Camiseteria subverte o mercado da moda e vende o que consumidor quer | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Cases

Camiseteria subverte o mercado da moda e vende o que consumidor quer

No site, o consumidor faz o produto, vota nos melhores modelos e a empresa só produz os que eles querem

Por | 03/03/2008

bruno@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Camiseteria subverte o mercado da moda ao vender o que consumidor quer

Por Bruno Mello
bruno@mundodomarketing.com.br

A música de Gilberto Gil pergunta com que roupa eu vou e diz que o dinheiro não é fácil de ganhar. Sem capital, uma idéia de Fabio Seixas e Rodrigo David deu samba. Pela Internet, eles vendem camisetas e estão faturando mais de R$ 1 milhão por ano. O modelo é simples. Os próprios consumidores sugerem as estampas, os internautas votam nas que mais gostam e as que têm melhor posição no ranking são produzidas.

O negócio surgiu quando o designer Rodrigo Davi participou de um concurso nos mesmos moldes no site Threadless em 2004. Um ano depois, ele e seu amigo colocavam no ar o site de comércio eletrônico Camiseteria.com. Na época, eles trabalhavam no Ibest. O estoque era na casa de Fabio. Tiravam os pedidos durante a madrugada e entregavam na hora do almoço.

No início, eles tinham menos de R$ 10 mil para tocar o novo negócio. Para financiar o empreendimento, criaram o que chamaram de financiamento criativo. "Criamos um Clube Vip", conta Fabio Seixas. "Chamamos os nossos amigos, mostramos o projeto e oferecemos os produtos antes de lançar pela metade do preço. A pessoa comprava o vale compras de um produto que ele não tinha visto, não sabia como seria, mas tinha confiança no que estávamos fazendo. Com isso, vendemos 230 kits com seis peças que financiaram o negócio", explica o sócio em entrevista ao Mundo do Marketing.

 Agora, em menos de três anos, eles vestem a camisa do sucesso com um modelo de negócio sonhado por muitas empresas. "Praticamente não temos risco, uma vez que não produzimos algo que o consumidor não queira", diz Seixas (foto). "É uma subversão do mercado de moda atual porque o consumidor cria e diz o que quer", afirma. Assim, praticamente não há encalhe de estoque do Camiseteria.

Modelo de negócio subversivo
Por mês, são produzidas até 12 modelos de camisetas, o que deve saltar para 16 ao longo deste ano. Isso quer dizer que a marca lança praticamente uma coleção a cada 30 dias. O que sai da fábrica terceirizada é colocado nas prateleiras virtuais a cada 15 dias. Se uma grife passa sempre pelo dilema de saber o que vai ou não vender, no Camiseteria a história é diferente. Uma vez que os consumidores votam nas melhores peças, eles vendem apenas o que o consumidor quer.

Por isso, o modelo de negócio do Camiseteria é subversivo, como diz Fabio Seixas. Enquanto as marcas tradicionais investem em pesquisas de mercado, ficam de olho nas tendências, contratam estilistas a peso de ouro e fazem uma aposta num produto, o Camiseteria coloca o próprio cliente para fazer o produto, pergunta ao consumidor o que ele acha do modelo e só produz o que for aprovado pela comunidade. O resultado são vendas de mais de 2 mil peças por mês.

Arte e Moda em Camiseta

"O Camiseteria vem questionando diversos conceitos. Uma camiseta é um veículo para mostrar uma arte. Seja em uma tela pendurada num quadro, seja em uma estampa de camiseta, é uma forma de levar um trabalho artístico para as pessoas. Já a moda acontece quando conseguimos atender o que o mercado está querendo e passa a seguir. O Camiseteria não define nada. Quem define é o público e quem faz a moda são as pessoas que usam", diz Fabio.

Sim, o modelo de negócio é simples assim, mas como todo comércio eletrônico, a operação é complexa. No Camiseteria há uma estrutura de logística e estoque próprios para trabalhar o despacho via Correio. Detalhe: apenas cinco pessoas trabalham diretamente no negócio enquanto os dois sócios tocam outros projetos. Durante os dois anos de vida, o maior problema enfrentado foi o crescimento da demanda no começo de 2007. "Estávamos colocando menos produtos no mercado do que ele demandava", pondera Fabio Seixas.

Estratégia de Marketing
Como o Camiseteria é uma marca que não tem estilista, o consumidor é tratado como um agente do negócio. "O usuário é parte central do projeto", ressalta Seixas. A participação do consumidor em todo o processo é reconhecida com promoções, descontos e até remuneração em dinheiro, sem contar a experiência única de ver a sua criação vestindo as pessoas nas ruas.

Para ganhar novos consumidores, o site também patrocina eventos ligados ao mundo digital, faz parcerias com outros sites, links patrocinados, tem um programa de fidelidade, mas a principal forma de divulgação é o usuário e as ações de viralização. "Os próprios usuários divulgam e chamam os amigos", informa Fabio Seixas, outro divulgador da marca que só veste camisa do Camiseteria.

Como funciona o modelo do Camiseteria

O consumidor cria uma estampa, coloca no site e a comunidade vota.
O criador passa a chamar seus amigos para votar na sua estampa. O site ganha novos usuários.
O design que ganhar as melhores notas vai para a produção.
O Camiseteria coloca poucas peças à venda e não fica com encalhe.
Se uma estampa tiver grande demanda, o site produz novas edições.


Números
:: Lançado em agosto de 2005 depois de oito meses de estudos
:: 15 mil estampas enviadas por consumidores
:: Cerca de 150 modelos produzidos
:: 70 mil usuários cadastrados, dos quais 30 mil ativos
:: 15 mil visitas diárias
:: O consumidor tem em média 22 anos
:: Apenas 7 pessoas operam o negócio
:: Cada camiseta custa R$ 55,00
:: Vende 2,5 mil camisetas por mês
:: Faturamento chega a R$ 137 mil por mês
O fato de ser uma empresa jovem, operacionalizada por jovens, faz o site realizar até promoções com mecânicas inusitadas. "Queremos fugir do comum", conta o sócio. Ações fora do comum significam fazer o escritório parar para realizar o sorteio de um iPhonne. Nesta, um funcionário gira numa cadeira, coloca o papel com os números dos participantes na parede, outro colaborador gira e prega um grampo no vendedor. Quem filma tudo e coloca no Youtube é o próprio Fabio.

Neste clima é fácil entender porque os consumidores estão satisfeitos com o Camiseteria. Para este ano, os sócios estudam vender para quem ainda não compra pela Internet em pequenas lojas multimarcas e em uma loja conceito exclusiva da marca. O site também espera se internacionalizar e participar da Semana de Moda do Rio em breve. E você, com que roupa vai?

Acesse
www.camiseteria.com

Comentários


Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss