Mulheres mudam hábitos alimentares após terem filho 26 de abril de 2011

Mulheres mudam hábitos alimentares após terem filho

         

Estudo da Sophia Mind quer entender a relação das mães com produtos de alimentação infantil

Publicidade

<p>Após o nascimento dos filhos, 66% das mães mudam os hábitos alimentares da família. É o que aponta uma pesquisa realizada pela Sophia Mind para entender a relação das mães com os produtos de alimentação infantil. Os dados revelaram que 73% das mulheres preparam a comida dos filhos, seguidas pelas avós, com 13%, e a empregada, com 8%. A fonte de informação mais confiável para elas é o médico, com 84%, superando os avôs (67%) e os sites especializados (35%).</p> <p>As entrevistadas consideram alimentos saudáveis, como legumes e verduras, essenciais na dieta das crianças, com 81%. Em seguida, aparecem frutas, com 78%. Pouco mais da metade (52%) acredita ser importante evitar comer besteira durante a semana, mas abrem exceções aos sábados e domingos. Em relação aos lançamentos, quase metade das mães afirmou que experimenta as novidades do mercado, independentemente da marca, indicando pouca fidelidade na categoria. A primeira marca que elas pensam é a Nestlé e uma boa promoção faria com que 22% trocassem de produto. </p> <p>Para 84%, o que determina a escolha dos alimentos é o equilíbrio entre preço e qualidade. Segundo a pesquisa, nenhuma delas disse que compraria o mais barato para o filho. A qualidade influencia, principalmente, na compra de produtos como papinha (65%), leite comum (56%) e água mineral (53%). O estudo contou com a participação de 402 mulheres, com idades entre 18 e 50 anos, mães de crianças entre um e 10 anos e as principais responsáveis pela compra de alimentos infantis na casa.</p>


Publicidade