Perspectivas econômicas em prol do Luxo | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Perspectivas econômicas em prol do Luxo

Como o mercado se beneficia do cenário atual

Por | 26/05/2011

Compartilhe

Perspectivas econômicas para o LuxoQuais são as perspectivas econômicas para o Brasil nos próximos anos? Denísio Liberato, Economista-chefe do Private Bank do Banco do Brasil, responde. A inflação alta ou acima das metas dos países é um fenômeno mundial. Em quase todos os mercados do mundo, a situação atual é de uma taxa inflacionária elevada. Mesmo nos EUA, com a maior taxa de desemprego de sua história, a inflação está em alta.

O Brasil hoje está no teto da meta de 4,5% e o Governo já vem tomando ações para conter essa tendência de alta com medidas de controle, como a redução no prazo do financiamento de veículos adotada no fim do ano passado. Um dos fatores que contribuem fortemente para esse cenário é a alta de 78% das commodites, que afetam o preço dos alimentos e, por sua vez, pressionam a inflação.

A valorização das commodites afeta outro desafio ao Governo: a taxa de câmbio. Liberato afirma que é uma realidade para o Brasil ter uma taxa de câmbio a 1,60 (Dólar/Real). Isso graças ao aporte de capitais no país, tanto pela entrada de dinheiro direto como investimento, tanto pela sobra da balança comercial positiva.

Até 1999, o saldo da balança comercial brasileira estava equilibrado, o Brasil comprava o que vendia. Mas a partir de 2002 o país entrou num ritmo de superávit mantindo até hoje graças ao que o economista chama de "efeito China". A China demanda commodite a ritmo exponencial e continuará neste ritmo pelos próximos 10 anos com a urbanização. Por outro lado, com o seu modelo de mão de obra de custo baixo, acabou por pressionar para baixo o preço dos bens industriais.

Como o Brasil exporta commodites e importa produtos industrializados, vende mais caro e compra mais barato, daí o saldo positivo na balança comercial, contrariando o que os economistas dos anos 1950 e 1960 previam, que países exportadores de commodites estavam destinados ao fracasso.
 
O superátiv da balança comercial, associado aos dólares dos investidores e com a compra massissa de moeda estrangeira realizada pelo Banco Central para conter a taxa de câmbio, acabaram por deixar o Brasil com uma reserva de US$ 330 bilhões, com previsão para chegar aos US$ 500 bilhões no curto prazo.

Outro ponto positivo é o controle dos gastos do Governo. Fatores como o Pré-Sal, a Copa do Mundo e as Olímpiadas reforçam o cenário brasileiro de se tornar realmente o país da década. Historicamente, países que sediaram grandes eventos esportivos apresentam crescimento 1,5% acima do normal. E com o bônus demográfico que o Brasil tem a sorte de estar vivenciado, gerará um cenário muito positivo.

Diante deste cenário, como o mercado de Luxo se beneficia? Com a economia aquecida e a entrada de um contigente demográfico consideravel na Classe C, todos os setores que vendem produtos e serviços à essa classe social enriquecerão e, portanto, se tornarão automicamente público-alvo do mercado de Luxo.

Comentários


Acervo

Pesquisar por Tags

Inteligência Inteligência

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2020.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2020. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss