A chegada das marcas automotivas chinesas no Brasil Bruno Mello 3 de junho de 2024

A chegada das marcas automotivas chinesas no Brasil

         

Filippo Vidal dá dicas sobre a estratégia de sucesso das marcas e cita cinco chaves para uma estratégia de sucesso

A chegada das marcas automotivas chinesas no Brasil
Publicidade

Quando chegaram ao Brasil, as marcas chinesas de automóveis não eram preferência entre os consumidores que viam como modelos de qualidade questionável – com exceção da CAOA Chery e da JAC Motors, que fizeram um bom trabalho desde o início.

No entanto, novas marcas, como a BYD e a GWM, estão conquistando a confiança dos brasileiros. Além disso, as marcas da China também vêm cumprindo um importante papel na presença de carros elétricos no Brasil.

Sobre as chaves do sucesso das marcas chinesas, temos:

Produto no centro 

Empresas que se concentram na qualidade do produto podem melhorar a satisfação e fidelidade do cliente, a reputação da marca e a percepção de preço. Nesse aspecto, as marcas chinesas entenderam que o consumidor brasileiro é cada vez mais informado e exigente, caso da CAOA Chery, BYD e GWM que entenderam a importância de trazer produtos com plataformas de última geração, tecnologia de ponta e motores confiáveis.

Publicidade

Aposta elétrica 

Segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), o mercado de veículos eletrificados leves no Brasil atingiu um total de 49.052 unidades vendidas nos primeiros oito meses de 2023, um aumento de 76% em relação ao mesmo período de 2022, quando foram emplacados 27.812 automóveis. Grande parte desse crescimento deve-se à chegada das novas marcas chinesas.

Em um mercado em que as marcas europeias, japonesas e norte-americanas já estavam oferecendo modelos elétricos ou híbridos, as marcas chinesas como BYD e GWM ofereceram linhas completamente eletrificadas, não apostando em nenhum modelo 100% a combustão. Isso fez com que essas marcas trabalhassem um posicionamento de “especialista em elétricos” no Brasil, devido a descarbonização aplicada nos modelos.

Design como aspiração

Modelos como o Seal e Dolphin, da marca BYD e ORA GT, da GWM, são exemplos de design de última geração, mas a marca não se limita apenas nisso, e sim, envolve a experiência como um todo. Além da interface digital dos carros proporcionar user experiences responsivas e intuitivas, as concessionárias também trazem para o mercado automotivo brasileiro, ambientes minimalistas e contemporâneos que colocam a interação com os carros no centro da experiência. 

Estratégia comerciais valentes 

Desde 2021, as marcas BYD e GWM se apresentaram com uma estratégia comercial bastante agressiva, investindo em garantir boa capilaridade das concessionárias disponíveis nos principais polos econômicos do país. Exemplo disso foi o lançamento do BYD Dolphin no final de junho de 2023, que gerou um reajuste, para baixo, de todo mercado de eletrificados. 

Entendimento do consumidor brasileiro

Um dos fatores para esse sucesso é a necessidade de entender o cliente local, e, segundo pesquisa da Bain & Company, um quarto dos proprietários de carros no Brasil consideraria migrar para um veículo elétrico devido ao custo dos combustíveis, ao impacto no meio ambiente e ao interesse em novas tecnologias.

Em um cenário em que os carros vendidos no Brasil passavam por uma simplificação de projetos, as marcas chinesas mantiveram a mesma qualidade oferecida fora do país, além de investir pesadamente em acessibilidade, familiaridade com a tecnologia e providenciar mais acesso à recarga.

*Filippo Vidal é sócio e diretor da FutureBrand São Paulo

Leia também: Busca por carros chineses cresce 220%


Publicidade