Spotify: Brasil é o país que mais cresce em adesão à plataforma | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Spotify: Brasil é o país que mais cresce em adesão à plataforma

Há um ano no país, canal de streaming investe para atrair anunciantes e oferece oportunidades de realização de ações diferenciadas, com público segmentado

Por | 30/07/2015

renata.leite@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Thiago PagliusoO Spotify desembarcou no Brasil no fim de maio de 2014 com o desafio de enfrentar concorrentes já presentes há mais tempo no país, como Deezer, Rdio, Xbox Music e Napster. Um ano e 200 milhões de horas de músicas ouvidas depois, o serviço tomou a dianteira no mercado nacional de streaming de música, segundo a própria plataforma - que não abre o número de cadastros por aqui. No mundo inteiro, são 75 milhões de usuários ativos, sendo 20 milhões deles assinantes da versão premium. E o Brasil se destaca nas estratégias da empresa como o país em que a adesão mais cresce em todo o globo. O engajamento dos usuários nacionais também chama atenção. Eles ouvem, em média, 104 minutos diários de música.

Ainda assim, existe um longo percurso a ser trilhado na comparação com mercados mais maduros, como o da Suécia, onde o serviço foi criado e dois terços da população acessam a plataforma. Por aqui, a audiência é formada prioritariamente por jovens: 70% da base têm entre 18 e 34 anos. O desafio é convencer mais consumidores a trocarem a pirataria pelo canal de streaming. Para isso, a empresa conta com o atrativo da versão freemium, em que o usuário não paga nada para ouvir as músicas, mas é impactado por anúncios, sejam banners, audio spots, vídeos e outros formatos de publicidade.

A aproximação com as empresas é uma frente de rentabilização na qual a companhia vem investindo. Em janeiro, Thiago Pagliuso deixou o Google para assumir a Diretoria de Vendas do Spotify Brasil e iniciou esforços para aumentar a equipe que atende aos clientes corporativos. "Hoje, contamos com um time de sete profissionais na área, indo para 10 nos próximos meses. Eles trabalham na otimização e gestão das campanhas, além da geração de insights para os projetos. O mercado pode ter tranquilidade para fazer negócio conosco", ressalta o executivo em entrevista ao Mundo do Marketing.

Segmentação do público atingido
A plataforma publicitária do canal de streaming oferece como atrativo a vasta possibilidade de segmentação das campanhas, seja por geolocalização, gênero, idade, horário e, até, por playlist que está sendo ouvida. O estilo de música pode dizer muito sobre o momento de consumo: se o usuário está praticando atividades físicas, viajando, relaxando ou festejando. Essa contextualização garante uma taxa de clique de, em média, 1%.

O viewability é mais um atrativo. "Os anúncios são supervisíveis no Spotify porque estão sempre bem posicionados. Não existe segundo scroll na plataforma, nem duas marcas aparecem na mesma página ao mesmo tempo. Em outros sites, 40% das peças publicitárias aparecem no segundo scroll. Os anunciantes podem desenvolver também ações diferenciadas no canal", destaca o Diretor de Vendas.

Uma dessas campanhas especiais consiste na criação de um perfil da marca na plataforma, equivalente a um brand channel no Facebook ou a um canal no YouTube. Para ter presença na empresa de streaming, entretanto, é preciso desembolsar um investimento mínimo de R$ 100 mil, que pode ser parcelado em três vezes, para garantir o ambiente. Nele, a companhia inclui suas playlists e tem acesso aos dados de consumo delas, com análises comportamentais dos usuários e até do sentimento do consumidor no momento em que está ouvindo as canções selecionadas. A ferramenta é promissora especialmente para empresas que têm como estratégia fortalecer o pilar de música no Marketing.

Marcas que investem na plataforma
A Gilette é uma das organizações que já marca presença na plataforma, contando com embaixadores celebres: Claudia Leitte, Ivete Sangalo, Sabrina Sato e Gabriel Medina. Esse time faz a curadoria e monta playlists para os fãs da companhia. O sufista campeão do mundo no ano passado, Medina, inclui em sua seleção as canções que o ajudam a se preparar para as competições e que têm relação com o esporte.

A Oakley também investiu no canal. A marca de roupas esportivas criou um canal na plataforma de música por streaming para oferecer playlists montadas especialmente para quem curte pedalar ou correr. A ação faz parte da campanha "One Obsession", lançada no começo deste ano para estreitar o relacionamento com os jovens. O objetivo é unir a prática de exercícios e a música em sua ação de Marketing, dois universos que dialogam intensa e harmonicamente.

Na virada de setembro para outubro, a plataforma traz para o Brasil seu concurso Emerge, que dá destaque a artistas que estão emergindo no cenário musical. Os usuários do Spotify podem votar durante cerca de 10 semanas para que seja apontado um vencedor. O projeto já acontece em outros países, como nos Estados Unidos, onde caminha para a oitava edição. A banda inglesa Bastille, que está fazendo sucesso ao redor do mundo, é uma das que foi descoberta por meio do concurso. Agora, o Spotify busca um patrocinador para a competição.

Carolina BaracatApresentando o serviço de streaming
Aos poucos, o mercado nacional ganha relevância entre os 58 países nos quais o serviço está disponível. "Conseguimos identificar atributos associados à marca pelos usuários que realmente pertencem a ela, como inovação, autenticidade e confiança. O nosso desafio começou abrangente, porque a categoria de streaming ainda era nova no Brasil. Na verdade, ainda é. Nem todo mundo entende o que significa um aplicativo de música. Há um ano, tínhamos que lançar a marca e apresentar a categoria", conta Carolina Baracat, Head de Marketing do Spotify para a América Latina, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Uma das primeiras iniciativas de Marketing da companhia sueca no país buscou mostrar que as pessoas têm uma trilha sonora que representa a própria vida. "Existem músicas que remetem a lembranças muito pessoais e tão importantes que merecem ser eternizadas. Por isso, trouxemos tatuadores no programa televisivo New York Inc para registrar letras na pele de celebridades. Esse conteúdo resultou em mais de 1,5 milhão de interações em mídias sociais. Esse foi o primeiro conceito trabalhado para dizer que todas as musicas da vida estão no Spotify", diz Carolina.

Depois desse trabalho mais voltado para o conceitual, o Spotify realizou campanhas para trabalhar o produto, falando sobre as playlists e as possibilidades de se descobrir novos artistas na plataforma. A marca também vem realizando parcerias com festivais de música, como o Sofar e o João Rock. Para este último, a plataforma de streaming levou um zeppelin, que ficou sobrevoando o evento e chamou a atenção dos presentes. Para completar as ações de Marketing, a companhia também convida personalidades para criarem playlists no canal e estabelece parcerias com canais e programas de TV, que incluem seleções de músicas na plataforma.

Leia também: Ranking das marcas mais amadas no Brasil. Pesquisa no Mundo do Marketing Inteligência. Conteúdo exclusivo para assinantes.

Top10

Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss