Profissão de analista de e-commerce passa a ser reconhecida pelo Ministério do Trabalho Bruno Mello 16 de março de 2022

Profissão de analista de e-commerce passa a ser reconhecida pelo Ministério do Trabalho

         

Outras 21 ocupações foram incluídas na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), como o oficial de proteção de dados pessoais (DPO)

Profissão de analista de e-commerce passa a ser reconhecida pelo Ministério do Trabalho
Publicidade

O e-commerce ganhou ainda mais força desde o começo da pandemia, obtendo resultados recordes nos últimos anos, segundo a mais nova edição do estudo Consumer Insights, produzido pela Kantar. A valorização desse segmento é tanta que o Ministério do Trabalho passou a incluir a função de analista de e-commerce na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO).

Isso facilita o gozo de direitos trabalhistas e previdenciários pelo profissional e tenha reconhecimento pelo Ministério do Trabalho sobre seu exercício profissional. Os dados da CBO servem de base para o governo formular políticas públicas de emprego e leva em conta as mudanças nos cenários econômicos, culturais, tecnológicos e sociais do país.

Outro cargo que passou a ser reconhecido é o oficial de proteção de dados pessoais (DPO), que passou a ser ainda mais importante dentro das empresas após a entrada do Marco Civil da Internet e da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) no Brasil.

A importância do analista de e-commerce

Trabalhar nessa área está entre as principais tendências no Marketing, isso porque este profissional é responsável pelas atividades e operações relacionadas a uma loja virtual e, esse trabalho, envolve o cadastro de produtos, relacionamento com os clientes e processamento dos pedidos.

Publicidade

Além disso, um analista de e-commerce também cria campanhas de Marketing digital voltadas para divulgação da loja e seus produtos. Ele também deve ter domínio sobre redes sociais, anúncios para web e análise de métricas.

A vivência do analista de e-commerce envolve diferentes campos, como o Marketing e a logística, por isso a formação dele deve ser constante para se manter atualizado em cada nova inovação que o mercado oferece ao setor. De acordo com levantamento feito pela Catho, a média salarial dessa profissão é de R$ 2.447,13.

Leia também: 5 dicas para melhorar a experiência do cliente no e-commerce

Confira as 22 profissões

Analista de e-commerce

Condutor de turismo náutico

Controlador de acesso

Engenheiro de energia

Engenheiro biomédico

Engenheiro têxtil

Estampador de placa de identificação de veículos (PIV)

Guarda portuário

Greidista

Inspetor de qualidade dimensional

Obstetriz

Oficial de proteção de dados (DPO)

Operador de manutenção e recarga de extintores de incêndio

Operador de usina de asfalto

Perito judicial

Policial penal

Profissional de organização

Skatista profissional

Somelier

Técnico em agente comunitário de saúde

Tecnólogo em agronegócio

Técnico em dependência química


Publicidade
Oferta Antecipada Prime Day