Sobre as Competências do Profissional do Futuro... | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Blogs

Marketing Educacional

Sobre as Competências do Profissional do Futuro...

Sobre as Competências do Profissional do Futuro...

Por: | 10/02/2015

rafa_villas_boas@hotmail.com

Compartilhe

Sobre as Competências do Profissional do Futuro... que as faculdades deveriam incorporar ao seu ensino para formar os líderes do Séc. XXI

As faculdades no Brasil (faculdades essas de quaisquer áreas do conhecimento) buscam muitas vezes diferenciar-se pela oferta de serviços laterais que, em diversas situações, estão pouco ou nada relacionados à sua atividade fim. Dessa forma, e na percepção do mercado "WI-FI de qualidade", "uma intensa vida social" ou "vagas de estacionamento" acabam sendo elementos diferenciadores em um universo em que os cursos e as comunicações desses programas se assemelham de forma assombrosa.

A transmissão do conhecimento dá-se hegemonicamente e é sistematizada em cursos superiores, tal qual a promoção desses programas ao mercado. Quando não enxergam diferenciais concretos, os futuros alunos tendem a se sensibilizar por esses supostos diferenciais periféricos ou pela conveniência de promissoras condições financeiras ou de uma localização mais favorável.

Ao aceitar essa perspectiva - de que existe uma tendência a "equiparação" da oferta nesse segmento -, os gestores precisam extrapolar sua visão sobre o objetivo de seus cursos e, com empatia, "calçar os sapatos de seus clientes" e enxergar o mundo por meio de seus olhos respondendo a pergunta: "o que aspiram meus alunos?". E a resposta que salta para quem analisa pesquisas "socioeducacionais" é: "tornar-se um profissional de sucesso".

Os alunos à revelia de terem se matriculado em Pedagogia, Direito ou Engenharia desejam tornar-se futuros Professores de sucesso, Advogados de sucesso ou Engenheiros bem sucedidos em suas carreiras.

Sob essa ótica, as instituições vêm atendendo a parte do desejo de seu alunado formando profissionais com notas mais ou menos altas no ENADE, mas deixando a responsabilidade sobre a questão "bem sucedidos" estritamente subordinada ao "conhecimento" que agregam na passagem desses pela sua graduação.

Não temos a pretensão de responder o que "é o sucesso" nesse artigo. Temos, contudo, o anseio de criar algumas reflexões sobre o tema.

Sabe-se que a relevância no mercado de trabalho atualmente é decorrente não apenas de informações técnicas (essas originadas nas salas de aula da educação superior), mas de um conjunto que os profissionais de Recursos Humanos vêm nomeando como CHA (acrônimo de Conhecimentos , Habilidades e Atitudes).

Ao ponto de - em uma recente pesquisa de mercado realizada em uma capital do Nordeste e conduzida por mim - com esses gestores de Recursos Humanos (especificamente da área de recrutamento e seleção) dos 100 maiores contribuintes do ICMS e ISS, as questões atitudinais terem se destacado entre os respondentes.

Resposta à questão: "Se sua empresa desejasse hoje contratar algum colaborador, independente do cargo, e fosse necessário escolher as CARACTERÍSTICAS DE PERSONALIDADE a serem observadas no candidato a esta vaga, que características seriam estas?".

Outras 19 características somaram 28,8% das respostas (com 1,58% de respondentes cada) . Nesse contexto cabe inferir se as instituições estão levando para o mercado de trabalho egressos capacitados nessas dimensões por meio de formação e sensibilizações sobre esses temas.

Algumas dessas atitudes apareceram - concomitantemente à pesquisa - em um recente trabalho desenvolvido pelo respeitado portal de recrutamento Career Builder, que analisou uma amostra de 2.138 gestores de Recursos Humanos nos Estados Unidos.

Segundo 77% dos entrevistados, essas características (que no management em inglês são chamadas de "soft skills") são tão importantes quanto o conhecimento técnico aprendido para executar uma determinada profissão (16% consideraram as "soft skills" mais importantes que a capacidade técnica).
 

Dez "soft skills" mais valorizadas por recrutadores dos Estados Unidos

Formar-se dominando o conjunto de conhecimentos necessário para a profissão, muitas vezes chancelado por notas elevadíssimas emitidas por faculdades bem avaliadas, em todas as disciplinas, importa cada vez diz menos para aqueles que contratam de maneira profissionalizada. O conhecimento faz parte do universo da teoria e, muitas vezes, existe apenas na mente do profissional. É o pré-requisito, mas um elemento apenas no mosaico de competências que são, e serão cada vez mais, demandadas.

E é unânime que existe um abismo entre as dinâmicas corporativas e o que é ensinado na sala de aula tradicional.
Bons profissionais são aqueles que entregam desempenho e para entregarem desempenho precisam calçar-se de competências. Muitas passíveis de serem treinadas e apreendidas nas instituições de ensino superior.

Outras Competências Estudadas.


 

Comentários

Biografia

O Marketing Educacional é imperativo para o crescimento institucional e inspirar-se em boas práticas pode fazer a diferença nas operações e carreiras dos executivos do segmento.

Arquivos


Este blog reflete única e exclusivamente a opinião do seu autor e não necessariamente o posicionamento jornalístico que norteia o Mundo do Marketing.

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss