Artigos

Publicidade
Publicidade
Relacionamento

Cultura do cancelamento: entender o que esse termo significa pode evitar que você seja atingido

A chamada cultura do cancelamento trouxe discussão sobre liberdade de expressão na internet, mas muitos não entenderam ainda que para evitar ser cancelado, na maior parte dos casos, basta ter empatia

Por André Palis - 03/03/2021

O cancelamento é uma prática nas redes sociais que tem como objetivo atingir a reputação de uma pessoa ou marca em resposta a uma atitude que não é bem-vinda nos dias de hoje. Houve exemplos esse ano de figuras públicas que furaram quarentena e que usuários das redes sociais forçaram os patrocinadores a romper contrato. Também de youtubers que promoveram discursos racistas e que, por alerta de internautas, perderam patrocínio.

Na prática, esse movimento colocou em xeque muitas pessoas públicas, levando a questionamentos sobre o comportamento de ídolos e fez pipocar frases como "hoje, não se pode falar mais nada". 

Muitas marcas e influenciadores têm se questionado sobre como evitar cair em armadilhas que levem ao cancelamento. Elenquei alguns pontos que julgo pertinentes:

Entender o que é a cultura de cancelamento

Existem coisas que podem ter sido comportamentos comuns um dia, mas que não podem ser mais toleradas. Piadas jocosas, posicionamentos radicais, fake news e discursos de ódio e desumanos não passam mais batido. As pessoas se posicionam e tem força na internet. É preciso entender que o cancelamento é um movimento contra esse tipo de posicionamento e só funciona se, de fato, o interlocutor tiver tido uma posição questionável. Do contrário, o cancelamento não ocorre, porque não tem força.

Opinião e preconceito são coisas diferentes

As frases "o mundo está chato", "não se pode ter mais opinião" e muitas outras são uma mostra de que as pessoas não entendem de fato que o mundo mudou. Proferir uma sentença homofóbica ou racista não tem a ver com opinião e o público sabe disso. A dica aqui é fácil de falar, mas que pode ser muito difícil de fazer para algumas pessoas: ter empatia pelo próximo. É preciso entender que se uma fala causou mal-estar, se ofendeu, é porque teve motivo. O mundo não está mais chato, ele está mais aberto a diferenças e pessoas preconceituosas ficarão para trás.

Tenha uma equipe diversa

Ter uma equipe diversa evita que sua empresa cometa erros graves. Isso porque, cada pessoa tem uma visão de mundo, uma bagagem, uma experiência. Quando você reúne pessoas LGBTQIA+, pretos, asiáticos, brancos, todo mundo na mesma reunião, dificilmente vai passar algum discurso que possa causar problemas. Diversidade é inteligência de mercado.

Pensar antes de falar

Essa dica vale especialmente para temas quentes. No Twitter, por exemplo, é regra de ouro. Evidentemente, já que existe um movimento que pode ferir a reputação de pessoas e marcas, há uma preocupação sobre como não ser atingido. Mesmo pessoas que são colocadas como na vanguarda podem escorregar e proferir alguma fala que as prejudique. Frases tiradas do contexto também podem ser mal interpretadas, por isso, é importante tirar determinados termos e sentenças do uso rotineiro. 

Vivemos numa sociedade que é racista, machista e homofóbica, ainda. Existem muitos jargões e expressões que refletem isso. Então, é importante pensar e parar de usar. Quanto menos falamos coisas ofensivas, menos propagamos ofensas às minorias. Esse é o caminho.

Escorreguei, e agora?

Se mesmo assim, por algum motivo, alguma fala ou ação fez com que você se visse envolvido em um cancelamento, é preciso agora agir para que o impacto seja o menor possível. Após o equívoco é muito importante ter agilidade. Antes de tudo, é preciso entender onde errou e o que vai fazer para mudar. De nada adiantará simplesmente negar ter feito o que milhares de pessoas estão alegando ser errado. É importante pedir desculpas, pois os usuários esperam uma posição e deixá-los aguardando muito não é uma boa ideia.

Fazer isso em todas as redes é fundamental, já que tudo está conectado. Se o deslize ocorreu no Youtube, é preciso pedir desculpas pelo Youtube, mas também no Facebook, Instagram, Twitter e outras redes usadas. Aprender com o erro é uma lição, evidencia que a pessoa ou marca está disposta a mudar. Há a possibilidade inclusive de impulsionar as publicações das desculpas, ajudando a difundir o post e atingindo a audiência específica. 

Estamos em um cenário em que o comportamento das marcas e pessoas públicas importa muito. O mundo todo está conectado e as ações são cobradas 24 horas por dia. Por isso, é importante que as marcas entendam que seus patrocinados também são o rosto da empresa, também representa as pessoas que confiam e consomem seus produtos e serviços. O posicionamento nas redes sociais e outras mídias é importante para mostrar seus valores. Vale sempre repensar que tipo de mensagem você quer passar e como isso vai chegar até o usuário final, o cliente.

Saiba mais sobre o tema acessando o estudo Cultura do cancelamento: como e por quê ela pode afetar sua marca – Conteúdo exclusivo para assinantes.

Cultura do Cancelamento

Por: André Palis

Sócio-fundador da Raccoon