3 desafios e passos importantes para ter um Marketing data driven Mundo do Marketing 7 de junho de 2022

3 desafios e passos importantes para ter um Marketing data driven

         

Diogo Gouvêa mostra como a identificação de dados padronizados ajuda na tomada de decisão inteligente

Publicidade

Hoje, os profissionais de marketing têm ao seu dispor um fluxo interminável de insights valiosos sobre seus clientes, seu desempenho e possibilidades de melhorias futuras. Áreas de marketing que não adotam a análise de dados, correm o sério risco de serem superadas pelos concorrentes.

Uma pesquisa do SalesForce com 6700 pessoas mostrou que 76% dos consumidores esperam que os profissionais de marketing antecipem suas necessidades. Isso é surpreendente? Será? Afinal, quem de nós não é impactado diariamente nas redes sociais com algo que deseja. A era da “hiperpersonalização” faz com que as empresas definam um padrão de jornada omnichannel (falamos do tema por aqui) conectadas e surpreendentes.

A análise do marketing trata a identificação de dados padronizados e ajudam na tomada de decisão inteligente. É possível não só analisar uma única plataforma como também várias delas interagindo entre si. As informações dessas análises trarão uma compreensão de como estão os clientes e os caminhos do mercado como um todo. Há a opção de o gestor deixar de ser reativo e começar a ser proativo, e para isso temos itens chave:

1. Visão integrada de seus dados de marketing

As equipes de marketing tendem a executar muitos esforços diferentes em muitas plataformas e equipes diferentes. Obter os dados de esforços díspares em um só lugar requer um alto nível de coordenação. Se uma imagem deu certo no Facebook mas a ação não funcionou no Twitter, como fazer com que ambas desempenhem positivamente? Um programa sólido de análise de marketing identificará todas as diferentes ferramentas e plataformas usadas por suas equipes e centralizará os dados que elas geram para análise. Ser capaz de combinar e analisar dados de todos os seus esforços é fundamental e permitirá análises mais sofisticadas e gerando ROI positivo. Trata-se de colocar todos os seus dados em um só lugar, no mesmo formato, no mesmo nível de atualização.

Publicidade

2. Uma abordagem mais ousada para a otimização de campanhas

Por si só, os dados brutos são inúteis. Os profissionais de marketing só obtêm valor de seus dados quando os usam para avaliar o desempenho atual, identificar oportunidades de melhoria e usar esses insights para otimizar o desempenho de campanhas futuras. Depois de ter uma compreensão firme do processo, você provavelmente se tornará mais ousado. Você pode testar grandes estratégias diferentes em vez de simplesmente ajustar os detalhes. Por exemplo, o que funciona melhor: vender direto ao consumidor (D2C) ou vender por meio de intermediários (B2B2C)?

3. Melhor segmentação de clientes existentes 

Geralmente, as perspectivas estão longe de ser homogêneas. Cada um deles tem seu próprio histórico, preferências e perfil demográfico – o que significa que você não pode simplesmente adotar uma estratégia de tamanho único ao fazer marketing. A criação de perfis e a segmentação permitem agrupar clientes em potencial semelhantes de acordo com os fatores que você considera mais importantes. Eles permitem que você crie estratégias direcionadas que ressoem com as preferências de cada segmento individual. Ao falar com os clientes da maneira como eles querem ser falados, você aumentará seu sucesso de marketing e reduzirá o desperdício de esforços.

Nos próximos artigos, abordaremos outros princípios relevantes, tendo a análise de marketing como prioridade. Cabe cada vez mais ao gestor de marketing, saber trabalhar bem com o excesso de dados disponíveis, sendo o perfil analítico uma qualidade profissional inegociável.


Publicidade