O melhor da feira | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

O melhor da feira

Em conjunto, visão, tato, olfato, audição, paladar? potencializam a percepção de marcas, produtos e serviços, despertando memórias e desejos dos consumidores

Por | 30/04/2013

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

As feiras livres estão mais na moda que nunca. Especialmente em eventos, aulas e cases de varejo. Estudiosos de visual merchandising trazem para o seu repertório as regras de apresentação de produtos, que seguem uma lógica planejada quanto à disposição do que pode ser tocado e apertado, do que é mais delicado e frágil, do que tem maior valor e do que pode ser provado. Teorias cromáticas entram na pauta, combinado e intercalando cores para que o todo fique mais atrativo e para que o mix de produtos fique mais visível. Já os pensadores das sinestesias estão analisando cada sensação que a naturalidade das feiras proporciona, de forma a reproduzi-las em outros ambientes.

Não é de hoje que fragrâncias invadem o espaço olfativo, estimulando compras pelo "cheirinho bom". Falando em aromas, os sabores também fazem toda a diferença, com áreas específicas para a degustação, estimulando a experimentação como um catalisador de vendas. Sonoridades estão em alta e são ferramentas poderosas: por exemplo, som das ondas do mar na seção de peixes para que os clientes se sintam comprando na peixaria da praia. Não é novidade trabalhar a iluminação de ambientes de acordo com o mix de produtos. Sem contar a regulagem de temperatura, que também interfere na associação: fresquinho, quentinho, gelado. Em conjunto, visão, tato, olfato, audição, paladar… potencializam a percepção de marcas, produtos e serviços, despertando memórias e desejos dos consumidores.

Poderíamos prosseguir em uma listagem ainda mais detalhada de várias destas sensações que estão sendo exportadas, de forma bem estruturada e cientificamente planejada, para o ponto de venda. Mas nenhuma das traduções de feira é tão significativa quanto a mais valiosa delas: o feirante. Dele surge a humanização que este espaço propõe, com personalidade, tom de voz e olho no olho do consumidor. Não por acaso a interação pessoal é o mais valioso de todos os pontos de contato e a mais poderosa das ferramentas de comunicação no momento das compras, transformando um processo comercial em um relacionamento gifted.

A fala do feirante envolve, aproxima e passa credibilidade mesmo sem ter a técnica de um script de atendimento. Tem origem nos bazares, quando as negociações imperavam e estimulavam barganhas nos rituais de compra e venda. E tem inspiração nos pregões de antigamente, entoados em feiras livres pelo país, como este de João de Barro: "Amendoim torradinho, tá quentinho, também. Também são bem quentinhos os abraços do meu bem." Gravada pela Odeon nos anos 1930, faz parte de um acervo e de uma verdadeira viagem no tempo: Pregões Cariocas, da Ostra, da Preta do Acarajé, do Menino do Burrico, conforme registrado no Laboratório de Rádio do Centro Cultural São Paulo (www.radioccsp.net), no Sonoro Postal/Brasil Pregão, nas vozes de Dorival Caymmi, Jorge Fernandez, Stelinha Egg e Inezita Barroso

Em seu livro "Gratidão", Gary Vaynervchuk destaca que "a mídia social transformou nosso mundo em uma grande cidade pequena, dominada pela força dos relacionamentos, pela troca de atenções e pelo poder do boca-a-boca. Para ter sucesso hoje e no futuro é imperativo que lembremos o que funcionava no passado." A proposta do autor é "não perder nenhuma interação". Por isso, o diálogo é uma das mais valiosas de todas as colaborações que a feira pode oferecer ao varejo.

Se por um lado o feirante entoa, canta, fala, grita para vender seus produtos e chamar a atenção, por outro lado também tem olhos e ouvidos para sentir o que o consumidor quer, com qual nível de atenção e em que velocidade — pode inclusive ofertar, negociar, presentear. Isso não há tecnologia de autoatendimento que consiga resolver. Tem seu custo: treinamento, disponibilidade, reciclagem… mas tem seu ganho: aproximação, consideração e fidelização.

Para quem achava que o melhor da feira fosse o pastel, taí a dica, em forma de pregão: o melhor da feira está na interação. Gifted inspirations!

Por: Marina Pechlivanis

Autora dos livros Gestão de Encantamento: Dicas Mágicas e Gestão de Encantamento2: como a mágica acontece, entre outros 20 títulos. Mestra em Comunicação e Práticas de Consumo. Palestrante. Sócia da Umbigo do Mundo Comunicação. Criadora da Metodologia Matriz da Excelência Gestão de Encantamento. Professora do curso de extensão Gestão de Encantamento, na ESPM


Comentários

Artigos do autor:

Não basta vender. É preciso Encantar

Não basta ter uma boa campanha

Beacons do bem. Já ouviu falar?

Diga-me o que consomes, direi quem és

Gastei tudo comigo. E agora?

Bienais cheias, bibliotecas vazias

Entrevista ao Todo Seu de Ronnie Von

Meias do bem: a nova moda

Comprar não: ganhar!

Troca tudo sem dinheiro

Água grátis, no meio da corrida. Isso faz bem?

PET: não é reciclagem, é ressignificagem

Um mundo mais alegre é um mundo melhor

Cooperativa Fruta Feia: chega de desperdício

Já experimentou NEC, da Nespresso?

Red Bull Station: arte, música, vanguarda

Gifted Idea é aquela que tem o dom de inspirar

Feira de design de Milão: Dádivas de Marca

Ensaio sobre o futuro

Copia-Cola

Cegueira desatencional

O melhor da feira

A fina estampa do licensing

O mito do bem-sucedido

Ai, se moda te pega, ai, ai, ai, ai

Rituais para exportação

Gifts: simulacros e simulações

A eterna novidade

Ver e ser visto: é isso que o povo quer

Negócio da China?

Do museu para as massas

O golpe da concorrência

Ceci n?est pas un gift*

Eco-luxo, chique no último

Promoção de shopping é tudo igual, só muda o endereço?

Hospitalidade mercadológica

Apps: samples ou gifts?

Social Gifting

Emocional Gifting

Promoção da propaganda. Ou propaganda da promoção?

iPod. E tu, podes?

EndoGifting

Gifting para crianças. Prazer ou pecado?

Entre o gift e a gafe. Entre o luxo e o lixo

Shopping: aqui se faz, aqui se paga, aqui se ganha

Todo cliente é VIP, mas uns são mais VIPs que os outros

Os mimos que o mundo dá. (ou) Os mimos que a gente pega

Quem não gosta de gifting bom sujeito não é!

Tem brinde? Então é pra já!

NeuroGifting



Acervo

Pesquisar por Tags

Inteligência Inteligência

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2020.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2020. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss