Artigos

Publicidade
Publicidade

Tendências para o varejo pós-NRF

A tecnologia parece ser o grande motivador das mudanças pelas quais a sociedade vem passando e que tem impactado o varejo e o e-commerce

Por Rafael DAndrea - 25/02/2010

Por Rafael D’Andrea*

A atmosfera geral da BIG RETAIL SHOW 2010 era de fim de crise, como se a economia tivesse tirado uma “sesta” e voltasse agora a despertar. Em janeiro, milhares de pessoas, como eu, passaram pela maior feira de varejo do mundo, realizada pela National Retail Federation, em Nova Iorque.

O evento foi considerado um dos maiores até hoje, sendo mais de 700 brasileiros entre os 110 países presentes para exposição e congresso. Uma feira com 3.000 expositores, principalmente da área de tecnologia para varejo e e-commerce. E um conjunto de mais de 50 palestras com tradução simultânea para português e espanhol, além de palestras paralelas em design e TI patrocinadas por expositores.

Grandes nomes como Pacco Underhill e empresários como Frederico Trajano, do Magazine Luiza, apresentaram cases e conceitos que vão moldar as tendências do varejo no mundo em 2010.

A criação de empregos como base para a retomada da economia aliada à redução de gastos públicos foram apresentados como saída definitiva à crise. O cenário é otimista para a primeira e pouco provável para a segunda. A possibilidade da criação de novos impostos e tributos e seus impactos para o varejo foram amplamente discutidos.  "Oportunidade"  foi o mote escolhido para o encontro desse ano, referindo-se à retomada do crescimento “inteligente”, aproveitando oportunidades geradas com a crise para focar a conquista do consumidor no ponto de venda ou na web.

Sem dúvida, a tecnologia parece ser o grande motivador das mudanças pelas quais a sociedade vem passando e que tem impactado o varejo e o e-commerce. Cases como o da Godiva.com demonstraram que  “Mobile e-commerce não é ter uma miniloja no celular, mas poder criar funcionabilidades de e-commerce que explorem ao máximo o meio móvel", citando um dos palestrantes. Meios de pagamentos mais seguros, capacidade de integrar o e-commerce às mídias sociais e de oferecer mais recursos como imagens em alta resolução ou revisões de outros consumidores também têm possibilitado um novo modelo de varejo integrado pela tecnologia. Entre os exemplos apresentados, destacam-se o da sears.com; magazineluiza.com e saraiva.com. Os principais tópicos foram:

a) Os impactos da crise nos diversos formatos e nichos do varejo mundial;
b) Tendências da economia para o próximo ano;
c) Integração multicanal e multiformato para prover uma experiência única de interação com o varejo e com as marcas;
d) Mobile Retailing (varejo no celular), mídias sociais, ferramentas para dar exclusividade e personalização às ofertas de e-commerce são alguns dos temas relacionados ao novo consumidor;
e) Supplychain associado à sustentabilidade (tema apresentado pelo Walmart, que decidiu traçar um roadmap para o sucesso das iniciativas nessas áreas, ressaltando o papel da rede de varejo como influenciador de toda a cadeia produtiva). Já o conselho de sustentabilidade da NRF explicou como é possível para o varejista começar as ações de sustentabilidade a partir daquelas que podem gerar economias, além de serem benéficas para o meio ambiente;
f) O "neoconsumer" – foi o tema usado para designar o consumidor atual (ele está mais inteligente e equipado, com mais ferramentas para pesquisar e decidir suas compras usando seu celular, e buscando a opinião de outros consumidores sobre produtos e pontos de venda).

Sortimento, Serviços e Relação com o Cliente foram as três estratégias-chave trazidas pela rede de livrarias Saraiva, em apresentação que mostrou um caso bem sucedido de construção de uma única experiência/ relação do consumidor com o varejo. Tema também abordado pela rede de supermercados Tesco e pela americana Best-Buy em Eletrônicos.

Além da troca de cartões entre presentes, os brasileiros ainda dividiram experiências e contataram fornecedores de soluções e varejistas de todo o mundo, prestadores de serviços, acadêmicos e consultorias ali representadas.

* Rafael D’Andrea é diretor de Desenvolvimento da ToolBoxTM - Métricas de Ponto de venda. Formado em Administração de Empresas pela FEA-USP, possui especialização em Marketing pela UC-Berkeley (EUA) e pós-graduação em Economia pela  FIPE-USP. Consultor, palestrante, é professor de pós-graduação do Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa (antigo IBMEC São Paulo).