Mais da metade da população é contrária à união estável entre homossexuais, diz pesquisa 28 de julho de 2011

Mais da metade da população é contrária à união estável entre homossexuais, diz pesquisa

         

Estudo do Ibope aponta que as mulheres, os jovens, os mais escolarizados e as classes mais altas são mais favoráveis à decisão

Publicidade
Oferta Antecipada Prime Day

<p style="text-align: justify">Mais da metade dos brasileiros é contrária ao casamento de pessoas do mesmo sexo. É o que diz uma pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, com 2.002 entrevistas domiciliares, em 142 municípios do território nacional, ouvindo a população de 16 anos ou mais. A decisão do STF em autorizar a união estável para casais homossexuais não é aceita pela maioria da população do país e apenas 45% dos entrevistados são favoráveis à nova lei.</p> <p style="text-align: justify">O estudo aponta que entre as pessoas mais condescendentes com o tema estão as mulheres, os jovens, os mais escolarizados e as classes mais altas. A maioria dos homens (68%) é contra a decisão do STF, enquanto somente 48% da população feminina possui a mesma opinião. Entre os jovens de 16 a 24 anos, 60% estão de acordo com a Justiça, enquanto os maiores de 50 anos são majoritariamente contrários (73%). Já entre as pessoas com formação até a quarta série do fundamental, 68% são contra a determinação. Por outro lado, apenas 40% dos brasileiros com nível superior não concordam com a medida. Nas regiões Nordeste e Norte/Centro-Oeste os entrevistados dividem a mesma opinião, são 60% contra. No Sul, 54% não concordam e, no Sudeste, o índice de desaprovação cai para 51%.</p> <p style="text-align: justify">Sobre a adoção de crianças por casais do mesmo sexo, os resultados seguem a mesma tendência. Grande parte dos brasileiros (55%) também rejeita a ideia. Novamente, entre os homens o indicador é mais alto (62%), assim como entre as pessoas maiores de 50 anos (70%). A crítica também se confirma entre os entrevistados com baixa escolaridade, cuja contrariedade chega a 67%. Em termos regionais, os que se declaram contrários são 60% do Nordeste, 57% no Norte/Centro-Oeste, 55% no Sul e 52% no Sudeste.</p> <p style="text-align: justify">Questionados sobre a possibilidade de um(a) amigo(a) revelar ser homossexual, a pesquisa identificou que a rejeição da população é visivelmente menor do que a apresentada nas  outras duas perguntas. Para a grande maioria (73%), esta hipótese não os afastaria dos seus amigos. Outros 24% disseram que afastariam muito ou pouco e 2% não souberam responder. Embora com menor intensidade, o mesmo padrão de opinião nas respostas anteriores se repete no comparativo ao sexo, faixa etária, nível de escolaridade e região do país.</p> <p style="text-align: justify"> Em relação a cargos públicos exercidos por homossexuais, o levantamento indica que apenas 14% da população afirma ser total ou parcialmente contra o exercício de médicos no setor público, 24% como policiais e 22% como professores. No tocante às diferenças de opinião de acordo com a religião dos entrevistados, o estudo identifica que a maior aceitação é pelas pessoas cuja crença foi classificada na categoria “outras religiões”, com 60%. Entre os católicos e ateus, 50% e 51% são favoráveis à união estável de pessoas do mesmo sexo, respectivamente. Já os evangélicos e os protestantes se mostram mais resistentes, apenas 23% alegam ser a favor.</p> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"> </div> <p style="text-align: center"><img alt="" width="406" height="287" src="/images/materias/uniao_homoafetiva.jpg" /></p>


Publicidade