Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Adaptando a oferta a uma demanda que muda

É exatamente em momentos desconfortáveis como esse que os empresários verdadeiramente empreendedores se sobressaem, tiram proveito daquilo que parece ser extremamente negativo

Por | 29/08/2016

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Os consumidores estão mais retraídos, menos propensos a consumir como estavam antes, com mais incertezas e inseguros de tomar crédito. Como consequência, a demanda geral está crescendo menos ou até declinando em alguns setores de atividades varejistas.

Isso é resultado de um ambiente macroeconômico mais adverso: maior inflação, juros elevados, desemprego em alta e rendimento real em declínio. Mas isso não é o fim do mundo! A economia brasileira já passou por isso várias vezes. Mas como os varejistas podem se sair dessa? Há caminhos que podem ao menos garantir um mínimo de atividade para que possam sobreviver neste ambiente adverso? A resposta é clara: SIM!

É exatamente em momentos desconfortáveis como esse que os empresários verdadeiramente empreendedores se sobressaem, tiram proveito daquilo que parece ser extremamente negativo, que enxergam o copo meio cheio, que agem de maneira diferente para enfrentar um ambiente igualmente diferente. E como podemos fazer isso? Fundamentalmente, por meio de três linhas de raciocínio e ação.

Em primeiro lugar, entender que as razões do sucesso do passado, quando o ambiente macroeconômico era mais favorável, não se repetirão. Portanto, o modo de agir e as ações têm que mudar. Em segundo lugar, alie-se ao seu consumidor. O que implica entender claramente seus medos, seus anseios, suas expectativas, suas necessidades, seus desejos. Em terceiro, lembre-se que ninguém deixa de consumir. O que pode ocorrer, e já está ocorrendo, é uma mudança do perfil do consumo, com alterações na frequência de compra, no tíquete médio adquirido, na cesta de compras, etc.

Vejamos, para alguns segmentos varejistas, alguns exemplos que levam em conta estas três linhas de raciocínio!

Material de construção: a majoração dos preços da energia elétrica foi substancial nos últimos ano e meio. Por que não propor aos consumidores produtos que auxiliem a reduzir o consumo de energia, demonstrando na ponta do lápis a economia que será gerada e em quanto tempo este investimento se pagará? Crie uma área específica com esta linha de produtos, juntando tudo aquilo que ajude nesta solução. Resultados esperados: mais vendas, ao menos, nestes produtos, além de aumento da simpatia e adesão dos consumidores pela loja.

Supermercado: comunique por meio de folhetos e/ou banners e/ou cartazes ao consumidor - se isso de fato estiver ocorrendo - que a empresa está sempre atenta aos aumentos que vêm acontecendo e que está negociando com os fornecedores no sentido de minimizar estes aumentos. Além disso, destaque alternativas de produtos com menor preço, propondo uma cesta de compra mais econômica. Resultados esperados destas medidas: aumento do elo de confiança e credibilidade junto aos consumidores e atração de novos clientes.

Cabeleireiro: desenvolva uma promoção em que, num determinado prazo de tempo, o cliente tenha a 10ª realização do serviço grátis. Resultado esperado: mantém ativa, e fiel, a clientela.

E você, o que pode desenvolver em seu negócio?

Por: Eugenio Foganholo

Eugenio Foganholo é diretor da MIXXER Desenvolvimento Empresarial






Comentários


Acervo

Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss