Marcas se posicionam quanto a crise migratória 8 de setembro de 2015

Marcas se posicionam quanto a crise migratória

         

Empresas participam da rede de doações a refugiados

Publicidade

A foto do corpo do menino sírio de três anos Aylan, que apareceu morto em uma praia da Turquia, rodou o mundo na última semana e fez com que países europeus abrissem suas fronteiras para imigrantes. Algumas marcas, entretanto, já vêm se posicionando a mais tempo em relação à crise humanitária pela qual a população do país em guerra civil passa, como mostrou reportagem do Advertising Age.

Entre as companhias que já agiram em prol dos refugiados, está a companhia Kimberly-Clark, que enviou papel higiênico, lenços, fraldas e tampões de ouvido para a campanha #HelpCalais. A iniciativa também conta com o apoio da Amazon, que criou uma lista com os itens de primeira necessidade para incentivar as doações entre seus clientes.

Já a Big Yellow disponibilizou sua infraestrutura de armazenagem para dar suporte às ações de doações. Há ainda marcas que estão usando suas redes sociais para incentivar as mobilizações da sociedade ao redor do planeta, como a O’Porter e o e-commerce Asos. O time de futebol alemão Bayern Munich, por sua vez, optou por doar a quantia de um milhão de euros a projetos que atendem os refugiados.

Crise migratória, crise síria


Publicidade