Artigos

Publicidade
Publicidade
Relacionamento

Por que você ainda não chegou lá? A resposta é bem mais curta do que você imagina

Você recebe uma enxurrada de informações e pessoas dizendo o quanto precisa saber de tudo. Como lidar com elas?

Por Pâmela Ponce - 05/04/2021

A questão sobre seu negócio ainda não ter alcançado o primeiro 1 milhão de faturamento é validar a demanda para o problema que ele resolve.

E é aqui que trago destaque para a forma como as mulheres fazem negócio alinhados com a economia do futuro que já chegou. Por isso, aptidões naturalmente femininas que somam ponto a favor das mulheres no mundo dos negócios podem ser desenvolvidas por homens e também exploradas com maior consciência no empreendedorismo feminino. O mundo é delas!

Eu afirmo isso, com mais de 25 anos de experiência no mercado e os últimos 5 anos me especializei em economia comportamental, deixando claro em minhas pesquisas o motivo delas serem destaque nas mídias.

Confira quais habilidades femininas que destaco como importantes para qualquer ascensão empreendedora:

1 - Empatia e sensibilidade

Vemos que a maior parte do empreendedorismo feminino tem como base a emoção.  Ou seja, a mulher abre o seu negócio a partir de uma necessidade existente na sua vida, como ter mais tempo com a família, ou alguma dificuldade própria que a faz querer oferecer a solução para outras pessoas. Isso gera empatia, especialmente quando outros indivíduos se veem neste mesmo contexto.

Hoje, mais do que dinheiro, as pessoas se identificam com negócios que têm propósito e uma razão de existir. E no empreendedorismo feminino, a mulher proporciona diálogo com a dor do cliente que também é sua dor, gerando uma conexão muito maior.

Então, entenda a dor do público-alvo até você visualizar uma pessoa a sua frente que representa esse público. Assim, você entenderá a demanda e como comunicar seu produto/serviço no mercado.

2 - Maior comunicação

Se analisarmos a Era Paleolítica, a função da mulher era cuidar e gerenciar o local onde vivia, o ambiente familiar, enquanto os homens, provedores, passavam os dias em grupo em silêncio para não espantar a caça. A mulher desenvolveu uma necessidade de falar por dia, em média, 4 mil palavras a mais que os homens.

Nos negócios, a facilidade maior em comunicar-se é um diferencial. Quando a mulher se depara com um problema, muito provavelmente ela vai esmiuçar todas as questões para resolvê-lo, fundamental para relações mais saudáveis e sustentáveis. Por outro lado, os homens estão concentrados no foco, deixando para debaixo do tapete situações que seguem mal resolvidas.

Sozinha, uma andorinha não faz verão. Você precisa de equipe para crescer. A comunicação é importante até mesmo para criar uma cultura na empresa que te represente. Mesmo que você queira somente 1 ou 2 pessoas para ajudar é importante entender que a falta de comunicação destrói qualquer planejamento estratégico de crescimento.

3 - Flexibilidade e versatilidade

Mais uma vez voltamos ao nosso passado. Historicamente, a mulher era responsável por cuidar dos filhos, dos pais idosos e, por isso, precisava olhar para um todo e ao seu redor. Enquanto o homem desenvolveu sua habilidade em ter foco e objetivos específicos, a mulher desenvolveu maior habilidade em ser flexível e versátil para desempenhar funções distintas em circunstâncias adversas.

No empreendedorismo esse ponto é um grande diferencial. Além disso, com uma visão mais periférica, a mulher tem mais facilidade de enxergar o cenário como um todo, tomando decisões mais rápidas, assertivas e enxergando melhor as prioridades.

Você está buscando seu primeiro milhão de faturamento, então escutar pessoas do mercado e os próprios clientes é importante. Não se apaixone pela ideia, apaixone-se por resolver a dor do cliente. Muitas vezes, o consumidor pode te inspirar e ajudar ajustando pontos importantes no seu produto/serviço.

4 - Relações mais profundas

As mulheres têm relações mais profundas, o que favorece a construção de ambientes de menor risco para os seus negócios. Num networking, por exemplo, a mulher instintivamente se relaciona de forma mais ampla com as outras pessoas identificando características que vão além do negócio em si e, intuitivamente, isso será considerado na hora de firmar uma parceria.

O grande benefício disso é que a mulher tem mais consciência com quem está se relacionando e consegue estabelecer parcerias visando a longo prazo, com mais segurança, credibilidade e assertividade.

Percebeu que esses quatros pontos não têm ligação com processos?

Está ligado com seu desenvolvimento como ser humano. Antes de um CNPJ há um CPF. É o CPF que inspira, que conecta o consumidor a escolher aquela marca. Nas minhas consultorias para ajudar estruturar a comunicação da marca para o mercado, o objetivo é crescer vendas. A questão que não dá para criar um castelo de areia.

Portanto, é preciso que se crie um GPS para localizar onde você está e para onde vai. E isso começa sempre com a realização pessoal do fundador/fundadora para com o negócio.

empreendedorismo feminino

Por: Pâmela Ponce

CEO do IAPRENDI, Diretora do Founder Institute e Female Founder, mentora no programa de startup SEBRAE, comitê do Mulheres ACATE, mentora do programa Mulheres Inovadoras do MCTI e FINEP. É investidora em mais de 20 startups em seu portfólio