Idiotices Corporativas | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Blogs

Relacionamento Digital

Idiotices Corporativas

Se é fácil reconhecer conceitos estratégicos vazios, frases feitas e eufemismos revoltantes, por que tantas empresas praticam estas idiotices?

Por: | 29/10/2007

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Autor: Charles Alano Müller


"Eu presto atenção no que eles dizem, mas eles não dizem nada."
Trecho da música "Toda forma de poder", da banda de rock "Engenheiros do Havaii".

Dei algumas gargalhadas ao visitar os sites  http://www.cananet.com.br/embromation/ e http://www.netinsight.co.uk/portfolio/mission/missgen.asp.

O primeiro (em português), é um "gerador automático" de frases sem conteúdo, como "nunca é demais insistir que a atual estrutura de organização assume importantes posições na definição dos conceitos de participação geral". O segundo (em inglês) é um "gerador de declarações de missão" parecidas com as encontradas em várias empresas.

Depois de rir, comecei a lamentar. Afinal, lemos e ouvimos frases idiotas como estas no mundo corporativo, numa freqüência que sai da comédia para a tragédia. Cataloguei abaixo uma pequena lista de frases, que vocês já devem ter ouvido... muito.

Exemplos

- "Temos que ser pró-ativos."
Você conhece alguém "retroativo" ou "contra-ativo"?

- "Nossa estratégia é fidelizar os clientes".
Isto não é estratégia, isto é necessidade óbvia.
 
- "Estamos diante de um novo paradigma."
Eis o uso exagerado (até profano) de uma palavra da moda.
Que tal dizer "novidade", deixando "novo paradigma" (nova forma de considerar as coisas), para um fato que realmente o seja?
 
- "Vamos agregar valor aos processos."
Outra expressão sofrida. Se cada um de nós assumisse o compromisso de não repetir esta frase como um papagaio, o mundo seria melhor.

- "Sua ligação é muito importante para nós."
Esta central de atendimento poderia isentar os consumidores desta frase irritante? E do tempo de espera?
 
- "Nesta semana temos que fazer uma força-tarefa."
Se a frase está relaciona a mutirão (várias pessoas trabalhando) está correta. Se for simplesmente "fazer hora-extra", trata-se de um eufemismo deprimente.
 
- "Enxugar."
Este palavra sempre foi relacionada ao segmento de lavanderias. Ao ganhar o mundo corporativo significa simplesmente "demitir". Algumas empresas demitem usando a palavra "desligar", como se uma pessoa fosse um robô ligado a uma rede elétrica.
 
- "Nosso compromisso é com a qualidade."
Diga uma empresa que não afirme isto. Algumas cumprem. A propósito, qualidade se define na percepção do cliente. Logo, se você tem certificado ISO Sei-Lá-Quantos-Mil não quer dizer que você tenha qualidade, apenas que você segue a algum padrão estabelecido por órgãos normatizadores, o que contribui significativamente para a qualidade, mas não a garante.

- "Na nossa empresa, o cliente é o rei"
Será? Então uns são mais reis (rentáveis) que os outros? Quando foi a última vez que uma sugestão ou reclamação de cliente resultou na alteração de algum produto, serviço ou procedimento na sua empresa?
 

Palavras "sofridas"

Listinha de palavras "sofridas" pelo uso e modismo: paradigma, valor, atendimento, sinergia, otimização, estratégia, responsabilidade etc. (podem acrescentar outras no espaço para comentários desta página).

Análise

O assunto é tão comum (ou, a idiotice corporativa é tão grande) que chegou a inspirar um livro: "Por que as Pessoas de Negócios Falam Como Idiotas", de Brian Fugere (lançado no Brasil pela Editora Best Seller). Nem nós profissionais da administração ou do marketing e nem boa parte dos clientes e consumidores se impressiona com estas frases - pelo contrário, causam risos e repúdio.

Fico pensando nas causas para esta "epidemia". Pode ser que, embora as empresas tenham culturas, mercados e gestões diferentes, acabam adotando métodos comuns e com eles, alguns modismos administrativos. Estes modismos trazem o excesso de uso de certas expressões, muitas vezes ditas e não aplicadas e outra vezes aplicadas de forma superficial ou sem contexto. A outra causa pode ser a falta de criatividade, raciocínio ou capacidade de expressão dos profissionais que povoam o mundo corporativo.

Em muitos casos, o problema não é a palavra ou o conceito, mas a aplicação.  O que você acha? Deixe seu comentário no final desta página.

Missão pré-fabricada

A declaração de missão de uma empresa deveria ser um retrato sincero de sua cultura e de seus valores e não um amontoado de palavras sem contexto real.  Para encerrar, deixo meu "modelo gerador" de missões.

- "Nossa missão na NNNN é ser líder no setor de XXX, sempre satisfazendo e superando as necessidades dos nossos clientes, através de rígidos padrões de qualidade, valorizando os colaboradores, gerando lucro para os acionistas e benefícios para a sociedade."
 
Lindo né? Agora substitua NNNN pelo nome de sua empresa e XXX pelo setor da atuação. Você acaba de ganhar uma declaração de missão (quase padrão) sem gastar um centavo com consultores caríssimos (pode mandar uns trocados para minha conta corrente, não reclamarei).

Comentários

Acervo

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss