Os pequenos têm a nova cara do varejo | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Os pequenos têm a nova cara do varejo

Os pequenos têm a nova cara do varejo

Por | 14/07/2006

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Os pequenos têm a nova cara do varejo

*Silvana Torres

Os pequenos e médios varejos conquistam espaço cada vez maior na preferência dos consumidores e, conseqüentemente, nas planilhas de distribuição das marcas. Ao irem às compras, os consumidores percebem que, na maioria dos casos, as pequenas redes dispõem dos mesmos produtos e atrativos que os grandes estabelecimentos. Nota-se um movimento claro e forte de aproximação das grandes marcas com as lojas de pequenos e médios portes em todos os setores, pois são justamente nestes canais de venda que as empresas, atualmente, encontram as melhores margens de lucro.

Sobre as margens para as empresas, vale lembrar que as grandes redes, devido ao alto volume de compras e por facilitar o acesso das marcas a elevado número de consumidores, têm alto poder de barganha e, não poucas vezes, impõem negociações difíceis, além de vários outros entraves. A estratégia, assim, é buscar ferramentas para distribuir melhor a concentração das vendas, atentando aos pequenos e médios varejos. Mas como fazer isso? Uma das alternativas é adotar ações de marketing de relacionamento com os canais de distribuição e revenda; ou seja, com o trade. Aqui, a convivência estreita entre as partes tem papel fundamental para o sucesso das vendas. Portanto, para alcançar este objetivo, há necessidade de reformular a concentração comercial ao buscar maior espaço entre os estabelecimentos de menor expressão.

Algumas companhias se deram conta disso e já buscam caminhos para ampliar sua participação nos pequenos e médios varejos e aumentar seus lucros com aumento das vendas nestes canais que têm perspectivas animadoras de sucesso no Brasil. Pesquisa feita em parceria entre a Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (Abad) e a ACNielsen informa que, no ano passado, o pequeno varejo e supermercados de menor porte tiveram crescimento superior a 7%, enquanto os hipermercados e supermercados grandes cresceram na faixa de 2% a 4%; praticamente a metade.

No varejo, de modo geral, a Associação Brasileira de Supermercadistas (Abras) espera crescimento de 3% na receita do segmento em 2006. No ano passado, o faturamento do setor no Brasil foi de R$ 106,4 bilhões, valor que representa acréscimo de 5% no volume de vendas e de 0,9% no faturamento real sobre o movimento do ano anterior. Mas, quanto ao papel das grandes redes, vale citar que as cinco maiores detêm 40,5% deste mercado: a Companhia Brasileira de Distribuição (Pão de Açúcar) se mantém na liderança com 15,2% de participação de mercado; depois, vem Carrefour e Wal-Mart, com 11,8% e 11% de participação, respectivamente. Nessa composição, entretanto, números da Abad mostram que a participação do pequeno varejo chega a 39,1%.

Para escapar da ditadura das grandes redes e distribuir melhor sua concentração de vendas e ampliar participação nos pequenos e médios varejos, as empresas têm a seu favor o comportamento dos consumidores, que estão cada vez menos fiéis aos canais de compra. Pesquisa da LatinPanel, instituição de pesquisa de consumo domiciliar da América Latina, envolvendo mais de 70 categorias de produtos, aponta que os brasileiros estão distribuindo suas compras em mais canais de abastecimento. Hoje, 77% dos consumidores concentram suas compras em três ou mais canais, enquanto que, em 2001, esse índice era de 61%. Os supermercados foram os que mais perderam espaço para outros canais, como armazéns, comércio porta a porta, folhetos, entre outros, pois, enquanto no ano passado os supermercados concentravam 65% das compras, em 1999 a concentração deste canal era de 73%; neste mesmo período, os "outros" canais cresceram sua participação de 27% para 35%.

Outro ponto a favor das empresas que optam pelo caminho de crescer nos pequenos e médios varejos, apontado pelo estudo da LatinPanel, é o fato de que 62% da população se dirigem a pé aos locais de compra, sendo este um ponto fundamental na escolha dos canais. Nesse sentido, não é novidade para as empresas que a estabilidade da moeda no Brasil trouxe várias mudanças de comportamento dos consumidores, que têm oportunidade de planejar suas compras. Portanto, as corporações que pretendem crescer e aumentar as margens devem buscar formas de estreitar o relacionamento com os pequenos e médios varejos, que representam os locais onde estão as alternativas para escoamento de suas produções a preços atraentes.

*Silvana Torres é engenheira e sócia-diretora da Mark Up; é professora de pós-graduação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM); autora do livro "Marketing de Incentivo"; e conselheira da Ampro (Associação de Marketing Promocional).

Por: Redação




Comentários

Artigos do autor:

Gas Natural Fenosa passa a se chamar Naturgy

Brasileiros dão mais atenção à qualidade do que ao preço

9 tendências de consumo entre brasileiros

4 livros de Marketing para leitura de fim de ano

Como alavancar sua estratégia de Inbound Marketing

Black Friday deve crescer 13,3% em relação a 2017

Marcas se destacam ao antecipar Black Friday

Como fidelizar clientes após a Black Friday?

Brasil é um dos principais mercados para diversidade em Marketing

Black Friday une empresas na Virada Black Liberdade

Discriminação de gênero é problema entre meninas da Geração Z

Centennials: o novo motor econômico para as marcas

Após 15 anos, Roberto Gnypek deixa McDonald’s

Consumo de disco de vinil aumenta no Brasil

Tinder abre espaço para criadores de conteúdo

7 dicas para impulsionar as vendas de PMEs na Black Friday

Transações via smartphones representam 41% das vendas no Brasil

Relevância do Trade Marketing aumenta em agências, indústria e varejo

CMOs colaborativos são essenciais para crescimento de negócios

Compras do Dia das Crianças serão maiores em lojas físicas

3 Livros para auxiliar no planejamento de Marketing

Eleições e instabilidade não barraram investimentos em Marketing

Apesar do avanço de streaming, rádio impacta 86% da população

Inovação é necessidade estratégica para manter vantagem competitiva

Youtube mira no streaming e apresenta Youtube Music e Youtube Premium

Metade dos profissionais não colocam consumidores em primeiro lugar

Mercado de panetone cresce no Brasil

Smartphone será meio mais utilizado para compras do fim de ano

Preferência por fast-food varia conforme região brasileira

Fundação e Instituto Arcor lançam campanha de incentivo ao brincar

Mobile avança como mídia no mercado brasileiro

Infraestrutura das lojas virtuais garante o sucesso na Black Friday

5 tecnologias que mesclarão o trabalho entre humanos e máquinas

Pesquisa Heineken: mais da metade dos adultos bebem quando dirigem

PMEs estão confiantes na era da Inteligência Artificial

O que muda no atendimento ao consumidor com a API do WhatsApp

As 10 marcas mais lembradas pela diversidade em propaganda

Vivo, Raízen e Ericsson abrem chamada de startups com foco em IoT

Brasileiros são receptivos a anúncios digitais e querem personalização

5 inovações do Google Brasil em anúncios

Cabify faz parceria e product Marketing com Grupo Rouge

5 insights da Beleza na Terceira Idade

Grupo Edson Queiroz cria nova divisão de águas

Nível de atenção dos profissionais está mudando

C&A cria Fashion Futures para debater o futuro da moda

Brasil é o segundo maior país em buscas sobre beleza

Supermercado online avança globalmente

Comportamento do consumidor no quarto trimestre

Número de investimentos em insurtech sobem

Publicidade em aplicativos movimenta mais de 3 bilhões de dólares



Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss