Consumo seletivo | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Artigos

Consumo seletivo

Beth Furtado escreve sobre o comportamento das pessoas diante dos exemplos de produtos-escudo

Por | 22/06/2009

bfurtado@aliasite.com.br

Compartilhe

Por Beth Furtado*

Este nosso mundinho repleto de perigos, ameaças, bactérias, frescuras e germes é um prato cheio para o surgimento de novos comportamentos. Há alguns anos, a Future Brand detectou uma tendência denominada Antídotos. De lá para cá, não param de surgir lançamentos de produtos cujo benefício fundamental não é sua própria finalidade (por exemplo, um batom que insira cor nos lábios), mas proteção ou diminuição da ação do meio sobre as pessoas (por exemplo, proteção solar no batom).

Cabem aqui incontáveis exemplos de produtos-escudo, como lâmpadas e velas antimosquitos e a tampinha inserida nas latas de cerveja para proteger os lábios contra a sujeira de armazenamento. Ou então sabonetes bactericidas, assento descartável para vasos sanitários e sapatinhos para que os cachorros não tragam para as casas vestígios do passeio nas ruas.

Parente desta tendência cresce também um outro comportamento que seleciona as interações com a vida. Debaixo do mesmo sintoma, estão: filtros para e-mails (não quero ter contato com todos), filtros de ar (não quero inspirar o mundo que vivo), máquinas para anular ruídos e a disseminação de uso de head phones para escutar música em ambientes de trabalho (não quero ouvir o som ou o barulho do mundo).  Ou ainda secretária eletrônica e o identificador de chamadas (não quero ter de falar com todos) são alguns exemplos de uma lista que só cresce de seleção de interações.

Muitos fatores explicam o comportamento seletivo e os antídotos: uma sociedade no limite da violência incitando a criação de mundos paralelos, o excesso de produtos, estímulos, sons, barulhos, interações desgastantes, alternativas, cobranças e pressões que criam fadiga de contato e medo do mundo.

Uma outra tendência que pede menos, menos, por favor. Coincidência. Será?

*Beth Furtado é autora dos livros "Singularidades no Varejo", "Horizontes de Consumo" e "Desejos Contemporâneos" e é sócia-diretora da ALIA, empresa que articula e decodifica conhecimentos, conteúdos e pesquisas e os materializa sob a forma de pensamento estratégico, novos negócios, estratégias de inovação, novos produtos, alternativas de distribuição, experiências de compras, posicionamento de marca e de comunicação, palestras e workshops. E-mail: bfurtado@aliasite.com.br Siga no Twitter http://twitter.com/bethfurtado

Por: Beth Furtado




Comentários


Inteligência Inteligência

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2019.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2019. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss