Marcas devem unir vendas e propósito 24 de junho de 2015

Marcas devem unir vendas e propósito

         

Marcas devem unir vendas e propósito

Publicidade

Keith Weed, CMO da Unilever, trouxe ano passado para o Cannes Lions o conceito do 'Marketing pelas Pessoas'. Recordando, hoje a maior parte das marcas faz marketing para pessoas (leia-se, para vender para pessoas). Algumas fazem marketing com as pessoas (co-creation, social media). Mas poucas fazem marketing pelas pessoas, ou seja, com propósito.

Este ano Weed voltou ao tema do 'Marketing pelas pessoas', mostrando belas histórias de campanhas de Dove (não deixe de ver esse incrível vídeo onde mulheres são levadas a escolher entre duas entradas, uma para mulheres bonitas e outra para mulheres comuns) e outros exemplos do Projeto Bright Future, para defender a ideia de que é possível promover vendas com propósito (purchase with purpose). Em resumo, para a Unilever, é possível mudar o mundo por meio do fomento de projetos sociais ao redor do mundo e ao mesmo tempo não perder o foco nos negócios.

Mas Weed não se limitou a falar apenas de propósito e de storytelling. Aproveitou a oportunidade para também colocar o dedo na ferida provocada pela confusão que hoje domina o mundo da mídia com a mistura da publicidade tradicional e a digital. De quebra, criticou ainda os sites que cobram por visibilidade e utilizam robôs para elevar a taxa de visualizações dos anúncios de seus clientes. 


Publicidade