Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Entrevistas

Publicidade

Hermes diversifica os negócios de olho em todas as classes

Depois da venda por catálogo, a empresa aposta no comercio virtual e na operacionalização de campanhas de incentivo

Por | 27/11/2006

bruno@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Hermes diversifica os negócios de olho em todas as classes

Por Bruno Mello
bruno@mundodomarketing.com.br

A Hermes iniciou a sua história no varejo há 64 anos com a venda de relógios suíços em anúncios de jornais e pagos por meio de reembolso postal. Mas, de 1942 até os dias de hoje, a empresa mudou. Em 1989, se aprofundou no mercado de baixa renda com a criação do Catálogo Hermes e em 2003 passou a trabalhar também com as classes A e B com o Compra Fácil, a loja virtual do grupo.

Mais recentemente, a Hermes passou a oferecer serviços de produção e logística para empresas que não querem ter trabalho com a operacionalização dos programas de incentivo e de fidelidade. Com um dos maiores centros de distribuições da América Latina, a companhia vai fechar o ano de 2006 com faturamento perto de R$ 410 milhões e espera crescer ainda mais, conforme explica Gustavo Bach (foto), diretor de Marketing da empresa, em entrevista ao Mundo do Marketing.

A Hermes fechou uma parceria recente com a BR Distribuidora. Como será este trabalho?
É uma parceria em que seremos responsáveis pela distribuição de prêmios da campanha de incentivo dos frentistas da BR. Faremos toda a parte de logística de entrega um a um.

O que a Hermes vem oferecendo ao mercado diante da diversificação que temos visto?
Fazemos não só a parte logística, mas toda a preparação das campanhas de incentivo e fidelização de empresas como Wella, Incentive House e Banco do Brasil. No caso Wella, fazemos a premiação dos salões de beleza que mais compram produtos da empresa. Montamos o catálogo junto com a Wella, compramos os produtos e entregamos para os ganhadores. Hoje temos capacidade de expedir 35 mil encomendas por dia. Temos o maior parque de marketing direto da América Latina.

Quando começou o processo de diversificação?
A empresa foi fundada em 1942 e sempre fez venda por reembolso postal até 1989, quando começamos com o catálogo para revendedoras. E o Compra Fácil surgiu em 2001, com a venda e distribuição de produtos do Rock In Rio naquele ano. Mas só passamos a investir no site mesmo em 2003. As vendas corporativas começaram há um ano.

A empresa vem diversificando seus portfolio de serviços, agora com foco no marketing. Quais são as áreas de atuação?
Temos três canais de vendas. O principal é o Catálogo Hermes que tem 400 mil revendedoras (um número que vai crescer 12% este ano). O Catálogo representa 60% do negócio. Temos um outro canal que é de reembolso postal, que foi como a empresa começou. E o canal mais novo, que é o Compra Fácil. Os dois primeiros produtos são direcionados para as classes C, D e E. Já o Compra Fácil tem foco nas classes A e B, já que é um site de vendas na internet. Este canal já representa quase 30% do faturamento do grupo.

Como foi a estruturação deste novo negócio e como ele fica posicionado com o surgimento de um grande player no mercado - com a fusão entre a Americanas.com e o Submarino?
Temos um diferencial que os concorrentes, sejam eles grandes ou pequenos, não têm, que é um catálogo. Grande parte do público que acessa o site é provocado por um catálogo que recebe em casa. Com ele, chegamos à casa das classes A e B fora dos grandes centros. A nossa estratégia é chegar aos locais onde há um público potencial. Este ano, os catálogos do Compra Fácil tiveram tiragem de 10 milhões.

Com certeza eles (Americanas.com e Submarino) vão ganhar um grande poder de compra. Porém, eles vão continuar não atingindo o público que o Compra Fácil atinge, já que trabalhamos muito bem o catálogo. Acho que temos uma oportunidade muito grande para brigar com as outras empresas que não são tão grandes porque trabalhamos com produtos diferenciados e exclusivos. Será uma briga de foice com mais dois players (Magazine Luiza e Extra) para definir quem vai ser o número dois. Estamos brigando para ser terceiro e segundo em breve.

E o catálogo da Hermes?
Vamos fechar este ano com uma tiragem de 15 milhões, lembrando que este é focado nas classes C, D e E.

Este é um público que todo mundo está de olho hoje em dia.
Temos a expertise dessas classes desde a década de 70. É um público cativo. As 400 mil revendedoras fizeram compras pelo menos nos últimos seis meses. E tratamos bem este público porque precisamos dele, fazemos campanhas de incentivo a vendas e de fidelidade.

Como fica a venda por catálogo com o crescimento das vendas pela internet?
Não acho que uma coisa vai matar a outra. Na Europa e nos Estados Unidos todas as empresas de vendas a distância tem o catálogo e a loja virtual. Uma coisa completa a outra porque muitos dos nossos clientes recebem o catálogo em casa e optam por fazer a compra pelo site. Uma coisa impulsiona a outra.

Acesse
www.hermes.com.br
www.comprafacil.com.br

Comentários


Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss