Mono-negócios 15 de março de 2010

Mono-negócios

         

Estratégia

Publicidade

<p style="text-align: justify"><span style="font-family: "><font size="3"><img alt="" align="right" width="250" height="267" src="/images/materias/Blog%20Beth/Brigaderia.jpg" />A criatividade tem muitas definições. Uma delas é: “<span style="mso-bidi-font-style: italic">criatividade é o processo de tornar-se sensível a problemas, deficiências, lacunas no conhecimento, desarmonias …"</span> (Torrance, 1965). “Tornar-se sensível”, enxergar, olhar para o comum e perceber o extraordinário. Este é um conceito democrático: é uma opção ser sensível. Ou não. </font></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="font-family: "><font size="3">De vez em quando surgem negócios singelos e pra lá de criativos de tão sensíveis. Por exemplo, negócios que vendem um produto só, como a Maria Brigadeiro e a Brigaderia. As duas marcas vendem um dos doces ícones brasileiros em versões gourmets: o brigadeiro. </font></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="font-family: "><font size="3">Os sabores trafegam por experiências exóticas, brasileiras, etílicas, clássicas, castanhas e por aí vai.<span style="mso-spacerun: yes">  L</span>ojas que vendem apenas um produto são uma obviedade em alguns segmentos ( como celulares) e em outros, uma prática muito inventiva. Então é assim. Pessoas sensíveis reinterpretam o mundo. <o:p></o:p></font></span></p>


Publicidade