Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Publicidade

Tecnologia e os Seres Digitais

Para as empresas e anunciantes, o Real Time Bidding (RTB) e a Inteligência Artificial unem forças com o poder do Big Data para ajudar a direcionar mensagens publicitárias

Por | 21/12/2015

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

A tecnologia mais recente, avançada, nos transforma em seres digitais. Dispositivos inteligentes que, antigamente, eram conhecidos como telefones, se transformaram em uma evolução que nos guia em todas as atividades, e sem isso seriamos profundamente desorientados. Graças a eles podemos ter o mundo inteiro em nossas mãos.

Como indivíduos, temos acesso a produtos de todo o mundo e a informações em tempo real que nos permite organizar nossas vidas e nos mantermos atualizados sobre as coisas que mais importam para nós.

Para as empresas e anunciantes, o Real Time Bidding (RTB) e a Inteligência Artificial unem forças com o poder do Big Data para ajudar a direcionar mensagens publicitárias de forma mais eficaz ao consumidor com a maior chance de adquirir um produto ou serviço específico, a qualquer momento. A era digital está mudando a maneira como nos relacionamos uns com os outros, até mesmo o modo que fazemos compras, protestamos, estudamos ou simplesmente vivemos e respiramos.

Esta transformação cria enormes oportunidades, no entanto, devido a sua novidade, também gera medo quanto ao seu impacto sobre a nossa privacidade. Se a tecnologia acompanha os nossos passos e sabe o que queremos e quando, o que nos resta para manter segredo? Na prática, porém, acontece o contrário, nosso padrão digital nunca identifica o nome do indivíduo, endereço ou caixa postal, mas sim o endereço IP que nos conectamos. Os anunciantes, enquanto isso, realmente não sabem o que estão focando, além da garantia de que eles têm um perfil ideal traçado para a mensagem que pretendem transmitir.

Se antes costumávamos ficar admirados ou até mesmo agradecidos pelo fato de que quando visitávamos nossos supermercados locais, o açougueiro ou verdureiro sabiam por experiência própria quais produtos nós mais gostávamos, agora esse papel é cumprido pelo nosso tablet ou smartphone, no qual podemos configurá-los de acordo com as nossas preferências, tornando-os nossos aliados mais próximos para encararmos o mundo de frente. Em suma, nós compartilhamos informações com eles para que se tornem mais conscientes das coisas que gostamos e para que possam oferecer serviços dos quais não tínhamos conhecimento antes porque atendem melhor às nossas necessidades em um momento específico.

A publicidade é apenas uma parte da equação. As oportunidades que esta transformação oferece são infinitas e ainda há muito mais a ser descoberto na medida em que o número de dispositivos conectáveis cresce: relógios inteligentes, carros, cirurgiões capazes de realizar operações remotamente, e se adaptando cada vez mais e mais precisamente para o que cada indivíduo precisa.

Em todo o processo de grande transformação tecnológica existem duas fases claras. Em primeiro lugar, deve-se encontrar uma solução para um problema velho. Tal foi o caso de jornais que, com a chegada da Internet, decidiram oferecer o mesmo conteúdo através deste novo canal. Posteriormente, na segunda fase, começamos a encontrar usos para esta nova tecnologia de forma que não imaginávamos antes.

Este é o caso da comunicação interativa em dois sentidos e o desenvolvimento de comunidades focadas em torno de temas diferentes, alterando assim toda a forma de sociedade em que vivemos. Quem teria sonhado, por exemplo, que o Twitter que começou como uma ferramenta simples para compartilhar o nosso estado atual se transformaria em algo poderoso o suficiente para mobilizar sociedades inteiras ou mesmo para derrubar governos?

No mundo da publicidade já concluímos a primeira fase, no entanto, devemos assumir por um longo tempo que os dispositivos que constroem conhecimento e inteligência também nos trarão descobertas para usarmos os nossos dados. Quando falamos com profissionais de marketing, muitos deles, apesar de seu reconhecimento da importância de Big Data, ainda não encontram tempo ou meios de aplicar os seus benefícios para os dados que guardam em seus negócios. Uma vez que esse passo foi dado, tente imaginar novas oportunidades que irão surgir. A transformação tem sido sempre radical, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Por: Edvaldo Acir

Diretor Geral da Rocket Fuel para o Brasil e América Latina


Comentários

Artigos do autor:

Tecnologia e os Seres Digitais



Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss