Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Publicidade

Você já procurou o nome da sua empresa no Google?

Uma presença negativa na internet pode, não só evitar que novos clientes apareçam, como fazer o empresário perder alguns milhões de reais em apenas um mês

Por | 26/11/2015

pauta@mundodmarketing.com.br

Compartilhe

Empresas com uma reputação on-line ruim podem enfrentar grandes problemas. Uma presença negativa na internet pode, não só evitar que novos clientes apareçam, como fazer o empresário perder alguns milhões de reais em apenas um mês. Saber como a sua companhia aparece nos buscadores da web é extremamente importante para se manter vivo no mercado e obter crescimento nos negócios. A verdade é que uma boa reputação on-line é hoje um dos aliados mais importantes para qualquer empresa, independente do seu tamanho ou segmento.

Dados divulgados por grandes especialistas em SEO na web mostram que 80% das pessoas buscam no Google informações sobre uma empresa antes de decidir marcar uma reunião e contratar o negócio. Todos os produtos e serviços oferecidos hoje em dia podem ser acessados pela rede e não apostar nesse modelo de negócio significa perder clientes. A questão é que a presença na internet não se reduz apenas a ter um site, um perfil no Facebook ou uma conta no Twitter. Afinal, a web é uma rede de bilhões de usuários, que consomem, elogiam e reclamam, em tempo real e para o mundo inteiro. É algo que requer permanente atualização, estratégia e monitoramento.

A The Walt Disney Company e o próprio Google são exemplos de empresas que, preocupadas com a sua reputação, obtém resultados maiores a cada ano. O relatório Global RepTrak 100, divulgado ano passado, em Nova York pelo Reputation Institute mostrou que essas duas empresas conquistaram a melhor reputação corporativa no mundo entre os consumidores. E, de acordo com os executivos de ambas as corporações, investir em gestão de imagem on-line para se manter confiável e relevante na internet elevam, e muito, o retorno sobre todo o investimento.

 Além disso, do outro lado da questão, uma reputação negativa pode ter enormes consequências e ser muito prejudicial para uma empresa. Cada vez vemos mais casos de difamação acontecendo em espaços digitais, como o exemplo, divulgado há pouco mais de um ano pela Forbes, de um consultório médico norte-americano que recebeu diversas avaliações negativas em uma rede social. Todos os comentários foram feitos de forma anônima, denunciando casos de abuso sexual. O médico responsável procurou a Cyber Investigation Services (CIS), uma empresa especializada em casos de marcas que recebem ataques virtuais. Após a investigação, a CIS descobriu que as avaliações negativas haviam sido publicadas por um ex-funcionário, que tinha sido demitido e queria se vingar do patrão. O caso foi resolvido e hoje o ex-funcionário responde judicialmente pelos danos causados.

A questão é que, muitas vezes, até que a mentira seja confirmada, o estrago na rede já foi feito e a reputação abalada. Toda informação inserida na web, sendo ela positiva ou negativa, faz parte da construção da imagem da sua empresa. E investir no gerenciamento e no monitoramento do que as pessoas estão dizendo é considerado hoje, fator extremamente importante para alcançar bons resultados nos negócios.

Ainda é importante ressaltar que o Google capta apenas 40% do que está disponível na internet. Por isso, é interessante para empresários investir em agências especializadas nesse tipo de serviço, que possam ajudá-los a otimizar a posição do seu site nas buscas do Google. Ações como indexar o site com os códigos necessários para o funcionamento do SEO, desenvolvê-lo de acordo com os padrões de programação sugeridos pelo Google e realizar um estudo de palavras-chaves e códigos para a URL são exemplos básicos, que mostram que apenas uma gestão bem feita e programada, por quem realmente entende do assunto fará com que os links com boas referências da sua empresa apareçam na primeira página da busca.

Parece pouco? Então saiba que 95% dos internautas clicam nos links que aparecem na primeira página, apenas 5% chegam na segunda e, se formos analisar a terceira página de resultados, esse percentual não chega a 3%. A primeira página do Google é o seu mais novo cartão de visitas, aquela primeira impressão que fica.

Por: Julia Sousa

Diretora de desenvolvimento de negócios da Status Labs


Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss