Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Publicidade

Quanto vale sua embalagem?

Quanto vale sua embalagem?

Por | 27/10/2006

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Quanto vale sua embalagem?

*Lays Carvalho
 
Não deve ser fácil ser diretor de marketing hoje em dia. Antes, o modelo de comunicação era estabelecido e as ferramentas de marketing pareciam mais certeiras. Hoje, com as mudanças do mercado e as evoluções da comunicação, novas mídias surgem em velocidade que é difícil acompanhar.

Na década de 60 existiam poucos canais de TV e revistas, e a publicidade surgia como um instrumento para ensinar o consumidor a utilizar os produtos.Com o passar do tempo, o consumidor aprendeu a usar os produtos e foi preciso mostrar a ele os diferenciais, pois a concorrência cresceu e a diferenciação era a chave do sucesso. E a TV continuou ajudando muito, assim como a mídia impressa.

Com todo mundo se diferenciando, era preciso achar uma nova estratégia para conquistar o consumidor. Vamos atacá-lo direto no coração! Criar vínculos emocionais é a chave do sucesso!  E assim surgiram, na década de 90, as grandes produções publicitárias, com filmes dignos de Hollywood e a altos investimentos. Um bom exemplo deste período foi a guerra das cervejas, com utilização de mascotes e personalidades. Tudo para fazer o consumidor se identificar e encantar com a marca.

Paralelamente, as mídias evoluíram. E estamos nós no século XXI, tendo a cada ano novos canais de TV e novas publicações, cada vez mais segmentadas. Aliado a isto, temos o celular, que ainda está engatinhando dentro do seu potencial de comunicação e também a internet. Estas últimas vieram dar ainda mais dor de cabeça aos diretores de marketing.

Com tanta pulverização na comunicação, estes diretores precisam de uma estratégia segura e inteligente: o consumidor pode ler várias revistas, ver diferentes canais e mudá-los a toda hora, navegar na internet ou não, mas tem uma mídia que não tem erro! O ponto de venda! É lá que é feita a decisão de compra!

E assim, nosso querido diretor reviu o seu budget de comunicação e passou a investir mais no ponto de venda, transmitindo sua mensagem e influenciando o consumidor na hora da decisão de marca: merchandising, displays, degustação, blimp, tudo pode ser efetivo para influenciar na hora H. E aqui surge a embalagem. Uma mídia tão poderosa que poucos executivos de marketing realmente têm uma visão real da sua importância. A embalagem não é puramente um pote que armazena o produto comercializado. Ela é bem mais que isso.

Principal Mídia
A embalagem armazena bem mais que o produto. Ela traz consigo a marca, seus valores, suas qualidades e suas emoções. Isto faz da embalagem a principal mídia da marca. Explico: ela é o ponto real de contato com o consumidor. É a embalagem que o consumidor vê no supermercado, diferenciando o produto dos concorrentes. É ela que o atrai para que ele a pegue na mão e queira saber mais informações sobre o produto, que o encanta e o convence para que ele leve o produto para casa.

O grande diferencial frente as outras mídias é que em casa, o processo de comunicação da marca continua através da embalagem: na dispensa, na hora de preparo, ao ser levada à mesa da família, ao ser notada por convidados de um jantar ou na reutilização da embalagem para outras coisas. Em todos estes momentos a marca está presente, sendo veiculada no dia-a-dia de seu consumidor e potenciais consumidores.

Status x resultado
Tudo isto parece bastante lógico. Porém, ao nos depararmos com o baixo investimento em embalagens, notamos que isto ainda não é claro para todos os executivos. Existem executivos que já têm esta consciência e dão uma atenção especial a este assunto.

Porém, outros continuam achando que estar na mídia de massa é mais seguro e é a principal ferramenta para fazer vender, além de trazer status. Isto é verdade para alavancagem a curto prazo e para auxiliar na construção da marca. Agora lhe pergunto: Que resultados de médio e longo prazo teremos com um filme lindo, uma campanha maravilhosa e de grande exposição, se a embalagem não teve o mesmo cuidado?

Tem coisa que custa, tem coisa que vale
Vemos empresas investirem milhões em mídia para divulgação de um produto. Ao analisarem um orçamento de redesign de suas embalagens e marca, a principal reação é: está caro! Caro como? Com base no que? Com certeza não é valor investido no plano de mídia ou no retorno que a embalagem tem. O que acontece é que a embalagem é vista como um elemento que compõe o produto e não como uma ferramenta estratégica.

Para piorar, algumas empresas estão passando a decisão da escolha da agencia de embalagem e publicidade para a área de compras. A empresa de consultoria também é decisão da área de compras? Com certeza não. É uma decisão da presidência por ter influência direta no resultado e no futuro da empresa.

Vem a tona então, questões que valem uma reflexão: O impacto de uma embalagem no resultado e no futuro da empresa não é semelhante ao de uma consultoria? Como avaliar o valor de um serviço? É possível comparar o que será entregue em um serviço através do orçamento, pura e friamente? E a estrutura da empresa? E seu know-how?

Se o executivo analisar o tempo de veiculação da marca na embalagem, o número de contatos que esta mídia trará e o local de exposição desta mídia - do lado dos seus concorrentes (e o melhor, na hora da decisão de compra!), com certeza este orçamento nunca será visto como caro.

Afinal, tem coisa que custa e tem coisa que vale. E embalagem vale. E muito!

* Lays Carvalho é diretora de Planejamento da Pande Design Solutions - www.pande.com.br.
lays@pande.com.br

Por: Redação




Comentários

Artigos do autor:

Transações via smartphones representam 41% das vendas no Brasil

Relevância do Trade Marketing aumenta em agências, indústria e varejo

CMOs colaborativos são essenciais para crescimento de negócios

Compras do Dia das Crianças serão maiores em lojas físicas

3 Livros para auxiliar no planejamento de Marketing

Eleições e instabilidade não barraram investimentos em Marketing

Apesar do avanço de streaming, rádio impacta 86% da população

Inovação é necessidade estratégica para manter vantagem competitiva

Youtube mira no streaming e apresenta Youtube Music e Youtube Premium

Metade dos profissionais não colocam consumidores em primeiro lugar

Mercado de panetone cresce no Brasil

Smartphone será meio mais utilizado para compras do fim de ano

Preferência por fast-food varia conforme região brasileira

Fundação e Instituto Arcor lançam campanha de incentivo ao brincar

Mobile avança como mídia no mercado brasileiro

Infraestrutura das lojas virtuais garante o sucesso na Black Friday

5 tecnologias que mesclarão o trabalho entre humanos e máquinas

Pesquisa Heineken: mais da metade dos adultos bebem quando dirigem

PMEs estão confiantes na era da Inteligência Artificial

O que muda no atendimento ao consumidor com a API do WhatsApp

As 10 marcas mais lembradas pela diversidade em propaganda

Vivo, Raízen e Ericsson abrem chamada de startups com foco em IoT

Brasileiros são receptivos a anúncios digitais e querem personalização

5 inovações do Google Brasil em anúncios

Cabify faz parceria e product Marketing com Grupo Rouge

5 insights da Beleza na Terceira Idade

Grupo Edson Queiroz cria nova divisão de águas

Nível de atenção dos profissionais está mudando

C&A cria Fashion Futures para debater o futuro da moda

Brasil é o segundo maior país em buscas sobre beleza

Supermercado online avança globalmente

Comportamento do consumidor no quarto trimestre

Número de investimentos em insurtech sobem

Publicidade em aplicativos movimenta mais de 3 bilhões de dólares

Dia dos Pais aquece segundo semestre de 2018

Marketing 60+: a importância do consumidor sênior

Geração Z quer tecnologia para testar produtos na loja física

Busca por experiências fazem brasileiros se presentearem mais

Brasileiros preferem comprar online e buscar na loja física

Falta de experiência afasta consumidor do e-commerce

Homens são mais conservadores em relação aos produtos de beleza

Marcas crescem no Youtube com a Copa do Mundo

Brasileiros que vivem de forma leve sentem mais prazer na vida

Masculinidade: como os homens tem se comportado

Nescau incentiva a inovação em exposição de produtos

O valor das marcas patrocinadoras da Copa e da Seleção Brasileira

Itaú é a marca mais mencionada no Twitter sobre Copa2018

Millennials ganham atenção do mercado de luxo

VidCon 2018: Youtube aposta em novas ferramentas

Restaurantes com promoções durante a Copa do Mundo são mais atrativos



Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss