Artigos

Publicidade
Publicidade
Digital

Conteúdo digital tornou-se determinante para o posicionamento de marcas e produtos

Em tempos de redes sociais, marcas e produtos passaram a ser reconhecidas e aceitas de acordo com a capacidade de criar conteúdo conectivo e não apenas de qualidade

Por Rejane Toigo - 18/11/2021

Sim, em tempos de redes sociais, marcas e produtos passaram a ser reconhecidas e aceitas de acordo com a capacidade de criar conteúdo conectivo. Percebeu que não falei em qualidade de conteúdo?

O conceito de qualidade ficou muito amplo e genérico. Um conteúdo pode ser classificado como "de qualidade", no entanto, pode captar pouco interesse, poucos compartilhamentos, pouca interação. Por consequência pouca memória e poucos resultados para o investimento feito na sua produção. 

Já a conexão do conteúdo não é medida pela qualidade. Você pode julgar que uma música não tem qualidade de ritmo ou de voz, no entanto essa música atinge milhões de downloads pois gera conexão com um público específico. Gera emoção, identificação. Ou seja, é um conteúdo de qualidade duvidosa para alguns, mas que conversa com muitos. Mas como as empresas devem pensar no conteúdo em suas redes para gerar conexão necessária a captar a atenção e produzir "amor" em uma audiência específica? 

A primeira pista já dei: audiência específica. 

Ter clareza de "com quem estamos falando" é o passo de número 1? 
Não! É o passo NÚMERO ZERO. 

Sem detalhar o perfil psicológico e comportamental, on-line e off-line, do nosso cliente em potencial, é impossível atrair e conversar através das redes sociais com pessoas propensas a comprar o que vendemos. O produto pode ser uma commodity, mas o conteúdo não. O conteúdo deve ser único mesmo que o produto seja um commoditie, como um tênis ou uma calça jeans.

Lembrando que commodities são itens altamente ofertados no mercado e que o consumidor pode escolher de acordo com suas percepções de qualidade e preço. E é aí que o conteúdo digital faz toda a diferença. Ele se torna a ponte entre o produto e o consumidor, proporcionando o relacionamento que vai levar até a decisão de compra. 

O conteúdo nas redes sociais é uma oportunidade de emocionar, entreter e contar histórias sobre o que está vendendo. Criar conteúdo estratégico pode providenciar uma conexão emocional com o consumidor, o levando a fazer parte da narrativa contada, e se tornando mais do que um consumidor, mas um disseminador e defensor da marca.

Portanto, o conteúdo digital não se trata de um meio, um acessório ou “detalhe” no marketing de um negócio, pois pode levar uma marca a se tornar uma referência nacional e até global. Hoje, a produção de um conteúdo digital único, original e cativante pode ser a diferença entre o sucesso ou o fracasso de uma empresa ou produto. 
 

Por: Rejane Toigo

Rejane Toigo atualmente é Mestranda em Neuromarketing na Florida Christian University, palestrante em eventos e convenções na área de marketing e produtora de cursos e treinamentos de marketing digital.