Multinacionais de pesquisa apostam alto no Brasil 23 de março de 2010

Multinacionais de pesquisa apostam alto no Brasil

         

TNS, GFK e Ipsos ampliarão seus investimentos no país

Publicidade

<p>Se o Brasil continuar crescendo como nunca antes na história deste país e chegar a quinta potência mundial, as empresas de pesquisa aproveitarão para ampliar seus negócios no país. É o que afirmam os principais executivos de algumas das maiores empresas de pesquisa do mundo, como TNS Ri, GFK e Ipsos. Para elas, o Brasil é o principal mercado na América Latina. Em 2008, o faturamento das empresas de pesquisas no país cresceu 4,5%, caiu 6% em 2009 e esperar fechar 2010 com aumento de 3%.<br /> <br /> Um estudo da GFK que mostra a força da marca dos países indicou o Brasil em 20º lugar entre os 50 pesquisados, à frente de todas as outras nações emergentes. “O Brasil é a grande estrela da América Latina e é um país que crescerá estonteantemente”, afirma Petra Heinlein, executiva do board da GFK. “Antes não sabíamos qual seria a nossa história no Brasil, hoje sabemos que ela será muito feliz”, adiciona Carlos Harding, Charman da Ipsos LA.<br /> <br /> A TNS Ri dá o tom da aposta das multinacionais no Brasil. Pedro Ros, CEO da TNS, quer transformar a operação brasileira em um centro de referência mundial. Aqui, a empresa passou por dois processos de fusões nos últimos dois anos e foram os mais rápidos entre os cinco que o executivo já acompanhou. O caminho agora é fazer o que o cliente deseja. “A mensagem do cliente é bem clara: eles querem ideias e insights para inovação”, aponta Ros. <br /> <br /> Outro desafio para as empresas é o treinamento. Por isso a TNS criará uma academia para desenvolver os profissionais de pesquisa que serão demandados a trabalharem cada vez mais com projetos mundiais e em ações locais que dêem suporte às matrizes internacionais. “Temos desafios que se transformam em oportunidade e o Brasil deve liderar a América Latina”.<br /> <br /> Para quem está no Brasil, o momento não poderia ser melhor. Augusto Montenegro, Presidente do grupo Ibope, acredita que o país está em uma posição interessante com relação ao mercado de pesquisa e crescerá ainda mais. “O Brasil está fadado a crescer e é muito bom ver essas grandes empresas mostrando confiança no país”, diz Montenegro, durante o Painel de CEO’s no Congresso da Abep.</p> <p style="text-align: center;"><img height="333" width="500" src="/images/materias/multinacionais-pesquisas-apostam-brasil.jpg" alt="Multinacionais de pesquisa apostam alto no Brasil" /></p> <p style="text-align: center;"><strong>Carlos Harding, Pedro Ros e Petra Heinlein</strong></p>


Publicidade
Amazon Prime Day