A necessidade de foco | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

A necessidade de foco

Leia o artigo do especialista em Marketing Infantil Arnaldo Rabelo

Por | 14/07/2008

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

A necessidade de foco

* Arnaldo Rabelo

Já foi o tempo em que um importante desafio para as indústrias de bens de consumo era produzir. Hoje a dificuldade maior é conquistar e manter clientes para que a empresa prospere.

Um fato comum nas empresas e que potencializa essa dificuldade é o erro ao definir quais produtos produzir e para quem vender. Via de regra o portfólio de produtos é amplo demais, assim como o público definido. Poucas empresas podem se dar ao luxo de oferecer muitos produtos a um mercado variado demais - o que eu chamo de oferecer tudo a todos - e ainda assim obter lucro. As empresas que fazem isso com sucesso normalmente são muito maduras e já exploraram outras estratégias durante o seu processo de crescimento.

Entre os principais problemas em oferecer uma variedade de produtos grande demais, podemos citar a baixa produtividade, o alto custo de produção e a baixa associação da empresa a um tipo de produto. E a maior dificuldade que aparece ao oferecer produtos a um público muito variado é conseguir atender às suas necessidades adequadamente. Se o público muda, suas necessidades e desejos também.

Para uma empresa que ainda está no processo inicial de seu negócio, em busca de uma fatia maior do mercado, de reconhecimento do público ou tentando fortalecer a sua marca, a estratégia apropriada é a de ter um foco muito bem definido. Se a empresa se concentra em uma área menor, aumenta sua força competitiva. Embora o foco possa ser definido em variáveis ligadas à distribuição, como a área geográfica ou tipo de canal de vendas, é importante que seja corretamente definido em termos de produtos e mercados.

Se o negócio for novo, ficará muito mais fácil para a operação e para o maior reconhecimento do público se a empresa optar pela especialização em apenas um tipo de produto em apenas um mercado. A escolha do tipo de produto a ser oferecido parte da análise da capacidade e dos talentos da empresa, da oferta da concorrência (pois a empresa busca oferecer algo diferente de seus competidores) e da demanda do mercado. A definição do público depende de uma análise de como o mercado consumidor pode ser dividido. Buscamos dividi-lo em segmentos menores e mais homogêneos quanto ao comportamento de consumo e lucratividade para a empresa.

No mercado de produtos infantis, devemos considerar que a criança se desenvolve por estágios em que sua capacidade e habilidade psico-motora e cognitiva define suas necessidades de consumo e altera seu papel no processo de compra.

Como selecionar produtos e mercados
Avaliando as diferentes necessidades, capacidades e papéis de compra que o mercado consumidor de produtos infantis apresenta, a empresa deve se decidir por um ou mais segmentos para os quais esteja preparada a atender com produtos diferenciados e lucrativos. Fatores como crescimento do mercado e risco também devem ser considerados. Na medida em que a empresa tenha explorado tudo o que permite a escolha inicial de um tipo de produto para um segmento de mercado, há outros caminhos a percorrer. Ela pode escolher de forma seletiva outros tipos de produto e outros segmentos de mercado, desde que haja sinergia com os produtos e mercados atuais.

Outro caminho é ampliar sua linha de produtos para o mesmo mercado que já atende. É a chamada especialização por mercado. Um exemplo é um fabricante de moda infantil que oferece roupas, calçados e acessórios apenas para meninas de 3 a 7 anos. Uma estratégia alternativa seria escolher diferentes mercados, mas oferecendo apenas um tipo de produto. É a especialização por produto. Um exemplo é um fabricante de mochilas que atende a meninos e meninas em seus diferentes estágios de desenvolvimento.

Caso a empresa não selecione mercados específicos para oferecer produtos adequados a eles, poderá perder em cada segmento para um concorrente especialista. Além disso, a falta de foco tende a gerar custos pela necessidade de adaptar produtos, pela baixa eficiência na produção, pela dificuldade de encontrar profissionais adequados para a área administrativa e pelas altas despesas com comunicação e promoção.

O processo de expansão de um segmento a outro deve ser acompanhado de muito cuidado, pois os planos futuros de expansão não devem ser conhecidos pela concorrência. Tomados esses cuidados, suas chances de sucesso são muito maiores.

* Arnaldo Rabelo é consultor de marketing infantil - www.arnaldorabelo.com.br

Por: Redação




Comentários

Artigos do autor:

Brasil é um dos principais mercados para diversidade em Marketing

Black Friday une empresas na Virada Black Liberdade

Discriminação de gênero é problema entre meninas da Geração Z

Centennials: o novo motor econômico para as marcas

Após 15 anos, Roberto Gnypek deixa McDonald’s

Consumo de disco de vinil aumenta no Brasil

Tinder abre espaço para criadores de conteúdo

7 dicas para impulsionar as vendas de PMEs na Black Friday

Transações via smartphones representam 41% das vendas no Brasil

Relevância do Trade Marketing aumenta em agências, indústria e varejo

CMOs colaborativos são essenciais para crescimento de negócios

Compras do Dia das Crianças serão maiores em lojas físicas

3 Livros para auxiliar no planejamento de Marketing

Eleições e instabilidade não barraram investimentos em Marketing

Apesar do avanço de streaming, rádio impacta 86% da população

Inovação é necessidade estratégica para manter vantagem competitiva

Youtube mira no streaming e apresenta Youtube Music e Youtube Premium

Metade dos profissionais não colocam consumidores em primeiro lugar

Mercado de panetone cresce no Brasil

Smartphone será meio mais utilizado para compras do fim de ano

Preferência por fast-food varia conforme região brasileira

Fundação e Instituto Arcor lançam campanha de incentivo ao brincar

Mobile avança como mídia no mercado brasileiro

Infraestrutura das lojas virtuais garante o sucesso na Black Friday

5 tecnologias que mesclarão o trabalho entre humanos e máquinas

Pesquisa Heineken: mais da metade dos adultos bebem quando dirigem

PMEs estão confiantes na era da Inteligência Artificial

O que muda no atendimento ao consumidor com a API do WhatsApp

As 10 marcas mais lembradas pela diversidade em propaganda

Vivo, Raízen e Ericsson abrem chamada de startups com foco em IoT

Brasileiros são receptivos a anúncios digitais e querem personalização

5 inovações do Google Brasil em anúncios

Cabify faz parceria e product Marketing com Grupo Rouge

5 insights da Beleza na Terceira Idade

Grupo Edson Queiroz cria nova divisão de águas

Nível de atenção dos profissionais está mudando

C&A cria Fashion Futures para debater o futuro da moda

Brasil é o segundo maior país em buscas sobre beleza

Supermercado online avança globalmente

Comportamento do consumidor no quarto trimestre

Número de investimentos em insurtech sobem

Publicidade em aplicativos movimenta mais de 3 bilhões de dólares

Dia dos Pais aquece segundo semestre de 2018

Marketing 60+: a importância do consumidor sênior

Geração Z quer tecnologia para testar produtos na loja física

Busca por experiências fazem brasileiros se presentearem mais

Brasileiros preferem comprar online e buscar na loja física

Falta de experiência afasta consumidor do e-commerce

Homens são mais conservadores em relação aos produtos de beleza

Marcas crescem no Youtube com a Copa do Mundo



Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss