Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Blogs

Conexão Paris

Paris se veste de Verde

Por: | 06/10/2010

stella@slegnani.com.br

Compartilhe

 

Estamos em pleno FashionWeek e praticamente todos os desfiles de moda se passam no Jardim de Tuileries de Paris.
Na França os jardins fazem parte do patrimônio histórico  e equipes de marketing se ocupam de criar eventos para promover  e preservar uma das artes mais respeitadas na Europa: a jardinagem.
Se Paris é conhecida como uma das mais belas cidades do mundo, seus jardins são como quadros pintados a céu aberto que exalam perfumes raros, exclusivos, misteriosos como uma galeria de arte dedicada aos apreciadores do belo. A cada estação, uma variedade de nuances, uma nova geometria, uma explosão de cores numa dimensão poética e imaginaria.
Paris se veste em "Green" e promove diversas manifestações entre elas "Jardim, Jardim" aberta ao grande público, onde profissionais de jardinagem, paisagistas, arquitetos dão conselhos e mostram os jardins do futuro. E é nesse quadro de natureza organizada que encontrei uma das maiores autoridades em jardins da França, Françoise Simon, diretora da Livraria de Jardins, anexo do Louvre e responsável pela organização de diversos eventos ligados a cultura do verde, no seu jardim particular, nada menos que o mais antigo "jardim a la française" de Paris, o Tuileires.

Se Paris é conhecida como uma das mais belas cidades do mundo, seus jardins são como quadros pintados a céu aberto que exalam perfumes raros, exclusivos, misteriosos como uma galeria de arte dedicada aos apreciadores do belo. A cada estação, uma variedade de nuances, uma nova geometria, uma explosão de cores numa dimensão poética e imaginaria. Paris se veste em "Green" e promove diversas manifestações entre elas "Jardim, Jardim" aberta ao grande publico, onde profissionais de jardinagem, paisagistas, arquitetos dão conselhos e mostram os jardins do futuro. E é nesse quadro de natureza organizada que encontramos uma das maiores autoridades em jardins da França, Françoise Simon, diretora da Livraria de Jardins, anexo do Louvre e responsável pela organização de diversos eventos ligados a cultura do verde, no seu jardim particular, nada menos que o mais antigo "jardim a la française" de Paris, o Tuileires.

Stella - Como começou o seu interesse por jardins?
F Simon - Minha paixão começou de pequena, com o meu pai, que era florista decorador, um profundo conhecedor do metier. Ele adorava a jardinagem de flores e hortaliças e eu estava sempre atrás dele (risos). Com ele aprendi sobre florestas,  harmonia das flores, sobre a composição de jardins, mas, sobretudo o senso de observação de natureza. Visitávamos tudo em questão de castelos e parques, e a partir daí, minha vocação para a natureza e arte desabrochou.
Na França em especial as estações são extremamente bem definidas, o que nos proporciona uma verdadeira mudança de paisagens e de cores. Com os jardins aprendemos sobre paciência, filosofia, vida e suas diferentes etapas, bem como as mais elevadas virtudes, expectativas e até mesmo aceitar a decepção.
 
Stella - Como surgiu a idéia da Livraria junto ao Jardim?
F Simon - Eu fiz estudos de administração e como sempre ligada à natureza, acabei criando duas livrarias, uma na Alsacia, (região da França) especializada no Japão e na cultura alsaciana, outra na cidade de Rouen, a livraria do Museu de Belas Artes, instalada junto ao Jardim de Esculturas, uma bela livraria toda em vidro, rodeado por esculturas e flores, um lugar mágico. Em 1996, com muita honra que fui convidada pelo Centro de Monumento Nacional Francês a criar a livraria dos jardins, em pleno Tuileries, coração de Paris, que é hoje parte do Museu do Louvre.
Stella - Como foi a escolha deste espaço?
F Simon - A instalação da livraria num lugar especial foi escolha fundamental. Para manter o charme de livros, jardim e arte, resolvemos restaurar esta abóbada do século XVII, que abrigava a guarda da rainha de Catherine de Médicis, quando o jardim era parte do Palácio de Tuileries,  antiga residência real e imperial.  O lugar é privilegiado, estamos junto ao portão principal do jardim frente a Praça da Concorde e com uma bela vista para Torre Eiffel. As pessoas são surpresas quando descobrem o lugar, é como se fosse uma concha, onde encontramos pérolas raras. Durante a renovação preservamos tudo que era o original e não colocamos nada junto as paredes, para guardar esse aspecto mineral. E mesmo as pessoas que ano são apaixonadas por jardins, são tocadas pela magia do lugar.
Stella - O que representa para a senhora um jardim?
F Simon - Estamos numa época em que o verde assume uma forma diferente, se falarmos de ecologia. Mas antes de tudo é preciso lembrar que podemos falar tudo a através da palavra "jardim".
Podemos ler livros policiais com o tema jardim, poesia com tema jardins, falar de esculturas, pintura, moda,  podemos falar em terapia pelos jardins, aroma-terapia, fitoterapia, perfumaria, gastronomia, ...Podemos tratar sobre o tema jardins do mundo, jardins da França ou diferentes tipo de jardins (ao estilo francês, inglês, marroquino, italiano, espanhol). O belo de tudo isso é que o tema jardim não é redutor, ao contrário, ele inspira praticamente tudo o que esta ao nosso redor, como uma fonte de extrema riqueza. Sem esquecer que do ponto de vista sociológico apenas admirar um jardim proporciona bem estar e uma enorme tranqüilidade ao espírito
Stella - Existe uma mudança quando se fala de cliente desde a criação da livraria?
F Simon - Temos clientes muito fiéis, certo. Pessoas do mundo inteiro. Mas sem dúvida existe um novo consumidor, que evoluiu muito nos últimos anos ávido para acompanhar as mudanças de comportamento. Um consumidor que vê no verde o motivo da existência atual e futura. Ele se interessa cada vez mais por jardins, pela botânica, pelo cultivo de hortas, pelos produtos bio, o durável. Logicamente paralelo a esse consumo do verde, o mercado faz também progressos, evolui e cria novas respostas para essa nova maneira de viver e de consumir.
Stella - A livraria oferece livros exclusivos? Como é feita a seleção?
F Simon - A escolha dos livros e de tudo que envolve o jardim é feita por mim. Estou sempre a escuta de jardineiros, de especialistas que me trazem informações ou vou ao encontro para descobrir novidades. Os próprios clientes me dão dicas. Mas leio tudo antes de colocar à disposição do publico, pois a seleção faz parte do encanto da livraria. Dispomos em torno de quatro mil títulos de uma literatura extremamente qualificada. Alguns raros outros exclusivos, pois esta é a diferença de um segmento especialista. Temos também uma parte de objetos originais, todos ligados ao tema natureza.
Stella - A senhora sabe tudo que acontece no jardim de Tuilieries? Como se passam os eventos ligados ao jardim?
F Simon - Sobre o jardim, sou informada de tudo. Plantamos este ano, por exemplo, enormemente plantas perenes, pois a política atual vai ao encontro do vegetal. É uma tendência. Já os eventos fazem parte de uma dinâmica, de uma interatividade junto ao público que é extremamente importante. Não podemos estar isolados, os eventos fazem parte da nossa filosofia. Promovemos vários eventos como o "JardinJardin "(onde arquitetos, paisagistas, jardineiro, experts do verde e escritores fazem uma operação sobre os jardins do amanha e lançamos livros ligados ao tema. Fazemos muitos outras operações como "Ler em Festa" uma interações entre pùblico, escritores e livrarias vizinhas. Ainda a famosa "Operação Jardim" que é a nível nacional, quando dois mil jardins privados e públicos são abertos para visitação. Estamos sempre inovando, no mês de julho por exemplo,  teremos uma exposição sobre Turquia, e eu busco nesse momento tudo que for escrito sobre jardins e sobre o vegetal na Turquia. E uma forma de integrar o jardim, o publico e a livraria.
Stella - Qual o lugar preferido deste imenso jardim?
F Simon - Gosto de muitos, mas em especial a "Pequena Provence", onde as lavandas fazem uma bela exibição no verão. É um lugar fresco, bom para descansar quando faz muito calor. E adoro a escultura em mármore Charles Perrault, que é cercado por meninas que dançam junto a um gato de botas. É linda e poética.
Stella - Para quem quer começar um jardim, que conselhos você daria?
F Simon - Em primeiro lugar saber que tipo de jardim a pessoa gosta. Olhar revistas, jornais, livros e descobrir um pouco qual universo lhe toca mais, mesmo uma foto de um jardim pode ser suficiente. Um jardim pode ter trinta metros quadrados, dez hectares ou uma janela, uma pequenina sacada, um muro, não importa, cada espaço tem um tratamento adequado. Três potes de flores podem ser considerados um jardim. Aqui, nós orientamos cada pessoa para projetos pequenos ou audaciosos, mas, sobretudo criar um espaço de prazer, harmonia.
Eu adoro jardins um pouco anárquicos. Tenho um em casa, pequeno, de 250m, nada pretensioso, onde cultivo flores simples do campo.  É um lugar muito repousante que me enche de energia, mas tenho uma pessoa que se ocupa dele, pois o meu primeiro jardim é aqui, e a livraria.
Comentários

Biografia

Stella Pelissari é formada em Moda e Jornalismo, tem pós-graduação em Moda e Comunicação e Mestrado em Management Fashion em Business.

Arquivos


Este blog reflete única e exclusivamente a opinião do seu autor e não necessariamente o posicionamento jornalístico que norteia o Mundo do Marketing.

Acervo

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss