De olho em 2019: Planejamento e tendências da Comunicação Interna | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

De olho em 2019: Planejamento e tendências da Comunicação Interna

Um dos grandes desafios da comunicação interna será a habilidade de atrair esse "colaborador conectado a todo momento" para os conteúdos das nossas organizações

Por | 11/12/2018

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Depois de grandes eventos como a Copa do Mundo e as eleições presenciais no Brasil, eis que 2018 está quase chegando ao fim! Já iniciamos o último mês do ano e agora é hora de olhar para 2019. Já começou a pensar no planejamento de comunicação interna da sua empresa?

É fato que a indústria e o setor de serviços ainda sofrem os impactos da crise econômica. Por conta disso, os gestores estão buscando antecipar o planejamento do próximo ano, visando uma atuação mais assertiva na comunicação em alinhamento com as estratégias do negócio.

Mas, quando pensamos em comunicação interna, que tipos de desafios as organizações podem enfrentar em 2019? Temas como cultura e valores organizacionais, inovação, compliance, sustentabilidade, diversidade certamente nortearão o mindset das corporações. Mas, mais que isso será essencial construir novas narrativas para conectar e envolver os colaboradores com a empresa. Isso porque somos bombardeados por informações 24 horas por dia, graças ao mundo digital de hoje. Em um minuto, 156 milhões de e-mails estão sendo enviados, 16 milhões de mensagens estão sendo trocadas pelo Whatsapp e 3,5 milhões de buscas estão acontecendo no Google. Estamos nos comunicando a todo momento. Nesse sentido, um dos grandes desafios da comunicação interna será a habilidade de atrair esse "colaborador conectado a todo momento" para os conteúdos das nossas organizações. Destaco a seguir três tendências nessa direção, com base em dados da Pesquisa de Tendências 2018 em Comunicação Interna, conduzida pela Aberje.

1. Priorização de conteúdo
Os quatro principais assuntos que os participantes da pesquisa citaram como prioritários para trabalhar na comunicação foram: Benefícios e programas de RH (66%), Mudanças na empresa (56%), Objetivos e estratégias na empresa (53%) e Propósito e Cultura da empresa (43%). Quando pensamos no último item, propósito e cultura, temos a oportunidade de nos conectar com questões mais profundas como: quem somos, para onde vamos e como vamos. É com base nessa visão que as empresas podem transformar suas narrativas indo além de simplesmente comunicar o que o colaborador precisa fazer e como deve fazer, mas, sobretudo disseminar o propósito organizacional relacionando a atuação de cada colaborador às estratégias e às metas de negócio de forma transparente. Outro dado mostra que 7% dos entrevistados têm como desafio equilibrar a quantidade de informação que circula na empresa. Nesse sentido, vale investir em estratégias de curadoria de conteúdo, destacando na comunicação apenas os temas mais relevantes que conectarão o colaborador à empresa.

2. Face a face ainda é muito importante
À medida que a tecnologia evolui e transforma nossas vidas, estamos cada vez mais abertos para interagir com novas plataformas, apps e recursos digitais que facilitam nosso dia-a-dia, inclusive dentro da organização. Mas, apesar disso, os dados da pesquisa mostraram que 60% dos entrevistados ainda deseja utilizar o face a face tanto com a liderança quanto com colegas multiplicadores. Essa prática, porém, ainda está longe de ser uma realidade. Estamos mais focados em canais como o e-mail (76%), o mural impresso (51%) e a intranet (38%) do que o gestor imediato (37%). Precisamos considerar que, para que os colaboradores se sentirem parte das nossas empresas, é necessário aproximar a liderança das equipes, o que torna ainda mais importante o papel do líder para criar vínculos de confiança e de exemplo.

3. Medição de resultados
Embora 66% dos entrevistados considere muito importante mensurar as táticas de comunicação, 58% raramente ou nunca consegue apresentar retorno financeiro gerado com as ações realizadas. 58% dos participantes afirmaram ter planejamento estratégico, o que é um dado positivo, mas ainda é preciso avançar no investimento para mecanismos de mensuração do trabalho. Outro dado interessante mostra a tendência de que 53% deseja estabelecer indicadores de comunicação interna e 45% deseja medir mudanças de comportamento com base nas ações realizadas.

De forma geral, fazer com que as pessoas se sintam engajadas com os objetivos de negócio, sendo parte das organizações, vai muito além de investir em tecnologias e criar novos canais de comunicação. É preciso acima de tudo, conectar as equipes com o propósito organizacional por meio de narrativas mais humanizadas, que façam sentido para o colaborador. Diante dessa necessidade, torna-se ainda mais essencial desenvolver o papel do líder comunicador, comprovado na pesquisa por 77% dos entrevistados que afirmaram ser esse o grande desafio para 2019, ou seja, transformar sua liderança em comunicadores.

Por: Mariana dos Anjos

Relações Públicas e especialista em Marketing. Com mais de 13 anos de experiência em Comunicação Corporativa, já contribuiu com a visão estratégica da Comunicação em empresas dos setores de TI, Química e Agronegócio. Atualmente, trabalha na Weber Shandwick, onde atua com o planejamento, a estratégia e a execução das iniciativas de comunicação interna


Comentários


Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2019.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2019. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss