Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Blogs

Radar Internacional

Google cria mapa de energia solar

Ferramenta analisa capacidade dos telhados

Por: | 19/08/2015

roberta.moraes@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

O Google começou a testar uma nova ferramenta que poderá ajudar a população a perceber quão viável pode ser a instalação de tetos solares em suas casas. Com o Google Sunroof, a gigante de Mountain View usará as informações de satélites do Google Maps parara calcular quantas horas o sol incide sobre um determinado telhado, levando em consideração a localização, o ângulo, o tamanho, as sombras e as características meteorológicas do local.

Com as informações compiladas, a ferramenta mostrará quão eficiente será o uso dessa matriz energética para cada região. Ela será capaz de calcular o valor que será economizado na conta de eletricidade por ano e qual o período para recuperar o investimento. Se o internauta mostrar interesse pela tecnologia, o Google enviará links de empresas especializadas que atuam naquela região.

Por enquanto, o serviço ainda está em fase piloto e disponível nas cidades americanas de Boston, São Francisco e Fresno. A ideia é que a ferramenta seja disponibilizada para o resto do planeta, utilizando os robôs já existentes na companhia.

Assista ao vídeo:

Comentários

Biografia

O que acontece no mundo do Marketing está aqui. Todo dia, um destaque do mercado internacional para você se inspirar.

Arquivos


Este blog reflete única e exclusivamente a opinião do seu autor e não necessariamente o posicionamento jornalístico que norteia o Mundo do Marketing.

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss