Reportagens

Publicidade
Publicidade
Digital

Como aproveitar melhor o marketing de indicação para ampliar vendas

Método criado por Rodrigo Noll mostra em quatro etapas primordiais como as empresas podem aproveitar o poder da indicação para aumentar suas vendas de forma simples

Por Thiago Terra - 13/11/2019

O boca a boa é um dos principais motores do Marketing e tem grande apelo entre os consumidores seja qual for o segmento, estilo e tamanho de uma empresa. Porém, a principal vantagem para uma companhia é que uma indicação significa que o consumidor ficou satisfeito e espera que outra pessoa tenha a mesma experiência.

Entretanto, nem todas as empresas conseguem aproveitar todas as oportunidades que existem quando um cliente a indica e, por isso, Rodrigo Noll, especialista em marketing por indicação, mostra como vender mais através da indicação dos seus clientes em palestra durante o RD Summit 2019, em Florianópolis.

De acordo com Noll, o método eficaz para potencializar e converter as indicações é baseado em quatro etapas: recompensa; mecânica; canais e ativação; e momentos-chave. Ao escolher a recompensa para o método de vendas por indicação não tente subornar seu cliente, entenda quem é a persona, ofereça premiações em duas vias e fuja dos descontos”, ensina o especialista.

Etapas de vendas por indicação

A escolha da melhor mecânica para impulsionar as vendas por indicação deve estar alinhada com o tipo de produto ou serviço vendido pela empresa. “Se é uma recompra frequente, assinatura ou SaaS (software as a service) ofereça prêmios melhores à medida em que as indicações forem aumentando”, diz Rodrigo Noll.

A terceira etapa do método criado pelo especialista potencializar a indicação da empresa em seus próprios canais. “Indicar a sua empresa para um amigo é um processo que precisa ser fácil de fazer e deve estar disponível em todos os pontos de contato com o seu consumidor”, explica o especialista em marketing por indicação.

Em relação aos momentos-chave que compõem o método criado por Noll, o especialista destaca a importância de não ser chato ou deselegante. Por isso, as situações mais propícias são posteriores à resolução de um problema para o cliente, ao fim de um ciclo de sucesso, após uma compra ou a não conclusão dela. “Ninguém recomenda fraldas para quem não tem filhos”, completa Rodrigo Noll.

Continue acompanhando também a cobertura do RD Summit pelo canal oficial do evento neste link.