Artigos

Publicidade
Publicidade

Gastei tudo comigo. E agora?

Novos conceitos sobre presentes de Natal

Por Marina Pechlivanis - 22/09/2014

Falar de “gifted ideas” é estimular a troca de ideias talentosas, que ajudam, cada qual com o seu dom, a mudar o mundo.
Podem ser ideias para surpreender, trazendo novas formas de fazer negócios e de promover as marcas. Ideias para inspirar, integrando soluções sociais, culturais, educacionais que melhorem a vida das pessoas. Ou ideias para revolucionar e fazer pensar — e vender! —, como a campanha de Natal da Harvey Nichols.

Para quem não conhece, esta tradicional loja de departamento britânica iniciou suas operações em 1831 em Knightsbridg e tem como promessa oferecer “the ultimate fashion experience, from everyday to extraordinary”:

No Natal de 2013, lançou uma instigante campanha na mídia com o conceito: “a little something for them; a bigger something for you” (minha tradução: uma lembrancinha para eles, um presentão para você), contrastando com o padronizado discurso natalino da bondade, do carinho e da generosidade — especialmente na tradicional troca de presentes que marca o período em todas as campanhas de comunicação.

No comercial e demais materiais (usando sempre a assinatura #spenditonmyself), o egoísmo e a autoindulgência ficavam evidentes em cenas nas quais o presenteador se orgulha de mostrar os presentes que comprou para si, enquanto o presenteado fica em estado de choque recebendo um dos itens da “Sorry, I Spent It On Myself Gift Collection”: clips, elásticos, palha de aço, caneta, palito de dente… Vale dizer que, mesmo custando menos de 3 dólares, tudo era charmoso e vinha na embalagem da Harvey Nichols; não por acaso a brincadeira pegou e as vendas foram um sucesso: tudo acabou em menos de 3 dias.
 

A campanha, criada pela Adam&EveDDB de Londres, ganhou 4 GP’s no Festival de Cannes: Promo & Activation, Press, Film e Integrated. E contribuiu para quebrar muitas convenções sobre visão humanitária, valores morais e rituais tradicionais que invadem a TV, a web, as revistas e os jornais, entre outros tantos canais, em cada repetição de data do calendário promocional (Natal, Páscoa, mães, pais, namorados…).

Gastou tudo com você?

Perfeito! Nada melhor que renovar o repertório.
 

Por: Marina Pechlivanis

Autora dos livros Gestão de Encantamento: Dicas Mágicas e Gestão de Encantamento2: como a mágica acontece, entre outros 20 títulos. Mestra em Comunicação e Práticas de Consumo. Palestrante. Sócia da Umbigo do Mundo Comunicação. Criadora da Metodologia Matriz da Excelência Gestão de Encantamento. Professora do curso de extensão Gestão de Encantamento, na ESPM