82% das marcas erram no processo de escolha da agência de comunicação, aponta B.Done Bruno Mello 21 de junho de 2023

82% das marcas erram no processo de escolha da agência de comunicação, aponta B.Done

         

Em entrevista, criadora de um serviço de hunting de agências detalha falhas cometidas pelas empresas e aponta soluções para evitá-las

82% das marcas erram no processo de escolha da agência de comunicação, aponta B.Done
Publicidade
Amazon Prime Day

Contratar uma agência de comunicação – e qualquer outro serviços na esfera de Marketing e mídia – pode ser algo desafiador para quem atua neste setor ou na área de compras das empresas. Estratégicos para as corporações, os serviços de comunicação (mídia, PR, conteúdo, CRM, entre outros) atendem diferentes propósitos organizacionais, abrangendo o relacionamento com diferentes públicos, como clientes, investidores, colaboradores, imprensa, etc.

Por isso, dificilmente uma companhia consegue dar conta de todas essas frentes de atuação contando apenas com uma equipe interna ou uma única agência. Uma pesquisa realizada pela B.done, principal serviço de hunting de agências de comunicação para marcas do país, confirma essa tese, uma vez que 82% das empresas ainda erram no processo de escolha desses tipos de parceiros.

Segundo a CEO e fundadora da B.done, Cáh Morandi, esse cenário em muitos casos acaba acarretando em projetos falhos e com resultados abaixo do esperado para ambas as partes. A empreendedora detalha as principais consequências por trás desse panorama e traz dicas para as companhias acertarem na escolha do parceiro.

CEO e fundadora da B.done, Cáh Morandi

Mundo do Marketing – Por que as marcas ainda erram na escolha da agência? 

Cáh Morandi: Uma das frases que mais ouvimos quando vamos conversar com as empresas é de que a falta de resultados, os atrasos de jobs e as falhas nas campanhas são culpa da agência. Muitas vezes, de fato, a reclamação é genuína e verdadeira, mas posso garantir também que não são raros os casos em que ocorre uma terceirização da responsabilidade. Esse equívoco, no entanto, na grande maioria das vezes não surge após o contrato assinado, ou durante a relação diária entre a marca e a agência. Nasce antes. Muito antes, na verdade.

Publicidade

A escolha errada de uma agência ocorre por uma combinação de fatores, que passa pela falta de uma pesquisa prévia, processos de concorrência falhos e priorizações distorcidas de serviços, escopos e orçamentos durante a comparação de propostas. Ou seja, estamos falando sobre o momento que antecede o contrato, que é brutalmente desvalorizado, gerando uma falta de alinhamento entre as partes, resultando num trabalho pouco produtivo.

É preciso ressaltar que algumas práticas defasadas ainda são percebidas nesse processo. Não é raro, por exemplo, a restrição do budget ou uma simples indicação se sobressair diante de elementos que deveriam ser prioritários no momento de definir o seu parceiro ideal, como a capacidade técnica e criativa das agências.

Mundo do Marketing – O que uma empresa deve fazer para minimizar esse risco? 

Cáh Morandi: O ato de escolher fornecedores de comunicação, publicidade e Marketing é uma tarefa que ocupa muitos recursos do contratante, sobretudo tempo e dinheiro. Para evitar que esses esforços sejam feitos em vão, as companhias precisam estruturar os processos de concorrências entre as agências, estabelecendo no briefing os desafios e objetivos, estrutura e necessidades, além do orçamento para viabilizar o projeto. Com um processo de contratação mais detalhado, as propostas podem ser melhor estruturadas e devolvidas para o anunciante.

Pensando em acelerar e dar assertividade a essas tarefas, hoje as empresas têm a possibilidade de contar com o serviço de hunter de agências como a B.done, que é conhecida no mercado por ser uma espécie de Tinder que conecta os dois lados. É um modelo de negócio no qual há profissionais especializados em entender as necessidades das companhias e conectá-las com as agências que tenham maior expertise e capacidade para atender a demanda pelo viés técnico e criativo, e não apenas pela ótica financeira.

Mundo do Marketing – Além dos ganhos já citados, quais são os outros benefícios para as empresas que buscam o auxílio de uma “hunter de agências”?

Cáh Morandi: O trabalho desenvolvido por um hunter de agências permite que as companhias consigam definir, de maneira prévia e muito mais assertiva, as suas propostas e metas em um projeto, assim como assegurar que o parceiro escolhido é totalmente aderente aos seus desafios, budgets e modelo de negócio.

Além disso, o departamento de marketing ou de compras das empresas conseguem em média economizar 95% do tempo e esforço dos seus colaboradores na busca pelo parceiro ideal e uma diminuição de cerca de 50% nos custos de abertura de concorrência.

No caso da B.done, vale destacar ainda que todo esse processo ocorre sem custos para as corporações, outro grande atrativo para que atinjam uma maior eficiência e melhor alocação de recursos para os seus desafios de marketing e mídia.

Leia também: Como agências e profissionais podem sobreviver às demandas para o futuro do segmento


Publicidade
Amazon Prime Day