Notícias Corporativas

Área de tecnologia domina lista de vagas de empregos em alta em 2022

Segundo o LinkedIn, maioria das ofertas de vagas com grande demanda nos últimos cinco anos e que estarão em alta neste ano vai para profissionais de tecnologia da informação ou ligada ao setor de tecnologia das empresas. Quem atua com desenvolvimento de softwares deve estar atento às novidades na área.

São Paulo, SP

Categoria: Tecnologia

Autor: DINO

Data de Publicação: 20/01/2022
DINO

Em um levantamento realizado em sua própria base de dados, o LinkedIn listou as 25 vagas de trabalho que tiveram alta demanda nos últimos cinco anos e continuarão oferecendo postos em 2022. A maioria das oportunidades está na área de tecnologia da informação ou listadas nesse setor dentro das empresas.

Para criar a lista, os pesquisadores da plataforma examinaram milhões de empregos iniciados por usuários dentro da rede entre janeiro de 2017 e julho de 2021. Segundo o LinkedIn, os pesquisadores calcularam uma taxa de crescimento para cada cargo. E para fazer parte da lista, os cargos precisavam ter um crescimento consistente na base de usuários, além de terem registrado um aumento expressivo em 2021. A lista completa pode ser acessada aqui.

Para quem atua com desenvolvimento de softwares ou quer começar a atuar nessa área, que exige atualização constante, é preciso estar atento às tendências de programação previstas para este ano. De acordo com o desenvolvedor de softwares Charles Schneider Pereira, um bom termômetro para entender o que será mais demandado na área é consultar a plataforma Tiobe, que lista as linguagens de programação mais utilizadas no mundo e é atualizada mensalmente.

“Este índice é muito bom para quem quer aprender a programar, ou está pensando em aprender outra linguagem, escolher uma das mais utilizadas. Além disso, ele mostra se determinada linguagem caiu ou subiu no ranking e, quando se clica sobre uma das linguagens, é exibido um gráfico mostrando a evolução da adoção da opção escolhida. No início de 2022, Python, seguida de C e Java estão no topo da lista, por exemplo”, informa. 

Na subárea de arquitetura de software, segundo Pereira, a ferramenta Event-Driven Architecture (EDA) deve ganhar mais espaço neste ano, pois têm se consolidado como alternativa ao uso de APIs (Interfaces de Programação de Aplicação na sigla em inglês) síncronas, mais frágeis e com problemas de escalabilidade. Outra subárea, a cultura de DevOps (que integra desenvolvimento e operações, usada para criar produtos melhores e mais confiáveis) continua na vanguarda das tendências, avalia o desenvolvedor.

 “Embora já amplamente consolidada, muitas empresas ainda estão engatinhando em sua adoção, já que se trata não apenas de uma mudança e adoção de ferramentas, mas uma mudança de cultura. Existem e vão existir ainda mais oportunidades para profissionais não apenas técnicos, mas que conheçam e saibam lidar com aspectos do negócio e entendam como ele é impactado pelo o DevOps”, complementa.

Inteligência Artificial como ferramenta no auxílio ao desenvolvimento, Computação em Nuvem e Segurança da Informação em alta no setor de TI

Para quem está pensando em entrar na área de tecnologia e ainda não sabe quem que subárea focar, a Inteligência Artificial ainda é um campo cheio de possibilidades, especialmente para desenvolvedores. Charles Schneider Pereira aposta que a ferramenta GitHub Copilot, que ajuda a realizar testes, encontrar bugs e até repetir códigos ao longo de um processo de desenvolvimento, vai fazer parte da vida dos desenvolvedores muito em breve.

“Há até uma função de "autocompletar" que reconhece as possibilidades futuras e sugere alternativas ou soluções de linhas inteiras de código ao usuário. Esse tipo de assistente vai cada vez mais fazer parte da vida dos programadores e, em breve, deverá fazer parte nativamente das ferramentas de desenvolvimento como Visual Studio e Visual Studio Code, onde já pode ser instalado como extensão”, aposta. 

Quando se fala em computação em nuvem, essa tecnologia vai substituir cada vez mais data centers locais, tendo a nuvem pública como principal infraestrutura utilizada por empresas, startups e governos. “Para quem toma as decisões em empresas digitais, é hora de pensar muito sério sobre a adoção da computação em nuvem. Para quem desenvolve software, aconselho a criar uma conta grátis em algum provedor, como AWS ou Azure, e começar a aprender e fazer alguns cursos”, comenta Pereira.

Outra importante área do setor, que tem recebido maior atenção das empresas e que tem alta oferta de vagas é a da segurança da informação. Na lista do LinkedIn, o cargo de especialistas em cibersegurança aparece em quarto lugar. O desenvolvedor Charles Schneider Pereira ressalta que a maior utilização da computação em nuvem tem democratizado o acesso a soluções robustas de segurança, possibilitando inovações e ficando mais acessíveis a empresas de todo porte.

“O acesso a estas soluções de segurança é muito importante, porque essa questão vem se tornando cada vez mais parte fundamental do desenvolvimento de software, mas sempre teve seus impedimentos, principalmente pela questão de custos, que, em muitos casos, tornava-se um impeditivo na adoção de soluções melhores e era utilizado somente por grandes empresas”, conclui o especialista.



Website: https://www.linkedin.com/in/charlessp
Publicado por: dino

Este conteúdo de divulgação comercial é fornecido pela empresa DINO e não é de responsabilidade do Mundo do Marketing.