Uma nova rodada para o fim das barreiras entre o físico e o online | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Uma nova rodada para o fim das barreiras entre o físico e o online

Não estamos em um jogo de mata-mata. Da mesma forma que a televisão não acabou com o rádio, os avanços do digital em uma sociedade conectada não exterminarão as lojas físicas

Por | 14/03/2019

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Qual é a expectativa no mundo do varejo para os próximos anos? Participei de um evento global de varejo, em Nova York (EUA), no começo do ano, e segundo o que eu pude observar, temos um vasto campo de oportunidades para explorar, mas antes disso, devemos ter bem claro que quem dá o tom é a forma de conduzir a integração entre lojas físicas e online. As cartas estão na mesa para os varejistas e, em meio aos desafios, não há dúvidas de que o grande coringa é proporcionar experiências inovadoras para os clientes.

O fato é que não estamos em um jogo de mata-mata. Da mesma forma que a televisão não acabou com o rádio, os avanços do varejo digital, em uma sociedade cada vez mais conectada, não exterminarão as lojas físicas. Claro que as marcas varejistas que possuem modelos engessados e medo de investir em ações e experiências novas talvez não consigam sobreviver com o PDV físico e tenham que deixar a partida.

A maior aposta nessa linha está sendo feita pela Amazon. A gigante do comércio eletrônico deu uma cartada agressiva para o varejo físico com a criação da Amazon 4 Star, constituída a partir da coleta de dados das vendas online realizadas na região do PDV físico, em torno do que seus clientes compram e amam. E se alguém acha que se trata apenas de um blefe, não se engane. Somente a Amazon para desbravar um conceito tão inovador, que pode constituir um caminho verdadeiramente vencedor.

A loja localizada em um dos bairros mais vibrantes da cidade, o Soho, é um lugar para encontrar variedade eclética de mercadorias, classificadas com quatro estrelas pelos clientes. Para estar lá, o produto precisa ser ou o mais vendido, novo ou ser tendência na Amazon.com. Todo esse sucesso encontra mérito no trabalho de compilação de dados, feito que tem proporcionado ao varejo a criação de novas estratégias, buscando melhor atender seus clientes e vender mais.

As tecnologias para compilar dados não param de surgir e o sucesso é absoluto. No Brasil já temos marcas varejistas que utilizam soluções como câmera de detecção facial no ponto de venda ou soluções de inteligência artificial, entre outros recursos, entregando aos gestores de Marketing dados importantes sobre os gostos e comportamento dos consumidores.

A Nestlé acaba de apostar na integração do físico com o online e inaugurou loja na zona Sul de São Paulo. A unidade integra a operação ao seu e-commerce e tem duas funções, a venda de produtos e ser uma espécie de estoque dos itens vendidos na internet. Com a iniciativa, a empresa reforça a procura por novas formas de interagir com o consumidor e, assim como a Amazon, de conhecer suas preferências.

Já outros modelos apostam 100% na experiência do cliente, deixando produtos totalmente em segundo plano. Algumas lojas, como a House of Vans, de Chicago, que vende roupas e calçados inspirados no skate e no surfe, transformou seu espaço físico em uma verdadeira comunidade. Lá, fãs das marcas podem se reunir e participar de passeios em grupo, na volta, tomam uma cerveja na loja e se quiserem, compra alguns dos artigos à venda.

Diante de tantos exemplos positivos, a morte do varejo físico virou fake news e só ocorrerá para aqueles que não apostarem na transformação do varejo promovida pela dupla inovação e experiência. Vamos aguardar as próximas rodadas que revelarão quem está com as melhores cartas e estratégias.

A ideia é usar o estoque de dados da Amazon sobre os hábitos de compra, visando descobrir o que é bem avaliado e vendido com rapidez e adaptar essa seleção durante todo ano. Aberta em setembro passado, a unidade está localizada

Esse é um caminho bem pensado para integrar de forma totalmente sútil varejo físico e online. Não temos para onde correr, este é o futuro do varejo.

O que esperar do varejo físico em 2019? Será que o setor irá sobreviver aos avanços do varejo digital e de uma sociedade cada vez mais conectada? O debate é antigo, mas como uma espécie de oráculo, a NRF 2019, maior evento global de varejo que aconteceu em Nova York entre os dias 14 e 16 de janeiro, foi um local de busca para essas e muitas outras respostas. Para muitos, as previsões não são das melhores. Muitos apostam que o ponto de venda não sobreviverá. Não existem certezas. Na prática, alguns exemplos mostram outro cenário, a luta pela sobrevivência do PDV. Eu sigo com eles. 

Não existe uma forma ou receita, mas a reinvenção da loja física já ganha bons exemplos. Muitos deles giram em torno da criação de experiências inovadoras capazes de gerar no consumidor o interesse de sair de sua casa e visitar uma loja física. A Amazon, gigante do comércio eletrônico, soube como ninguém integrar varejo físico e digital ao criar sua Amazon 4 Star, constituída a partir da coleta de dados das vendas online realizadas na região da loja e em torno do que seus clientes compram e amam.

Somente a Amazon para arriscar e apostar neste modelo. O que vemos hoje são redes de varejo engessadas, com medo de investir em ações, experiências novas. Infelizmente, para os que pensam assim, talvez o varejo físico não sobreviva. A importância da mudança do mindset das empresas é fundamental para aceitar e incorporar esse novo conceito de integração do on e off. Só sobreviveram as que experiências únicas e preços competitivos.

Por: Fernando Ranschburg

Diretor de Novos Negócios da RDS – Sell Out Expert


Comentários


Inteligência Inteligência

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2019.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2019. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss