Marketing Digital na Área da Saúde | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Marketing Digital na Área da Saúde

O poder do ‘boca a boca’, sem necessariamente utilizar a boca de alguém. Dentre os fatores que devemos saber para fazer uso do marketing digital na saúde elencamos cinco

Por | 12/07/2016

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

A melhor ferramenta de divulgação de marketing para profissionais autônomos da área da saúde (leia-se médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas etc.) e empresas que atuam no mesmo segmento (clinicas, hospitais, centros médicos e laboratórios) ainda é a velha "propaganda boca a boca". Na era digital, no entanto, o "boca a boca" não usa necessariamente a boca de alguém, mas ferramentas com alcances maiores e com um poder de fogo (credibilidade) mais efetivo.

Estamos falando do Marketing Digital que, no conceito do professor Philip Kotler, o "papa do marketing", trata-se das ações de comunicação que as empresas e profissionais utilizam para divulgar e comercializar seus produtos e serviços, conquistar novos clientes e melhorar o relacionamento com os seus públicos, utilizando os meios digitais, principalmente a Internet e a telefonia celular. Ainda segundo o professor, o marketing digital já abocanha 75% das verbas de marketing das grandes corporações - o que nos ajuda a entender melhor a importância desse fenômeno para o mundo dos negócios.

Ao aplicar as estratégias do marketing digital no mercado da saúde devemos, no entanto, entender a nuance que cerca esse mercado. Edificar a imagem ou aumentar o fluxo de negócios de um profissional ou empresa de saúde requer estratégias diferentes daquelas utilizadas nas vendas da grande maioria de produtos e serviços. Promover um consultório ou clínica é diferente de promover um relógio ou a marca de  um novo tênis. A sutiliza das mensagens, a escolha criteriosa dos meios e os cuidados com os aspectos éticos são apenas alguns desses cuidados.

Por isso a importância de escolher a parceria certa para isso. Agências de marketing convencionais tendem a aplicar estratégias convencionais para vender serviços de saúde, o mais acertado é escolher parceira uma agência especializada. E ninguém melhor do que os atuantes na área da saúde para nos dizer que a especialização é de extrema importância para o negócio deles.

Dentre as coisas que devemos saber para fazer uso do marketing digital na saúde estão:

1º Os resultados práticos, ou seja, clientes na sala de espera, devem ser objetivos de médio e longo prazo. Apesar de efetivas, as ferramentas do marketing digital, principalmente das redes sociais, devem ter leads como objetivos de curto prazo. Lead no marketing digital é uma pessoa que demonstrou interesse no seu serviço e que poderá até consumi-lo. Porém isso não quer dizer que o fará agora. Ele poderá manifestar esse interesse seguindo-o no Facebook ou compartilhando uma mensagem sua. É o que chamamos de engajamento.  Depois de gerar leads, você deve convertê-los a clientes-pacientes. Ou seja, promover ações de marketing com foco na utilização dos seus serviços.

2º As ferramentas do marketing digital costumam trabalhar em conjunto. É possível que utilizar apenas uma delas resulte em resultado zero. Vamos dar um exemplo de conjunto: alguém que receba um Newsletter digital da sua clínica, enviada por e-mail marketing, se interesse por um dos assuntos veiculados nele. Ao clicar no assunto, esse alguém é levado a uma página do blog sobre assuntos de saúde que você mantém na internet. Lá esse alguém, além de ler o assunto, é impactado pelo endereço da página da sua clínica (site) e se interessa pelo conteúdo dela. Marcar uma consulta ou um exame de rotina dependerá dos aspectos de convencimento que você colocar lá.

3º O efeito dominó, descrito no item acima, terá mais chances de dar certo se você souber traçar bem as estratégias de marketing digital do seu negócio. Ou seja, souber escolher as mídias e as mensagens certas para "induzir" o cliente no caminho que você quer. Para isso você deve falar a linguagem dele, abordar assuntos que são do interesse dele, trabalhar com as mídias utilizadas por ele. Você pode não gostar de uma rede social, por exemplo, e até não ter familiaridade com ela. Mas isso não pode impedi-lo de utilizá-la para atingir os seu público. Há, escolher esse público também é uma questão de estratégia.

4º Ficar atento aos Códigos de Ética das entidades a que você está associado (CRM, CRO, ABD, ABCP etc.). Eles são diferentes em relação às suas orientações para uso das ferramentas de marketing e de divulgação. Dá para fazer um marketing de resultados, sem abrir mão dos preceitos éticos da profissão.

5° Procure saber mais sobre: estratégias de search, ferramentas de mobile, sites responsivos e para mobile, facebook, instagram, snapchat, canais do youtube, e-mail capture, provedores de blog, google analytics. Sucesso.

Por: Norivaldo Carneiro

Diretor Executivo da Market Biz Brasil


Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss