O que podemos aprender com a Starbucks, que investe mesmo na crise | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

O que podemos aprender com a Starbucks, que investe mesmo na crise

O que podemos aprender com a marca é que independente do trajeto realizado, o objetivo é sempre o cliente e em prol deles é que uma marca deve se mover

Por | 25/08/2015

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Starbucks

Foi através da famosa promessa: "Prometemos a sua bebida perfeita sempre. Se não estiver, faremos de novo para garantir a sua satisfação" que a Starbucks caiu nas graças dos amantes de café e se tornou uma marca referência de satisfação do cliente. Essa relevância não se limita ao seu segmento, mas ao mercado em geral. Isso tem acontecido porque a promessa básica não se baseia apenas em palavras: a marca tem cumprido o prometido.

O que podemos aprender com a marca é que independente do trajeto realizado, o objetivo é sempre o cliente e em prol deles é que uma marca deve se mover. Se isso for bem executado, deixarão de ser meros espectadores, mas se tornarão grandes fãs da marca. Alguns pontos são importantes de serem ressaltados.

1- A Starbucks não apenas tem feito a lição de casa, mas a tem feito de forma marcante.
Se analisarmos os principais pontos de marketing, vemos que os Ps de Produto e Promoção são muito bem resolvidos, o P de Praça está muito bem no sentido de espaço, pois funciona como um "refúgio" e isso é muito bem aceito, a praça do ponto de vista dos pontos de venda está em ascensão (100 lojas no país), já o P de Preço não é melhor, porém, a marca traz consigo uma influência tão forte que isso não se torna um problema, pois a empresa identificou o seu público e sabe como trata-lo, além de fazer isso de forma mais do que satisfatória.

2- Não podemos negar que algumas opções de produtos com um preço menor poderiam alavancar as vendas e trazer novos consumidores, mas isso poderia influenciar de forma negativa na imagem da marca que já está consolidada e também na definição de público alvo. Toda a autonomia da marca e a segurança quanto ao seu posicionamento poderia ser colocada em cheque e isso não é um risco que valha a pena, afinal para construir uma imagem de marca é necessário um trabalho árduo, exige muito tempo, estudo de público alvo e conhecimento, mas, para isso se perder, basta uma ação mal executada. Um dos pontos que tem influenciado a expansão foi o fato da marca não moldar a sua identidade aos perfis do Brasil, pois as lojas possuem o mesmo perfil das lojas do exterior, como as de Nova York por exemplo.

3- O que devemos ter em mente é algo que a Starbucks já faz há muito tempo, se enxergar como realmente somos, nossa autonomia e entendermos onde queremos chegar e o que estamos fazendo para isso, pois a ação da empresa vai além de ter as ideias e o trabalho nas mídias sociais: é também muito bem executado.

Tudo isso deve ser feito entendendo que devemos valorizar aqueles que têm o poder de erguer ou derrubar uma marca, os clientes. Esse é o diferencial da marca e essa é a melhor lição de mercado que poderíamos ter.

 

Por: Rodrigo Ramos

Publicitário e Administrador da Loja Merc


Comentários


Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss