Marketing vai ser algo muito diferente no futuro 24 de junho de 2015

Marketing vai ser algo muito diferente no futuro

         

E talvez nem exista mais

Publicidade
Prime Day

"O futuro do marketing é não haver marketing algum". Em um painel patrocinado  pela Salesforce e recheado de executivos de marcas importantes, como Coca-Cola e Louis Vuitton, quem teve a coragem de dizer a frase acima foi o artista Will.i.am. Reproduzia com sinceridade o que muita gente já percebeu – as práticas do passado já não funcionam mais no presente e as marcas, para serem relevantes, terão que se importar genuinamente com os consumidores que atendem.

As mudanças nas regras do jogo estão fazendo com que agências tradicionais repensem os seus negócios. Na palestra que fez ontem, Chuck Porter mostrou como a CP+B agora desenvolve produtos e terceiriza a gestão de marketing de seus clientes. Hoje foi a vez de Bob Greenberg, que já havia posicionado no passado a sua R/GA como uma empresa de consultoria de negócios, apresentar sua unidade aceleradora de startups. Com foco em tecnologia, claro. Diversificam as atividades para manter a relevância.

Dia após dia, o Cannes Lions Festival mostra que o repertório de agências e anunciantes está mesmo mudando dramaticamente. Uma coisa, porém, permanece igual – a convicção de que as marcas devem seguir fieis às suas identidades, fornecendo orientação segura aos consumidores neste oceano de informação pelo qual navegamos hoje. Bons exemplos disso foram apresentados na ótima palestra sobre design com os fundadores da Turner Duckworth, que mostrou entre outras coisas, o trabalho de redefinição do logo e novo ícone da Levi's.

Então ficamos assim. Marcas seguem sendo importantes, desde que sejam genuínas, se importem com as pessoas e mantenham-se fieis às suas identidades. Mas a maneira como elas se relacionam com seus clientes, isso vai mudar completamente. E a mudança já começou.


Publicidade