Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Publicidade

A democratização do Luxo

Vivemos um novo momento. Tempos de transformações no segmento do Luxo e Premium. Novos consumidores, novas marcas e novas oportunidades

Por | 05/09/2011

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Por Carlos Ferreirinha*

Nos últimos anos o crescimento do Brasil levou milhares de pessoas a consumir marcas, serviços e categorias de produtos antes inacessíveis à maior parte da população brasileira. O aumento da população da elite somada à melhora da renda e ao crédito gerou uma forte mudança no perfil do consumidor.

O consumo do Luxo foi democratizado, o que nos leva a uma reflexão sobre o comportamento de consumo. O surgimento de uma nova classe consumidora trouxe ao mercado de Luxo um novo cliente, aquele que tem acesso às mesmas categorias de produtos diferenciados, mas que traz em sua bagagem outras referências estéticas, comuns aos emergentes que representam mais da metade do consumo nacional dos dias atuais.

A classe média aumentou substancialmente no Brasil e hoje representa 50% da população brasileira. Esses consumidores possuem uma maior acessibilidade às informações e um poder de compra 13 vezes maior que a elite brasileira. Uma classe que em 2002 era representada por apenas 522 mil pessoas e hoje é representada por mais de 1 milhão de brasileiros. Esses novos consumidores são responsáveis por 78% do consumo em supermercados, 60% das mulheres que vão a salões de beleza, 70% dos cartões de crédito no Brasil e 80% das pessoas que acessam a internet, segundo dados do instituto de pesquisa Data Popular.

Essa nova classe média apresenta um novo perfil de consumo. É uma classe otimista, que valoriza sua origem, de signos próprios que são inerentes à sua cultura, história e identidade. Possui diferentes padrões de beleza e comportamento, e não se preocupam em entender todos os signos que o produto adquirido carrega.

Além do fenômeno dos consumidores emergentes com um comportamento de compra aspiracional, o próprio dinheiro mudou de mãos. A cesta de produtos das classes também é semelhante, o que muda é a frequência de compra. O acesso foi democratizado. Produtos de Luxo, antes restritos a elite, já fazem parte da classe média brasileira, como viagens internacionais, perfumes e cosméticos, bebidas importadas, entre outros.

Um forte exemplo da democratização das marcas é a Giorgio Armani. Com o intuito de tornar a marca mais acessível, a Armani lança a Armani Exchange, uma linha de apelo democrático, moderna, urbana e casual, que mantém a elegância e sofisticação da marca Armani. A grife italiana foi uma das primeiras marcas no mundo a reconhecerem a necessidade de tornar seus produtos mais acessíveis. Uma estratégia inovadora que tornou seus produtos antes inacessíveis ao alcance dessa nova classe de consumidores que aspira a consumir a marca.

Vislumbramos ainda a democratização do acesso às informações, onde a internet democratiza o espaço de compra de produtos de Luxo e motiva o consumo aspiracional. É um movimento de R$ 273 bilhões na internet por ano, onde 50% das vendas realizadas no varejo tradicional são influenciadas por pesquisas de preço, opinião e informações sobre os produtos, realizadas na internet. A revolução do consumo, da informação e do acesso ao conhecimento.

E estamos preparados para atender a essa nova demanda? As marcas de Luxo precisam absorver novos conhecimentos se quiserem aproveitar o potencial de consumo da classe emergente brasileira para aumentar sua lucratividade. Para se aproximar destes consumidores, é preciso se democratizar, ser influentes, próximas e amigáveis, mas, principalmente, entender os consumidores e o que desejam.

As empresas podem tornar os produtos e serviços mais acessíveis aos consumidores emergentes sem perder o prestígio e o status de diferenciação. Educar os consumidores de classes aspiracionais a se aventurarem pelo consumo de marcas tradicionalmente ligadas ao segmento de Luxo e Premium.

Visando apoiar as marcas a respeitarem simultaneamente os códigos desses consumidores, bem como seu comportamento de consumo, a MCF Consultoria & Conhecimento, especializada na Gestão do mercado de Luxo e o Data Popular, referência em mercados emergentes, iniciaram uma parceria estratégica e inédita, divulgada durante o ATUALUXO BRASIL 2011.

A parceria tem como objetivo auxiliar as empresas a tornar os produtos e serviços mais acessíveis e educar os consumidores de classes aspiracionais a se aventurarem pelo consumo de marcas tradicionalmente ligadas ao segmento. Ambas as empresas farão uso de toda experiência adquirida nos últimos 10 anos, criando um formato único de Consultoria Estratégica no mercado Brasileiro.

No país da ascensão social, da democratização do consumo e da diversidade, as marcas que prosperam são as marcas verdadeiramente democráticas. Existe um novo hábito de consumo, um consumo diferenciado e fortemente impactado por um novo consumidor, gerando ainda mais oportunidades.

* Carlos Ferreirinha é Presidente da MCF Consultoria & Conhecimento, especializada nas ferramentas de gestão e inovação do Negócio do Luxo e Premium.

Por: Carlos Ferreirinha

Fundador e Presidente da MCF Consultoria, Especializada na Inteligência da Gestão do Luxo


Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss