Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Publicidade

Marketing de conteúdo

O comercial de 30 segundos não é mais tão efetivo como há alguns anos atrás. As pessoas estão cada vez mais em diversas mídias e querendo consumir conteúdo

Por | 17/12/2010

fmorais@aatb.com.br

Compartilhe

Por Felipe Morais*

Não é de hoje que eu defendo que a principal estratégia de marketing digital é o conteúdo. Se o mercado tem como premissa ter conceitos a seguir como "relevância", "engajamento", "relacionamento" e "presença digital", afirmo que nenhuma delas será um sucesso sem conteúdo. Ou alguém acredita que uma pessoa vá seguir um Twitter parado ou uma comunidade no Facebook entregue "as moscas"? Eu não acredito. Assim como o marketing lança vários conceitos como marketing de engajamento, marketing de permissão, marketing digital, vamos falar do marketing de conteúdo, mas na minha visão tudo pode ser resumido em uma simples palavra: marketing.

Esse conceito pode ser visto de várias formas. Um publieditorial pode ser considerado marketing de conteúdo? Na minha visão sim. Um programa de TV de uma marca pode entrar nesse conceito? Acredito que sim também, afinal, esse conceito nada mais é do que gerar conteúdo relevante da marca e expor ao consumidor de forma diferente a propaganda. Publieditorial, por exemplo, é muito usado em revistas como "Informe Publicitário" que na minha visão trata-se de uma propaganda com "cara" de informativo, de matéria jornalística.

Uma tendência que tem aparecido no Brasil de forma até tímida, mas que acredito seja uma das ações que podem ser bastante usadas nos próximos anos é a parceria de marcas com canais de TV fazendo programas onde as marcas são inseridas no contexto. Não se trata daquele merchandising usado em programas de fofoca da tarde não ou daquela cena da novela em que a personagem resolve tirar dinheiro e vai a uma agência do banco X. Trata-se de um programa inteiro sobre um assunto onde uma marca está no contexto da história, uma propaganda que não é incomoda e mostra o produto sendo usado. Experiência de produto.

Recentemente um caso foi bem comentado no Brasil. Trata-se da parceria da Land Rover com o canal de TV a cabo Discovery. O canal tem diversos programas sobre viagens ao redor do planeta. Com o tema "A gente vive de contar histórias" o programa rodou algumas cidades brasileiras a bordo de um carro da marca. Não tinha "descaradamente" uma propaganda do carro durante o programa, mas na 1h de duração, o carro aparecia diversas vezes mostrando o seu conceito aventureiro.



Outro recente caso é da Camargo Correia e o canal Discovery também. Apoiado em programas como "Grandes Construções" a marca quer estar presente nos programas do Brasil mostrando que ela ajuda no desenvolvimento do país com suas construções que trazem progresso e empregos. O Marketing de conteúdo pode ser uma nova forma das marcas anunciarem. O comercial de 30 segundos não é mais tão efetivo como há alguns anos atrás, as pessoas estão cada vez mais em diversas mídias e querendo consumir conteúdo.

* Felipe Morais é publicitário, professor, palestrante e escritor. Especialista em Planejamento Estratégico Digital, autor do livro de mesmo nome.

Por: Felipe Morais

Gerente de Marketing Domus Holding


Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss