amazon Echo ou o Google Home (assistentes de voz) não conseguem se imaginar voltando atrás e parando de usá-los”, conta Maryna Hradovich.

Além disso, a VP da SEMrush, sinaliza algumas características do dispositivo Google Home. “Nas URLs de resposta deste dispositivo é mais comum aparecer mais palavras-chaves de link âncora, ou seja, aquelas que estão ligadas a um termo específico ou um CTA”, explica. Por outro lado, para que uma empresa seja encontrada em uma pesquisa de voz, é preciso estar atento a alguns fatores essenciais para os algoritmos:

  • Ranqueamento no topo
  • Snippets em destaque (caixas de resposta rápidas em resultados de busca no Google)
  • Backlinks
  • Contagem de palavras (aproximadamente 42)
  • Facilidade de leitura (perguntas e respostas na mesma página)
  • HTTPS
  • Velocidade da página

Continue acompanhando também a cobertura do RD Summit pelo canal oficial do evento neste link.