Notícias Corporativas

Brasileiros agora podem contar com teste rápido para detecção do Coronavírus, que é usado em vários países do mundo

Em apenas 10 minutos esse teste indica um resultado seguro e confiável para a detecção de casos da doença, identificando: quem está com a infecção ativa, quem já tem os anticorpos e quem ainda não teve contato com o vírus.

Sete Lagoas/MG

Categoria: Ciência & Saúde

Autor: DINO

Data de Publicação: 05/06/2020
DINO

Os últimos meses tem mudado completamente a vida de todos pelo mundo. É que devido à pandemia do novo Coronavírus, restrições (muitas vezes rigorosas) têm sido aplicadas a fim de evitar a disseminação da doença.

A COVID-19, como foi denominada a doença provocada por esse novo tipo de Coronavírus, até então responsável somente por sintomas simples de resfriados e com baixa taxa de contaminação, surgiu no início de dezembro de 2019 em Wuhan, na China e inicialmente foi tratada como “pneumonia de causa desconhecida”.

Em 31 de dezembro a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi notificada dos primeiros casos e, devido à sua alta capacidade de contágio, a doença rapidamente se espalhou pela China e outros países. Já em 11 de março de 2020 a COVID-19 era considerada uma pandemia, com surtos de alcance mundial.

Desde as primeiras notificações até o dia 18 de maio de 2020, foram contabilizados no mundo 4.618.821 casos, com 311.847 mortes. Já no Brasil, até essa data, foram notificados oficialmente 233.142 casos, sendo 15.633 mortes.

Mas esses números não param de crescer e, segundo especialistas, essas estatísticas não representam os números reais de contaminados e mortos, já que a falta de estrutura e materiais disponíveis, não possibilitam uma testagem em massa, que é o ideal nesses casos.

Fazer exames no maior número de pessoas é importante para se ter noção da real proporção da doença e para que autoridades de saúde possam elaborar estratégias assertivas para o combate à disseminação do vírus.

Fazer o teste também permite que as pessoas saibam se estão ou se já foram contaminadas, podendo tomar decisões em prol da sua segurança e das pessoas que mais amam.

Além das medidas de cuidado e higiene, amplamente divulgadas à população em geral, o distanciamento e isolamento social são as medidas mais efetivas para bloquear a disseminação do vírus. Tendo a dimensão mais real da pandemia, essas medidas de isolamento social, por exemplo, podem ser mais bem planejadas, evitando que ações sejam tomadas com atraso ou que sejam muito rigorosas sem necessidade.

Mas o grande problema é que o exame padrão ouro para a identificação do Coronavírus, o teste molecular RT-PCR, está restrito somente à uma pequena parcela da população devido à alta demanda. Nele a detecção do material genético do vírus é feita através de uma amostra de secreção colhida do paciente (Swab).

Porém, como a demanda está altíssima e são poucos os laboratórios credenciados para a realização desse teste, o prazo de espera pelo resultado está alto, chegando a 15 dias. Isso impede tomadas de decisão mais assertivas, já que a demora nos diagnósticos atrasa a contagem do número de pessoas contaminadas.

Mas, diante da falta de capacidade em realizar o exame de RT-PCR de forma maciça e para uma identificação mais ágil da COVID-19, a ANVISA tem regulamentado e autorizado a aplicação de testes rápidos, que identificam a presença de anticorpos criados pelo organismo para combater o Coronavírus.

Esses testes rápidos ajudam a ampliar a rede de testagem, aliviar os laboratórios e reduzir a demanda nos serviços públicos. Por isso, farmácias e drogarias também foram autorizadas pela ANVISA a realizá-los na população. 

Essa medida dá à população em geral mais acesso aos exames que detectam a COVID-19, já que nos hospitais e postos de atendimento esse teste não está sendo realizado em todos, mesmo para muitos daqueles que apresentam os sintomas da doença.

Frente à pandemia e à disseminação da doença, muitos dos testes rápidos disponíveis no Brasil foram aprovados pela ANVISA de forma emergencial, mesmo não tendo as devidas autorizações de utilização pelos seus governos de origem. Por isso, quem for realizar esses testes rápidos deve ficar atento à qualidade do exame, para que haja uma maior confiabilidade no resultado.

Visando oferecer exames realmente confiáveis e para ajudar a suprir a grande demanda, o grupo Contourline, empresa mineira com sede em Sete Lagoas e já atuante no país nos segmentos de equipamentos médicos e estéticos, em parceria com a Egens Diagnostics, traz para o Brasil o dispositivo de teste rápido COVID-19 IgG / IgM - Colloidal Gold.

Esse dispositivo tem origem Chinesa, país onde surgiram os primeiros casos do Coronavírus, e é um teste imunocromatográfico para a detecção rápida, qualitativa e diferencial de anticorpos IgG e IgM para o novo Coronavírus no sangue humano.

Em apenas 10 minutos esse teste indica um resultado seguro e confiável para a detecção de casos da doença, identificando: quem está com a infecção ativa, quem já tem os anticorpos e quem ainda não teve contato com o vírus.

O exame é realizado de forma simples, através de uma pequena amostra de sangue do paciente, retirada da ponta do dedo. Após isso, essa amostra é colocada no dispositivo de teste e diluída em uma solução específica. De 2 a 10 minutos o resultado já poderá ser identificado. Mas esses resultados devem ser interpretados somente por profissionais habilitados e considerados juntamente com o histórico clínico do paciente.

A eficácia desse tipo de teste, bem como sua probabilidade para apontamentos falso-positivos ou falso-negativos é indicada pelas taxas de sensibilidade e especificidade. Quanto mais altas essas taxas, mais confiáveis são os resultados. No caso do teste rápido COVID-19 IgG / IgM - Colloidal Gold, essas taxas são de 96,9% de sensibilidade (relacionada à resultados falso-negativos) e 100% de especificidade (relacionada à resultados falso-positivos).

Além das excelentes taxas de sensibilidade e especificidade, a segurança e confiabilidade desse teste é garantida também por certificações nacionais e internacionais, inclusive do seu país de origem, a China. A qualidade também é garantida pela presença e utilização do teste em vários países, como Portugal, Holanda, China, Espanha, Reino Unido, Austrália, África do Sul, Itália, Índia, Alemanha, dentre outros.

No Brasil esses testes já estão disponíveis, com registro e autorização da ANVISA para comercialização. Além disso, todos os itens do kit são fornecidos em embalagens lacradas e livres de contaminação, tendo passado por testes rigorosos de usabilidade e biocompatibilidade.



Website: https://contourline.com.br/covid-19/
Publicado por: dino

Este conteúdo de divulgação comercial é fornecido pela empresa DINO e não é de responsabilidade do Mundo do Marketing.