Estratégias de canais nas empresas: gestão de canais em serviços | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Estratégias de canais nas empresas: gestão de canais em serviços

E-mail Marketing, teleMarketing ativo, site e redes sociais, dentre outros, para o envio de ofertas dirigidas, são também comumente utilizados e tratados como canais

Por | 21/02/2013

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Diferentemente da área de bens de consumo, nas empresas de serviços o "P" dos canais normalmente é gerenciado do ponto de vista estratégico pelas áreas de Marketing, podendo estar sob responsabilidade da área de produtos ou da área de segmento de clientes/ mercado (responsável por determinado grupo de clientes ou segmento de mercado).

Dependendo da complexidade dos canais utilizados, pode haver ainda a figura da área de planejamento comercial, geralmente subordinada à área de Marketing, que tem como missão coordenar todo o esforço comercial e adequar as estratégias aos recursos para atingir os objetivos, sendo a interface entre vendas e Marketing. Normalmente é utilizada em empresas que oferecem serviços massivos, como telefonia, bancos e cartões de crédito.

É comum o seguinte esquema de funcionamento: as áreas de segmento detectam determinada necessidade por parte dos clientes; já a área de produtos desenvolve um produto/ serviço para este target. Na área de segmento de cliente/ mercado é definida a política comercial que será aplicada para aquele produto/ serviço (níveis de preço e descontos, ofertas, níveis de atendimento, políticas de fidelização e retenção, venda avulsa ou em bundles etc.) e também em que canais será comercializado. As área de vendas (geralmente call centers, lojas ou vendedores pessoais) e as áreas técnicas (quando for o caso, como telefonia) operacionalizam e "tangibilizam" a entrega do serviço. Todo esse processo é retroalimentado quase que instantaneamente.

O fato de a área de Marketing geralmente definir o mix de canais a ser utilizado é importante para que se garanta a correta implantação da estratégia, uma vez que podem existir diferentes níveis de preços/ serviço, diferentes custos e diferentes níveis de risco (churn, inadimplência, etc.) para cada grupo de clientes abordados por cada canal.

Em serviços massivos, muito frequentemente todos os "Ps" do Marketing mix aparecem simultaneamente: a publicidade na TV mostra o produto/ serviço e já apresenta uma oferta (preço, prazo, brinde, etc.), direcionando o consumidor para um 0800 de vendas, que muitas vezes também é o próprio canal de atendimento e, por isso, a estratégia precisa estar muito amarrada. Nestes casos, a função primordial da área de vendas (o call center, neste exemplo) é garantir a melhor conversão de vendas possível, através do perfeito dimensionamento da operação, da aplicação dos incentivos corretos aos vendedores e da existência de scripts de venda vencedores. Nestas operações massivas e de grande escala é de responsabilidade da área comercial garantir a máxima eficiência em todo o processo, sendo vital para o sucesso e  rentabilidade do negócio.

E-mail Marketing, teleMarketing ativo, site e redes sociais, dentre outros, para o  envio de ofertas dirigidas, são também comumente utilizados e tratados como canais. A dinâmica de funcionamento segue basicamente a mesma do exemplo acima, sendo as políticas definidas pelas áreas de Marketing e a sua execução pela áreas comerciais e técnicas.

Assim, em empresas de serviços (principalmente massivos) é fundamental que Marketing e comercial trabalhem muito próximos e de forma coordenada. Não raras vezes existe rotação de funções entre profissionais destas duas áreas.

Com colaboração de Daniel D´Andrea, Luiz Sedeh e Karine Liborio.

* Daniel D´Andrea é administrador de empresas pela FGV, com MBA pelo Insper, e executivo  de Marketing e negócios com mais de 15 anos de experiência. Trabalhou na Redecard, foi superintendente de Marketing na Telefônica, diretor de marcas e produtos no Grupo Estado e diretor corporativo do Grupo Itapemirim.  É diretor do grupo ToolBox

* Luiz Sedeh é sócio e VP de Desenvolvimento da TooboxTM - Trade Marketing Know How

* Karine Liborio é bacharelando em Marketing na Universidade de São Paulo (USP)

Por: Rafael DAndrea

Diretor da ShopperAge e sócio diretor da Toolbox - Consulting & Metrics


Comentários

Artigos do autor:

Gerenciamento de Categorias: ?caixa preta? ou ferramenta de negócios?

Brasileiro fala de sua experiência na Tailândia

Driblando o Showrooming: reflexões pós-Euroshop

STORY LIVING: revolução na jornada do shopper

Experience e Conexão dão o tom da EuroShop 2014

"Como será o amanhã de Shopper Marketing?"

Estímulos sensoriais ao shopper

Esta na hora de ir além do Gerenciamento por Categorias

Estratégias de canais nas empresas: gestão de canais em serviços

Como funcionam os canais em serviços?

Os 10 Passos do Planejamento de Trade Marketing de Êxito

O ?P? de canais na gestão dos 4 ?Ps" de Marketing

"In & Out" ToolReport: Melhores Práticas para Fabricantes

Derrubar barreiras para conquistar o Shopper

Ponto de vista: vitrines de Paris

Entropia em Trade Marketing

A aplicação da Neurociência em Marketing

Marketing de Experiência e Neuromarketing

Neuromarketing e a influência no comportamento de compra

A opinião de um ?insider? sobre a Shopper Marketing Expo

O Shopper Marketing aplicado

O encanto das vitrines no futuro do shopper marketing direcionado

Shopper Marketing direcionado, uma alternativa efetiva

Qual o potencial de sucesso do pequeno varejo brasileiro?

Cinco passos para influenciar o shopper na ?hora da verdade?

Shopper Marketing e Internet: O que há de novo nos movimentos do varejo e da indústria

O varejo no século XXI

Shoppability, a habilidade de entregar ao shopper o que ele busca

Segundos que valem muito

Tendências para o varejo pós-NRF

Big Retail Show 2010

Visões não tradicionais sobre Marketing de varejo e Shopper Marketing - Parte 3

Visões não tradicionais sobre Marketing de Varejo e Shopper Marketing ? Parte 2

Visões não tradicionais sobre Marketing de Varejo e Shopper Marketing ? Parte 1

O que vem pela frente em Trade e Shopper Marketing

Shopper Marketing: o novo desafio



Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2019.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2019. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss